Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Devaneios de Miss L

22
Ago21

EXPECTATIVA DO LIVRO || MANUAL DO GUERREIRO DA LUZ


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

Livro Manual Do Guerreiro Da Luz (Livro De Viagem) | Livros | Dott.pt

 

Este ano gostaria de ler mais Autores Portugueses (Nesta categoria também incluo os Portugueses do Brasil). Nunca li nada de Paulo Coelho. Muito famoso. Acho que ainda vou a tempo.

A sinopse é a seguinte:

«O que é um guerreiro da luz? É aquele que é capaz de entender o milagre da vida, lutar até ao fim por algo em que acredita, e - então - escutar os sinos que o mar faz tocar no seu leito.(...) Todos são capazes disto. E ninguém se julga guerreiro da luz, embora todos o sejam.» O Autor apresenta textos breves sobre a sagrada luta que todos nós travamos nas nossas jornadas.

Ele fala-nos de conquistas e derrotas, escolha e destino, paixão e esperança, gratidão e amizade, passageiro e definitivo, entre muitos outros temas essenciais da arte de viver.

Parece um livro interessante para entrar no mundo de Paulo Coelho, leve e com uma boa temática. Quem será este Guerreiro de Luz? Será uma metáfora?

Eu tenho mais alguns livros dele, mas este foi o "grande" escolhido.

Beijokitaz

12
Ago21

O TATUADOR DE AUSCHWITZ || RESENHA DO LIVRO


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

A história (de sobrevivência e amor) do tatuador de Auschwitz – Observador

 

Que livro arrepiante e tão bem escrito. Viciante. Li desde o dia 7 ao 9 de Agosto deste ano. Chocante. Emocionante. Como escreve a Autora nas suas notas "Esta é uma obra de ficção baseada no testemunho directo dum sobrevivente de Auschwitz". 

A maneira como tudo é mostrado. Até mostra o outro lado do ciganos, digamos assim. Lale refere que "noutra vida" se visse um cigano na rua, mudaria de passeio. Ao que lhe responderam que seriam eles a mudarem primeiro. Tinha Nadya, que significa Esperança, que se tornou a Mãe de Lale naquele campo de horror. Foi com muita tristeza que, subtilmente como no livro "O rapaz do pijama às risca", anunciaram a morte dos ciganos. Nenhuma das mortes daquele campo foi necessária, mas "vendo" as coisas pelos "olhos" de Lale foi ainda mais triste. 

A morte do companheiro de quarto que o tentou salvar do Carro da Morte. Os maus tratos ao seu companheiro de trabalho. A forma que o Lale quase morreu só porque arranjou meios para sobreviver (irónico). Lale é um bom exemplo da ideia que tenho dum Judeu: Arranja sempre uma maneira de se desrascar e fazer fortuna. Isso era um ponto de inveja de muita gente. Uma pessoa inteligente. 

Aquele local era tão surreal que havia pessoas que nem faziam ideia que tal existia. Só poderia ser um sonho mau. 

É um livro que deve ser lido. Além disso, estou curiosa em relação a um outro livro da Escritora " A coragem de Cilka". Realmente, segundo é descrito por Lale, foi uma mulher muito corajosa. E foi graças a essa coragem que Lale sobreviveu ao campo de concentração. Poderiam não passar de livro, sinceramente.

Beijokitaz

10
Ago21

O TATUADOR DE AUSCHWITZ || EXPECTATIVA DO LIVRO


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

O tatuador de Auschwitz e seu amor secreto nascido no campo de concentração  - BBC News Brasil

 

Um dos temas que eu mais gosto é a Segunda Guerra Mundial. Um momento marcante da nossa história mundial pelos piores motivos. Tento ler bastante sobre o mesmo. Tentar entender a mente doentia de Hitler é bem difícil. Não há tentativa possível. Eles eram daltónicos? Ele era tudo menos de raça Ariana. Nem loiro era. Nem consigo entender como é que alguém o apoiava.

A sinopse é a seguinte:

História verídica de um amor em tempo de guerra!

Esta é a história assombrosa do tatuador de Auschwitz e da mulher que conquistou o seu coração - um dos episódios mais extraordinários e inesquecíveis do Holocausto.

Em 1942, Lale Sokolov chega a Auschwitz-Birkenau. Ali é incumbido da tarefa de tatuar os prisioneiros marcados para sobreviver - gravando uma sequência de números no braço de outras vítimas como ele - com uma tinta indelével. Era assim o processo de criação daquele que veio a tornar -se um dos símbolos mais poderosos do Holocausto.
À espera na fila pela sua vez de ser tatuada, aterrorizada e a tremer, encontra-se Gita. Para Lale, um sedutor, foi amor à primeira vista. Ele está determinado não só a lutar pela sua própria sobrevivência mas também pela desta jovem.

Um romance baseado em entrevistas que Heather Morris fez ao longo de diversos anos a Ludwig (Lale) Sokolov, vítima do Holocausto e tatuador em Auschwitz-Birkenau. Uma história de amor e sobrevivência no meio dos horrores de um campo de concentração, que agradará a um vasto universo de leitores, em especial aos que leram A Lista de Schindler e O Rapaz do Pijama às Riscas, e que nos mostra de forma pungente e emocionante como o melhor da natureza humana se revela por vezes nas mais terríveis circunstâncias.

Devo referir que espero não chorar como no livro "O Rapaz do Pijama às Riscas". Este romance foi a única coisa positiva no meio disto tudo. Será que eles se iriam encontrar fora dali? "Valeu a pena" o risco que correram por amor? Como é possível que isto tenha acontecido? Só pode ser fruto duma mente doentia. Porquê que Hitler, simplesmente, não escreveu as suas ideias em forma de prosa e vendeu? Depois viraria filme ou um documentário. Seria bom para todos. Ele mostrava a sua ideia ao mundo e não teriamos de passar por isto. Aposto que seria um sucesso e todos pensaria que era impossível alguma vez acontecer.

Espero conseguir ler como se fosse um romance de ficção. É doloroso demais fazer de outra forma.

Beijokitaz

 

 

05
Ago21

MÁRIO CASAS || A LISTA CONTINUA


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

Contratiempo | Netflix

 

No artigo de ontem, esqueci-me de mencionar dois filmes que vi que são protagonizados por Mário Casas. Mário Casas é um Actor Espanhol. Por coincidência, também protagonizou duas adaptações de livros dum dos meus Escritores favoritos: Federico Moccia. 

Os dois filmes foram: Contratempo e O bar. O que eu gostei mais foi Contratempo. As reviravoltas são incríveis e é um filme que prende bastante. Foi o meu favorito dos filmes que vi com este Actor. O filme engana-nos bastante. Até ao último segundo está a enganar-nos e, ao mesmo tempo, a dar-nos pistas. Maravilhoso. Tem uma boa evolução. 

O bar é interessante, sem dúvida. É tenso. É bastante real.

Beijokitaz

04
Ago21

UM MÊS DEPOIS || MISS L


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

Triste, Deprimido, Depressão, Tristeza, Jovem, Pessoa

 

Hoje faz um mês desde o último artigo. Nesse mês, os dias foram passando e passando. Fiz uma formação de Empreendorismo e Redes Sociais. Agora estou de férias até Setembro. Tive uma disciplina maravilhosa de Escrita Criativa. No meu caso, é o terceiro ( Ou será o quarto?). Fiz alguns textos interessantes. Alguns textos que me deram um enorme gosto escreve-los. Todos. Escrever enche a alma.

Também vi mais filmes. Aqui vai a lista:

  • Rua do Medo 1;
  • Rua do Medo 2;
  • Rua do Medo 3;
  • Tu Hijo (O teu Filho);
  • A Morte dá-lhe os parabéns 2;
  • O assassino debaixo da cama;
  • Reflexões dum liquidificador;
  • Silêncio de Morte.

Todos os filmes foram vistos na Netflix. Não houve nenhum que desgostasse, aliás fiquei bem surprendida com com quase todos. Claro que "A Morte dá-lhe os parabéns 2" é bem previsível, mas gostei na mesma. Os três que me surpreenderam mais foram: Tu Hijo, O Assassino debaixo da cama e Reflexões dum liquidificador.

O último achei bem divertido. Suavizou o tema abordado. 

Aconselho os 8 filmes. Aconselho bastante para uma descontracção dum final de tarde. Colocaria na seguinte ordem:

  • Silêncio de Morte;
  • Reflexões dum liquidificador;
  • Tu Hijo;
  • Rua do Medo 1;
  • A morte dá-lhe os parabéns 2;
  • Rua do Medo 2;
  • O assassino debaixo da cama;
  • Rua do Medo 3.

Beijokitaz

04
Jul21

EXPECTATIVA DO FILME || RUA DO TERROR


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

Rua do Medo: Conheça a trilogia de terror da Netflix

 

Não sei se vou passar do primeiro filme. Até porque em 1978 e em 1666 não era nascida, logo não me faz muita diferença (Estou a brincar). 

Alguém fez uma grande matança no centro comercial. Isso é a notícia do ano e o centro do filme. Parece que nunca acontece ali nada. Todos apontam a culpa para uma bruxa morta como uma lenda urbana. O Assassino usava uma máscara de caveira. Muito como o filme (Clássico?) "Scary Movie". São mortos que estão a tentar matar a população. Ou seja, são seres imortais para poder haver mais duas continuacções. Basicamente deve ser isso.

Outra coisa, quem comunica com o garoto? 

Simplesmente é um sítio que ninguém gosta e que enche de lendas urbanas como desculpa para sair dali. Ao menos, é um exclusivo da Netflix. Espero que seja mais do que isto. Veremos...

Beijokitaz

02
Jul21

RESENHA DO FILME || A VIDA QUE MERECES


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

Crítica de cinema: 'A Vida que Mereces'

 

Eu estou chocada com o filme por imitar tão bem a realidade. Sim, porque o que não faltam são pessoas capazes de fazerem isto. Pelo que entendi, é só uma pessoa que não aceita as mudanças da vida. Foi esta a leitura que eu fiz.

Porém, todas as pessoas tinham problemas à sua maneira. Desde a pessoa da limpeza até ao Jardineiro. Tem algumas coisas que fiquei confusa. É demasiado psicológico. Demasiado envolvente. Fiquei muito chocada. 

Se ele disse que tinha uma Filha e tinha um Filho, porquê que a nova Esposa não questionou sobre? Não quer conhecer a Família dele? Só ela é que dá abertura para a Família dela porquê? É estranho como ele manipula tanto.

Em relação à morte que existe, não houve uma autópsia? Todo o filme é muito estranho. Todas as personagens têm o seu grau de doentias. É possível ser baseado em factos, infelizmente. É um bom filme da nossa querida Netflix, apesar de tudo.

Beijokitaz

01
Jul21

7 gestos simples e eficazes para poupar água todos os dias


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

Nenhuma descrição disponível.

 

É com um enorme prazer que afirmo que comecei o mês com a nossa querida Miss Poupança. Eu pedi à Miss Poupança  que escrevesse um artigo sobre, pois tenho aprendido muito com ela e só tenho a agradecer. Por isso mesmo, gostaria de partilhar com vocês. 

Espero que também vos ajudo, tanto como a mim.

 

Certamente que já pesquisaste todas as formas e mais alguma para poupar água todos os dias em tua casa. Afinal, além de ser importante sob o ponto de vista ecológico, reduzir o consumo deste recurso ajuda também a diminuir a fatura mensal.

Se porventura ainda consideras que os pequenos gestos são inúteis para reduzir a tua despesa com o consumo de água, então estás muito enganado! Nesse sentido, trouxe este artigo onde te mostro como podes chegar a esse nível com 7 dicas práticas e úteis. Vamos a isso?

7 gestos para poupar água todos os dias de forma simples

1. Fechar as torneiras

Embora pareça algo simples demais, a verdade é que este é um bom passo para começar a reduzir o gasto de água. Como? Simples: sempre que não for necessário ter água a correr, fecha-se a torneira. Por exemplo, sempre que se escova os dentes e não se fecha a torneira, está-se a gastar perto de 14 litros de água. Já quando se fala de fazer a barba, o desperdício sobe para os 40 litros.

De modo a reduzir o desperdício de água e a poupar ao final do mês, opta por usar um copo para lavar os dentes e por colocar ou incentivar a que coloquem a tampa no lavatório enquanto se faz a barba. Ao fazeres isto, estás a reduzir o consumo de água para, respetivamente, 1 e 4 litros.

Além das situações descritas, faz o mesmo enquanto tomas banho: fecha a torneira sempre que te estiveres a ensaboar, abre-a somente para te enxaguares e só durante o tempo estritamente necessário.

2. Optar por duches

Por falar em banhos, outra medida que funciona na perfeição é trocar os banhos de imersão pelos duches. Porquê? Porque um banho de imersão significa um consumo médio de 200 litros de água.

Por isso, além de ser mais prático, o duche ajudará a reduzir o desperdício de água, mas somente se usares a técnica de abrir a torneira somente para te ensaboares, caso contrário, um duche de 15 minutos poderá significar um consumo de 180 litros de água. Por sua vez, se optares por um de 5 minutos em que só abres a torneira para te ensaboares, o gasto reduz-se para 60 litros de água.

Mas se te apetecer tomar um banho de imersão…

Seja qual for o motivo, poderás querer tomar um banho de imersão. Embora seja pouco aconselhável, caso decidas fazê-lo, fica a saber que há forma de conseguires minimizar o desperdício de água. Como? Antes de esvaziares a banheira, recolhe toda a água e verte-a para recipientes como baldes ou garrafões de água e usa-a para descarregares na sanita (e usares pouco o autoclismo) ou para lavar varandas, pátios ou o chão da casa.

3. Aproveitar a água enquanto se espera que ela aqueça

Ainda sem sair do tema relacionado com o banho, há outra dica que te quero dar. Sabes quando estás à espera que a água aqueça no inverno? Tenho quase a certeza que não a aproveitas, algo que fazes muito mal! Mas, a partir de hoje, sei que vais corrigir isso.

Em vez de deitá-la "fora", coloca um balde debaixo da torneira. Assim, terás água para, por exemplo:

  • Lavar o chão;
  • Regar plantas;
  • Descarregar a sanita;
  • Lavar peças de roupa delicadas à mão.

Deste modo, evitas o desperdício e garantes a redução da tua conta mensal da água!

4. Reparar as torneiras a pingar

Eu sei que parece inofensivo, mas sabias que ao fim de um mês, aquelas pingas "inofensivas" acabam por se transformar no teu maior gasto na fatura da água? Por isso, não esperes mais, se tens uma torneira a pingar, trata de repará-la já! Se conseguires, desafio-te a substituí-las por torneiras temporizadoras. Deste modo, a água só sai quando o sensor deteta a presença das mãos e, mal as tires, desligam-se automaticamente.

5. Colocar uma garrafa de plástico no autoclismo

Esta é uma dica clássica mas que, ainda assim, ajuda a poupar muita água. Para isso só precisas de uma garrafa de 1,5l com areia dentro e coloca-a no autoclismo. Deste modo, estás a reduzir o volume de água usada em cada descarga, que equivale à capacidade da garrafa que colocas lá dentro (neste caso, 1,5l).

6. Usar as máquinas de lavar com a carga máxima

Se por um lado as máquinas vieram para facilitar o trabalho, por outro vieram para aumentar os gastos com água e luz se não forem usadas de forma sensata. Por isso, evita que isso aconteça contigo e aproveita-as da melhor forma! Para tal, coloca as tuas máquinas de lavar loiça e roupa somente quando tiverem com a carga cheia. Além disso, se tiveres tarifa bi-horária de eletricidade, opta por colocá-las a trabalhar nesse horário. Assim, além da água, consegues poupar na conta da luz!

7. Usar a água necessária para cozinhar

É normal cozinhar alimentos com água a mais do que o devido. Apesar de parecer inofensivo, a verdade é que este gesto não só gasta mais água, como também mais luz ou gás, uma vez que quanto mais água se usar, mais demora fervê-la. Por isso, opta por usar a quantidade necessária de água (por exemplo, até cobrir os legumes ou os ovos quando os cozes) e verás a poupança a acontecer.

No campo da cozinha, não descongeles a comida em água corrente. Muito mais do que desperdiçar água, estás a colocar a tua saúde em risco, já que as normas de higiene e segurança alimentar determinam que os alimentos devem ser descongelados no frigorífico. Nesse sentido, segue esta dica para poupares água e preservares a tua saúde!

Como vês, através de pequenos gestos consegues, diariamente, reduzir o desperdício de água e, consequentemente, a tua fatura mensal. Deste modo, salvas o planeta e as tuas finanças, sobrando-te mais dinheiro para aplicares noutras áreas da tua vida, é tudo uma questão de disciplina!

Beijokitaz

30
Jun21

EXPECTATIVA DO FILME || A VIDA QUE TU MERECES


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

A Vida que Mereces - Café Mais Geek

 

Uma Família comum que não tem dinheiro para continuar na sua habitação, mas ele insiste que aquele é o lar deles. A Esposa questiona quanto tempo é que eles vão aguentar. Ela tenta mostrar que são só paredes e eles mudam-se. 

Tem o Actor de O Paramédico. Ao que parece esse homem (o que insistiu que aquele é o lar deles) começou a ser obcessivo em relação a outra Família ( a do Actor de O Paramédico). Ele é completamente doido!

Ele está obcecado em recuperar o apartamento? Parece que para ele a Família nada vale em relação à Família que ele vigia. Há uma espécie de alcoolicos anónimos e ele refere que tem uma Filha tal como a Família que ele espia, mas a verdade é que é um Filho. Ele faz de tudo para ter uma ligação (doentia) com os novos donos do antigo apartamento. Para quê?

Parece bem sinistro e, sem dúvida, um bom filme. Espero que não sejam só aparências e que me prenda até ao final.

Beijokitaz

 

29
Jun21

SONHOS TRAÇADOS || CONTO COMPLETO


Miss L

Olá Nossos Devanienses!

 

Sonhos traçados (1).png

Capítulo 1

Estávamos no início do Verão e eu e a minha Melhor Amiga Camila combinámos passar 15 dias juntas numa casa arranjada pelo Pai dela. No meio de nenhures, claro. A Camila é uma querida, uma profissional maravilhosa, mas tem um gosto muito peculiar que não sai dela, adora aldeias. Embora tenha nascido na cidade. Ninguém é perfeito. Eu sou citadina dos pés à cabeça. Gosto da confusão e de ter tudo à mão. Porém, nesses 15 dias, o importante era esta com a minha Ca, visto que já não estávamos juntas há quase 1 ano. 

Além disso, havia uns temos que não tinha ideias para o meu trabalho e, talvez isto me ajude. Eu já estava há um mês a preparar tudo, pois sei que me vai faltar tudo, mas Camila deixou tudo para a última da hora. Ela não tinha imenda, mas como se dizia, o importante é ter saúde.

Claro que teve de ser a Camila a conduzir, pois eu mesmo tendo a carta de condução, tenho medo de conduzir. Eu bem referi anteriormente que ninguém é perfeito. Dividímos o combustível e lá fomos nós. 

Falamos de tudo e de nada. Comunicarmos por telemóvel não é a mesma coisa. Se não fosse pela Ca, já estaria arrependida desta viagem. Quando chegámos lá, não existia mesmo nada à volta. Nada. Nem um mini-mercado. A casa mais próxima era a 10 quilómetros e o mercadinho da aldeia muito mais longe, 15 quilómetros. Sim, longos 15 quilómetros. A Ca riu-se e afirmou que ainda bem que eu tinha trazido tanta comida. Eu rodei os olhos sem resposta.

Levámos tudo para dentro e mal coloquei os pés dentro daquele local, arrepiei-me e fiquei enjoada. A Camila gracejou e desvalorizou, afirmando que só precisava duma limpeza profunda. Ainda afirmou que talvez vendesse o apartamento que lhe arranjei e comprasse aquela casa, pois é exactamente aquilo que prefere. 

-Tu gostas mesmo de me irritar, Ca. - suspirei.

-Carlota, diverte-te e aproveita a natureza.

Demorámos umas seis horas a arrumar e limpar tudo. Ficamos na parte superior. Cada uma na sua suite. A Ca afirmou que nem tudo era mau nas aldeias. Uma das portas estavam fechada, pois segundo o Pai da Ca, era onde o dono tinha as suas coisas. 

Fomos para o andar de baixo, pois estávamos com muita fome. Acendi uma das minhas velas para alíviar o ambiente. A Camila decidiu que não iria comer carne, nem peixe nos próximos 15 dias. Ela faria, simplesmente, para desentoxicar o organismo. Eu sou ovo-vegetariana há 1 ano, após 4 anos como pescetariana. 

Jantámos uma salada de ovo. Depois fomos para sala ver um filme (de terror, claro, o nosso género favorito).

Fui buscar o meu computador portátil e a internet móvel (Sim, eu pedi uma só para o meu computador para conseguir trabalhar). Acabei por adormecer a meio e acordei no final. Era muito chato. Apaguei a vela. Estava mais do que na hora de irmos descansar.

 

*

 

Às 9 horas e 33 minutos, arranjei-me ( mas voltei a vestir o pijama) e comi os meus cereais. Levei o portátil, a internet e a vela para a minha querida suite. Respirei fundo e tentei escrever o artigo do dia seguinte. Sim, do dia seguinte, estou mesmo sem ideias. Contei como correu a viagem e admiti que não estava a gostar muito, tirei umas fotografias para manter a rede social activa. Vida de Blogger que tem contas para pagar. 

Agendei para o dia seguinte, à uma da manhã como de costume. A Camila ainda estava a dormir, por isso, fui beber um chá. Tirei uma fotografia com o chá e coloquei uma boa legenda. 

Fui espreitar a Ca, pois já eram quase 15 horas. Ao lado do quarto dela estava o quarto fechado. Ouvi como se tivessem a bater por dentro, mas ignorei, pois pensei que algo tivesse caído ou assim ( Não iria verificar, nem que me pagassem). A Ca ainda dormia. Suspirei. Decidi, então, beber outro chá, e ler um livro que tinha trazido e que já ia a meio. O meu primeiro livro de Camilo Castelo Branco, "O que fazem mulheres". Estava a tentar ler mais livros de Autores nacionais (para ter conteúdo, claro). Sentei-me no sofá do andar debaixo, com o chá, o livro, uma caneta (Adoro sublinhar e escrever a caneta) e o smartphone para usar como dicionário (grata pelos dados móveis). Era uma leitura diferente, visto que era de 1858. Esta era a data da primeira publicação. Dai haver palavras como objurgatória, que significa censura. 

Ouvi uns passos no andar de cima, mas devia ter sido impressão minha, pois a Camila não desceu. Ignorei. Continuei a ler até às 16 e 23 minutos. Subi para acordar a Camila, já chegava de se armar em preguiçosa. Olhei de relance para a porta fechada e estava aberta, mas quando virei para a mesma, estava trancada como sempre. Foi impressão minha.

Abri as persianas e disse que estava com muita fome. Ri-me sonoramente de forma divertida.

-Mas tu disseste que ias trazer, pois estavas quase acabar. - afirmou sonolenta. - Mas demoraste tanto que adormeci de novo.

-Sim, sim. Andas a sonhar demasiado. 

Descemos e na cozinha, tinha arroz, salada e hamburgueres de grão de bico. A Camila riu-se e declarou que eu tinha muita piada. Decídimos comer antes que arrefecesse. A Camila dizia que a minha comida estava muito boa. Não sei como, mas a Camila cozinhou enquanto eu estava a ler e estava a fazer-se de engraçadinha. 

Comemos deliciada. Porém, a cada garfada, ficava cada vez mais arrepiada e com uma sensação estranha. A meio da refeição, a Camila começou a vomitar bastante. Assustei-me e comecei a ajuda-la. Encaminhei-a para o seu quarto. Desci, fiz-lhe um chá para a ajudar a adormecer. Deixei-a sozinha e fui limpar o vómito dela. Acabei de arrumar a cozinha.

 

Capítulo 2

Passei o resto da noite a beber chá. Estava com um incomodo, uma má disposição ligeira. Nem deu vontade ler e fui descansar. Mais uma vez, pareceu que tinham batido na porta trancada do lado de dentro. Ignorei, pois deveria ter caído algo e nada mais. Estava mesmo ensonada. A noite foi agitada. Acordei toda suada. Sonhei que estava presa naquele quarto trancado. Este, pelo contrário, não era suíte. Não havia luz, nem janelas (pelo menos, visíveis). A porta não abria. Eu estava cada vez mais a entrar em pânico. Eu batia na porta e ninguém fazia nada. Ouvia-me e a Camila a conversar alegremente (foi ai que percebi que estava no tal quarto). Senti a minha tensão a cair. E depois acordei.

Tomei um SOS ( medicamento que ajuda a controlar a ansiedade nos períodos mais críticos). Tirei a roupa da cama para lavar. Peguei na vela e acendi na casa-de-banho. Tomei um duche para limpar a minha mente daquele sonho mau. Porém, acompanhou-me o dia todo.

Desci ( de pijama, claro) e fui comer alguma coisa leve. Subi para trabalhar num novo artigo. Pensei se deveria escrever sobre a "surpresa" estranha dos hamburgueres cozinhados pela Camila. Decidi partilhar o meu pesadelo. Tinha o objectivo de livrar-me dele. Fui preparar um chá, assim que acabei. Fiz duas chávenas para dar uma à Camila. Como ela ainda estava a dormir ( a sério?!), deixei em cima da mesa-de-cabeceira dela. Não servirá de nada se arrefecer demasiado.

Voltei para o quarto e li mais uns capítulos de Camilo Castelo Branco. Comecei a ler "Cinco páginas que é melhor não lerem". Camilo Castelo Branco começou por afirmar que "este capítulo mira a alvo transcedental.". Bebi o chá com uma sensação mista, não sabia se estava a gostar ou não, mas já estava na página 141. Além disso, estavam ali quase 2 semanas da minha vida. Até ao final, poderia ter algum feedback sobre o Escritor. Além disso, eu tinha do acabar para escrever um artigo sobre. Sempre precisei de conteúdo para o meu trabalho.

Fui buscar uma garrafa de vidro com chá. Fiz uma sandes de ovo com tomate, alface, tofu e oregãos. Uma grande baguete para escrever a verdade. Lembrei-me de fazer outra para Camila e embrulhei-a. Ela ainda dormia e deixei ao lado do chá. Porém, quando ia a sair, senti um arrepio e decidi acorda-la. Eram quase seis horas da tarde. 

De repente, ambas olhámos para a parede. A parede que tinha do outro lado o quarto trancado. Eu poderia jurar que tinha ouvido passos. 

-Eu ouvi passos, Ca. O teu Pai só falou isso daquele quarto? - questionei, a medo.

-Eu também acho que ouvi, mas deve ser imaginação nossa. - desvalorizou.

-Certo... - respondi, pouco segura. - Bom, estás melhor?

-Sim, claro, Carlota. 

Ela pegou na sandes e no chá, agradecendo. Também comecei a comer. 

-Lembras-te daquilo que eu disse quando o teu Pai arranjou este local? Eu nunca pagaria para ficar aldeia, mas não te vou deixar ficar com as despesas todas.

-As aldeias também têm coisas boas.

-Pois, pois. Esta noite, tive mais certezas do que disse. Tive um pesadelo horrível. Estávamos muito melhores na cidade. - fiz-lhe uma careta.

Ela quis saber que sonho mau foi esse. Eu contei. Ela afirmou que eu estava a exagerar. Estava só a desentoxicar-me da cidade, talvez. A mudança estava a assustar-me ou assim. Para não dar importância. Talvez seja o melhor.

Tirámos umas fotografias com as nossas sandes maravilhosas. Coloquei na rede social. Estar com a rede social e o Blog actualizados são muito importante para o meu trabalho. (Sim, eu não vivo do ar. É a realidade.).

Fui buscar o meu computador, a vela e internet. Desta vez, fui eu quem escolheu o filme (com o objectivo de escrever sobre). Era banal, mas não era mau. Referia que era baseado em factos. Porém, podia ser só publicidade. Era sobre um assassino que oferecia um gatinho de peluche, feito por ele, às vítimas que escolhia e depois matava-as. Todas as vítimas tinham olhos castanhos aveludados como os da Camila. Brinquei com ela por causa desse pormenor. Mesmo sem corpos, os funerais foram realizados, pois eram devolvidas partes do corpo, de forma misteriosa. A única prova de que estavam mortas. Por vezes, o coração, uma mão, um dedo, o cérebro. E os tumulos, também de forma não explicável, tinham sempre o gatinho de peluche. Por mais que algumas Famílias deitassem fora, ele voltava. Uma e outra vez. 

Quando o filme acabou, estávamos animadas. Porém, eu não conseguia ver mais nenhum filme. Estava a ficar demasiado idosa. Vimos uns vídeos engraçados de gatos para matar o tempo e fomos dormir. 

Tive o mesmo pesadelo esta noite. Porém, quando senti a tensão descer ( normalmente está a 9-6), alguém me tentou sufocar pelas costas. Acordei toda suada e assustada. Comecei a chorar de medo. Tomei o SOS a tremer. Fiquei com vontade de vomitar. Respirei fundo até passar a sensação. 

Tinha a cabeça tão pesada que resolvi dormir de novo. Comigo resultava. Acordei perto do meio-dia. Um pouco zonza, mas melhor. Preparei um chá, um litro e meio, mais precisamente, para acompnhar-me no meu trabalho.

Escrevi sobre o filme do dia anterior e arrepiei-me. Quando acabei o artigo, voltei a ler. Tinha mesmo de acabar aquele livro. Já eram quase 7 e meia quando pousei o livro e nem sinais da Camila. Fui acorda-la. Ela despertou sem animo e com uma olheiras enormes.

-Ca, vieste para aqui para dormir?

-Nem é assim tão tarde, Carlota. - rematou ela.

-Claro que não. São só 7 e meia da noite.

Ouvimos uma batida do outro lado da parede, no quarto trancado. Achamos que era algum problema na parede, por ser antigo. Não entendíamos muito de construção para dar importância ( na verdade, nada entendíamos). 

Contei-lhe que tive de novo o pesadelo e novo acontecimento. Ela desvalorizou de novo. Não passou dum pesadelo. São coisas normais. Não querem dizer nada. 

Questionei se ela queria comer algo, pois iria buscar mais chá para mim. Ela olhou para mim com um ar confuso.

-Mas tu disseste que ias fazer umas belas pipocas para vermos outro filme. Querias trabalhar noutro filme ou lá o que disseste.

-Pois, Ca... Queres pipocas é isso? Eu trouxe umas de microondas.

-Exacto, disseste que tinhas trazido.

Foi a minha vez de desvalorizar. Na cozinha já estavam as pipocas prontas. Revirei os olhos. Ela já estava a brincar demasiado. Sendo assim, só faltava o meu chá. Não tinha nenhum filme de terror no site que não tinhamos visto, por isso mesmo, escolhemos um documentário. Era sobre casas isoladas no meio do nada que escondiam segredos sinistros. Assassinados e torturas, por exemplo. Até rituais satánicos. Tudo era "permitido", pois ninguém iria desconfiar. Quem iria investigar seja o que for naquela zona? Era o sítio "ideal" para esse tipo de coisas. 

No final, já era tarde e ambas decidimos ir dormir. Quando saí do quarto dela, arrepiei-me imenso. Não deveria ser impressão minha, eu não estava mesmo a sentir-me bem naquele sítio. Estava com medo, mas naquela altura, eu não tinha a certeza. 

Tive o mesmo pesadelo. Só que em vez de me sofucarem pelas costas, cortavam-me o pescoço. Acordei toda suada e a tremer. Tomei o meu SOS. Fui tomar banho com a minha vela que estava quase a acabar. 

No final, decidi, vestir uma blusa branca e umas calças de ganga. Coloquei os meus brincos. Fui buscar o meu chá e fiz uma sandes de hamburguer de grão-de-bico, tomate, alface e cogumelos. Escrevi o artigo no meu quarto. 

 

Capítulo 3

Nem sombras da Camila. Quanto mais tempo passámos aqui no meio do nada, mais ela dormia e tinha olheiras cada vez mais profundas. Acordava com um ar cada vez mais cansado e passou tão pouco tempo. E só comia quando eu lhe incentivava. Tudo aqui estava cada vez mais estranho. 

Desci, preparei um sumo de limão, gengibre e hortelã sem açúcar e uma sandes para a Camila. Estava mesmo calor naquela aldeiazinha. "Claro que estavámos melhor numa cidade.", pensei enquanto bebia a minha bebida e subia as escadas. 

Quando toquei na maçaneta da porta da Camila, o meu corpo arrepiou-se todo. O quarto estava um breu. Fui abri a janela, de forma lenta, para não incomoda-la. 

Quando olhei para a cama dela, esta estava feita e nem sinais da Camila. Apenas um risada do quarto trancado. Estava tudo cada vez estranho. Fui para o meu quarto com o objectivo de lhe ligar. O telemóvel estava desligado. Tentei ligar de novo, pois poderia estar sem rede. Nada. Procurei nos cômodos todos, em desespero. A Camila poderia ter todos os defeitos, mas esta situação não era típica dela. 

Liguei de imediato para a Polícia. Aquela situação não tinha nada de normal. Não sabia se deveria ligar ao Pai dela ou esperar as ordem do Polícia que vinha a caminho. Estava a tremer. Sentei-me nas escadas e tentei orientar a minha mente. Fiz uns exercícios de respiração. Subi para o meu quarto e tomei o meu segundo SOS do dia. Bebi o resto da bebida que preparei. Estava muito aflita. Não entrei mais no quarto da Camila, pois tive receio que a minha ignorância sobre o assunto eliminasse alguma prova importante. Não sei. 

Senti-me tão impotente que comecei a chorar. Não sabia o que haveria de fazer para ajudar a minha Melhor Amiga. Só me apetecia abraça-la. Esperava mesmo que ela estivesse bem, que estivesse aqui comigo. Que isto fosse um pesadelo. Que isto fosse um pesadelo. Que isto fosse um pesadelo. 

 

Capítulo 4

Dois Polícias e um cão chegaram e pediram autorização para verificar a casa. Esperava que eles fossem a minha melhor ajuda. Confirmei que tentei-lhe ligar e nada. Eles pediram para abrir o quarto fechado. Informei que assim estava por orientações do dono.

Os dois Polícias entreolharam-se. Questionaram se já tinha visto o que tinha lá dentro. Informei que eram só uns pretences do dono. O cão ladrava muito para a porta. 

-Há possíbilidade da sua Amiga estar aqui? - questionou o Polícia mais baixo.

-Nã-não. - afirmei, mas arrepiei-me.

-Tem a certeza? - perguntou o outro.

O cão continuou a ladrar. Eu acenei que sim com a cabeça. Comunicaram que teriam de arrombar a porta. Por mim, não haveria problema. Só queria encontrar a Ca. seguraram o cão e iluminaram o interior. Era o meu pesadelo. Era exactamente como o meu pesadelo.

 

*

 

Encontraram vários cadáveres dentro daquele quarto. Um deles era de Camila. O corpo dela estava lá havia 6 meses. Carlota não foi para aquele local com a melhor Amiga, mas sim com um motorista, pois é verdade que a mesma tem medo de conduzir. O Pai de Camila confirmou que foi ele que arranjou aquele local para ajudar Carlota a lidar com a morte confirmada da Filha dele. Sim, eles sabiam que ela estava morte, pois receberam um coração e foi confirmado que era de Camila. O Pai de Camila pensou que era a solução para alguém tão novo, mudar de ares. 

A comida não aparecia do nada, era ela que o fazia, mas não se lembrava. A Carlota teve stress pós-traumático com um surto psicológico, por isso é que ela via às coisas das maneiras que foram descritas. 

O corpo de Camila finalmente foi cremado e as cinzas ficaram com a Carlota, o Pai dela fez questão disso. Quanto ao dono da casa, passou ileso, pois o Advogado dele fez com que arquivasse por falta de provas.  

Beijokitaz

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub