Teorias ou Manias

ANGÉLICO VIEIRA || VITÃO

Olá Nossos Devanienses!

Para quem não sabe, eu gostava ( e gosto) bastante das músicas do Angélico Vieira e adoro algumas músicas do Vitão. Eu consumo muito mais conteúdo do Brasil do que de Portugal ou de qualquer outro País do Mundo. Adoro a Cultura do Brasil, mas detesto o calor de lá. Francisca, não interessa que nunca fui ao Brasil, sei perfeitamente que no Rio de Janeiro é muito quente. A minha tensão baixa não gosta. Eu adoro a temperatura amena, Francisca. Tu gostas do calor. São gostos. Estás-me a desconcentrar. Adiante.

Produção maravilhosa traga os CheeseBurgers da Francisca e um chá para mim, sem açúcar. Grata. Um qualquer.

Como estava a escrever, eu adoro a cultura do Brasil, principalmente os Cantores e os Youtubers. Para quem acha que os Youtubers e Bloggers não fazem parte da cultura, isso corresponde à verdade no século XV, pois na altura, não existiam estas profissões. Segundo pesquisei “O primeiro protótipo da Internet veio no final da década de 1960 com a criação do Advanced Agency Research Agency (ARPANET), a primeira rede de computadores do Departamento de Defesa dos Estados Unidos.”, a fonte é Segredo do Mundo. Faz sentido que quem tenha a sua mentalidade parada no século XV não considere os Youtubers e Bloggers como profissões e cultura.

 

 

Para quem não sabe, caso o Angélico fosse vivo completaria, no dia um deste mês à meia noite e cinco,  trinta e sete anos. Ele foi registado no dia trinta e um de Dezembro de mil novecentos e oitenta e dois, mas isso é outra história. Ele morreu super novo, com vinte e oito anos e meio. Inventaram muita coisa para venderem ( é para isso que servem as revistas). Ainda custa acreditar e foi há mais de oito anos.

Outro Cantor que eu gosto de ouvir, como já referi é o Vitão. Inclusive já escrevi sobre ele. Victor Carvalho Ferreira, nascido no dia dezoito de Agosto de mil novecentos e noventa e nove, tem pouco mais de vinte e um anos. Tive conhecimento há pouco tempo do talento deste Leonino através da música que tem com a Luísa Sonza. Outra Artista que acompanho.

Angélico Vieira e Vitão. Vitão e Angélico Vieira. Ambos Cantores. Aqui começa a minha “teoria da conspiração”. Não sei se sou só eu, mas eu acho-os muito parecidos. Não digo que são a mesma pessoa, mas quem sabe um Filho perdido. É possível. Eles teriam uma diferença de idade de, mais ou menos, quinze anos. E herdou o talento e a beleza do Pai. Por coincidência, começa a sua carreira musical como o mesmo visual, cabelo comprido.

 

Resultado de imagem para Vitão

 

Como afirmei, é só uma “teoria da conspiração”, mas eu acho que têm alguns pontos em comum. Eu acho-os parecidos, tu podes não achar e está tudo bem. Talvez seja um sósia que por coincidência também tem uma boa voz. Quem sabe se daqui há uns anos não corte o cabelo ou participe em novelas ( da Globo, claro). Só esperemos que não tenha o mesmo fim.

Antes de escrever este artigo, questionei a duas Colegas se achavam que era parecidos, a resposta foi 50-50. Eu desempatei, por isso existe este texto. As parecenças estão nos olhos de quem vê e os meus são miopes com astigmatismo. Resumidamente, vejo tudo desfocado sem óculos.

 

Resultado de imagem para Angélico Vieira nos Morangos

 

Não posso dizer que são parecidos pessoalmente, pois nunca os vi ao vivo. Eu não gosto muito de ir a concertos, mas a minha “teoria” tem como base os vídeos que eles realizaram para apresentarem os seus trabalhos. Resumido: Em vídeo, eu acho o Angélico Vieira e o Vitão parecido.

São sósias? São Pai e Filho? Não sei, só escrevi com base na minha opinião ( e mipia).

Beijinhos

Sakurai

SAKURAI BAR GAIA || EXPERIÊNCIA

Olá Nossos Devanienses!

 

 

A querida Padovan aconselhou-me um restaurante de sushi para experimentar: O Sakurai. Este restaurante é com sushi feito na hora. Demora, mas é delicioso. É através do cardápio. A Enfermeira K não gostou muito por causa do tempo, mas é maravilhoso! O preço ao almoço é de 11, 90 euros e ao jantar é 15, 90 euros.

O GPS não ajuda a chegar lá. Andei às voltinhas. E até é fácil. Sai no metro de João de Deus, sobe até à BP e virá à direita. É só subir até ao final da rua.

A Enfermeira K foi trabalhar e eu continuei a comer. Estive lá umas duas horas. Comer é bom. Sushi é vida.

Tinha de acabar o ano com sushi. Para o ano há mais.

Beijinhos

Sociedade

CARTA PARA SUSU || SOCIEDADE

Olá Nossos Devanienses!

 

Ainda vida, escola, retro, tinta, tabela, mesa, estudo

 

Eu ainda não sei lidar com esta situação. O Carlos morreu, mas ele não morreu de qualquer maneira. Ele suicidou-se. Ele deixou uma carta para Susu que ninguém abriu, porque ninguém sabe quem é o Susu. Vou começar a falar um pouco de Carlos e quem sou eu.

Eu sou a Marisa, vivia com o Carlos há uns seis meses. No dia que nos mudamos, a Mãe dele abraçou-o e disse que sabia que era só uma fase. Não entendi. Carlos sorriu e fez-me olhar de “Depois conto-te.”. Basicamente, a Mãe achava que Carlos já não gostava de meninos e que eramos um casal.

Na verdade, somos Amigos e fomos morar juntos para dividir as despesas. Carlos era… porquê que fizeste isto?! Carlos era uma pessoa incrível, alegre, sonhadora, cheia de projectos e agora… Agora está morto. Teve uma overdose de medicamentos. Eu vou fazer uma coisa que não deveria fazer, mas eu tenho de entender o Carlos. Quem será Susu?! Procuramos na lista do telemóvel dele e nada com esse nome. A carta ficou cá no apartamento, no quarto fechado dele.

Entrei. Olhei para a fotografia dele. Chorei. Peguei na carta em cima da mesa-de-cabeceira dele e abri. Sinto-me tão mal a fazer isto. Não é para mim. Sinto tantas saudades dele. Ele cozinhava tão bem que me aconchegava o coração. A data é de dois dias antes da sua morte.

Querido Susu:

Eu não aguento mais. Todos esperam tudo de mim. Até a Marisa, indirectamente espera. Ela espera tanto que eu cozinhe ao Domingo. Habituei-a mal. A culpa é minha. Ela espera que eu esteja sempre lá. Isso é sufocante. A minha Mãe não aceita que goste de rapazes. Ela sonha que eu tenha Filhos com a Marisa. Ela disse que já está na altura de ser Avó, pois hoje em dia não é preciso casar para ter Filhos. Porquê? Porquê, Mãe? Porquê, todo o mundo?!

Eu não aguento mais. Tu sabes tudo que tenho passado. Passamos todas as noites. Falávamos. Sinto cada vez mais vontade de falar contigo. Sempre que posso falo tanto contigo. És o único que entende. Posso dizer que te amo. Amo-te muito, sabias? Cada vez mais. Quero estar contigo. Vou estar contigo. A Marisa diz que sou uma pessoa cheia de objectivos. Neste momento, o meu objectivo és tu. O meu objectivo é estar contigo.

Eu não aguento mais. Tudo tem de ser padrãozinho. É por isso que gosto da Marisa, ela não liga nada a rótulos. Quando lhe contei que gostava de rapazes, ela não me abraçou, como tanta gente faz, e gritou que sempre quis ter um Amigo gay. Não, ela não fez isso. A Marisa sorriu e exclamou que, sendo assim, poderíamos trocar contatinhos. Gostei dela de imediato. Desse momento a irmos morar juntos, foi um passo.

Eu não aguento mais. A minha Mãe viu no jornal que uma discoteca gay foi ataca e disse “Ainda bem que não és um deles. Eles acabam sempre mortos.”. Inventei uma desculpa e voltei para o apartamento. Fui para o banho e deixei de contar o choro. A minha Mãe disse que por gostar de rapazes acabarei morto. A minha própria Mãe não aceita quem sou.

Eu não aguento mais. Susu, fica comigo. Susu, leva-me contigo. Susu, vamos ser felizes juntos. Susu, vamos esquecer o Mundo todo. Susu, deixa que tudo fique feliz.

Meu querido Susu,

 meu querido Suicídio, eu amo-te.

 Irei estar contigo muito em breve…

 

Um abraço tão forte,

Carlos Almeida

 

Beijinhos

Saúde Mental

A TUA SAÚDE MENTAL || EM PRIMEIRO LUGAR

Olá Nossos Devanienses!

 

Saúde Mental, Bem-Estar, Psicologia, Mente

 

Quantas vezes já ouviste que a tua saúde mental deve estar sempre em primeiro lugar? Espero que em algum momento da tua vida tenhas ouvido isto. Espero que tenhas ouvi e digerido. Digerido com amor.

Este é o mês do Setembro Amarelo. O Setembro Amarela é a prevenção do suicídio. A cada dia isto é cada vez mais importante. Cada vez há mais pessoas que precisam de apoio para ser organizarem. Sim, organizarem mentalmente.

Chega a uma altura em que as pessoas entendem que o peso que têm às costas é demasiado pesado para o carregarem. Alguns conseguem dividir com muita terapia e outros vão ao limite. O que é o limite?, perguntarão.

O limite é o fim.  O fim total. O suicídio. Porquê que alguém se suicida? Porque não aguentam mais, por mim razões, e vão até ao fim. O fim deles próprios. Alguns têm apoio. Outros nem tanto. Pode uma pessoa com muito apoio suicidar-se? Pode. Pode-se sentir sozinho na multidão. Um sufoco. Por vezes, há quem ache que a solução de tudo é o fim. Depois do fim não há mais soluções. Não há terapia, não há apoio, não há nada.

Pensa primeiro em ti. Pensa em segundo lugar em ti. Pensa em terceiro lugar em ti. É difícil? Muito. Nada nos diz que a vida é fácil. A vida é uma selva. A Sociedade faz com que assim seja. Uma competição. Fomos educados assim. À pressão. Se tu explodes (dás o teu fim) as pessoas ficam surpreendidas. A grande bosta é essa. Tanta gente demasiado ocupada. Tanta gente a dizer que é uma fase. Não é.

Estás esgotado? Admite. Estás demasiado subcarregado? Admite. Não chegues ao limite.

A saúde mental é mais importante do que a física? Não, simplesmente continua desvalorizada. Há informações sobre? Há, mas muita gente foi educada de forma antiquada. Têm culpa? Não.

Muita gente ri-se num dia e mata-se no outro. Normalmente é assim. Uma capa. Quantas pessoas conheces que foi exactamente isto? O Actor Robin William. Um Actor de comédia. Muita gente pergunta-se como é possível, mas é tão típico. Enforcou-se. Acabou a sua vida e deixou-nos um legado cheio de riso. Ele tinha uma depressão severa.

Apoia quem está próximo de ti antes que seja tarde de mais. Para ti e para quem amas…

Beijinhos

Lifestyle

MARILYN MONROE || LIFESTYLE

Olá Nossos Devanienses!

 

Marilyn Monroe, Arte, Desenhar, Marilyn, Monroe, Sensual, Mulher

 

Marilyn Monroe. Foi mesmo suicídio? Um pouco estranho para ser verdade. Há muitas pontas soltas no caso. Será uma teoria da conspiração? Houveram muitas coincidências no meio disto tudo.

Havia um motivo para Marylin Monroe ser eliminada. Esse motivo era básico: Proteger a Família Kennedy e a segurança nacional dos Estados Unidos da América. Fingir um suicídio seria a forma mais fácil de chegarem ao objectivo.

Para quem não sabe, a nossa querida Marilyn Monroe teve um caso com os Irmãos Kennedy e isso seria um escândalo a quando do seu descobrimento.

A Actriz estava na casa dos trinta e seis anos quando teve uma overdose de soníferos. Norma Jeane Mortenson, conhecida mundialmente como Marilyn Monroe, sofria de depressão, já havia tentado matar-se, pelo menos, quatro vezes e era acompanhada pelo Psiquiatra Ralph Greenson (este nome é importante para o caso). Portanto, não era difícil de fazer acreditar em tal desfecho.

O Psiquiatra contratou uma Governanta, Eunice Murray (outro nome importante no caso) para a vigiar. Porque raio o Psiquiatra contrata alguém para uma Paciente?! Muito estranho.

Porém, o diário de Marilyn Monroe entre outros objectos desapareceram e os testemunhos foram contrários uns aos outros.

Segundo a versão de suicídio, Monroe foi descoberta por Eunice Murray e Ralph Greenson. Estava com o telefone na mão. Estava a falar com quem? Ia ligar para quem? Nem a típica carta de despedida. Só havia uma carta, numa agenda para o ex-Marido Joe DiMaggio, Jogador de Beisebol: “Querido Joe. Se ao menos eu puder fazê-lo feliz, terei conseguido o que há maior e mais difícil, ou seja, fazer uma pessoa completamente feliz. A sua felicidade é minha…”.

Várias coisas não batem certo. O horário da morte. A chamada para a ambulância. A inexistência dum copo quando foram tomados quarenta comprimidos.

Uma coisa é certa: A morte de Marilyn Monroe foi benéfica para muita gente.

Beijinhos

Sociedade

O VEGANISMO E O VEGETARIANISMO || PREVINEM O SUICIDIO?

Olá Nossos Devanienses!

 

Cerejas, Tigela, Rosa, Frutas, Café da manhã, Manhã, Fresco

 

É uma questão interessante, a meu ver. No sentido que dizem que somos o que comemos. Um corpo são dá resultado a uma mente sã. Temos dúvidas à cerca desse ponto? Espero que não. Se alinhamos ao exercício físico, ajuda-nos a ordenar a nossa mente. Mais a leitura, a escrita e as boas companhias. Tudo de bom nesta vida.

Como devem saber, o ser humano não é o único animal propicio a cancro. Muita carne do talho é embelezada para se vender o mais rápido possível e ninguém notar aquilo que está a comprar. Foi o caso da carne podre recheada de cartão. Foi a primeira empresa a ter essa ideia? Não acredito nisso. A Sociedade é bastante gananciosa. Caso contrário, ninguém venderia leite de vaca que só faz bem ao bolso de quem vende. Quem esteve atento na Escola sabe que o melhor leite é o materno e contra factos não há nenhum argumento.

A Sociedade está tão queimada que quase ninguém olha a meios para encher os bolsos de forma “fácil”. Metem na cabeça das pessoas coisas surreais como “Deves beber leite de vaca e comer muita carne para seres forte.”. Não, simplesmente, é algo que a Sociedade nos habitua desde tenra idade.

Está mais do que provado que ter uma dieta mais Vegan torna a nossa mente e o nosso corpo mais são. Disto é sinónimo o bem-estar psicológico. Consequentemente, se o nosso corpo e a nossa mente tiverem sãos, há menos hipóteses da pessoa pensar em suicídio.

Há muitas coisas que fazem afastar os pensamentos maus. A alimentação é uma delas. Como sabem, a carne vermelha faz muito mal ao sistema nervoso, o que não nos deixa ter uma mente muito clara, mais confusa.

Queiramos, quer não, nós somos o que comemos. Não há nada que nós possamos fazer contra isso. Sim, o nosso estilo de alimentação torna-nos mais felizes, mesmo as mentes mais baralhadas.

Segundo Miguel Sousa Tavares, os Veganos são urbano-depressivos e só comem alface. Nada de mais errado, embora a alface tenha bastante cálcio, logo por ai, não tem nada de mal. Nada de mais errado ao chamarem-lhes de depressivos. Gosto imenso do trabalho dele, mas isso não faz com que concorde com tudo que diz. Tenho os meus próprios pensamentos. Temos de ter cuidado com as fontes que nos alimentam. A industria está desesperada para provar que o leite de vaca cheio de sangue e pus faz bem à saúde humana. Porquê? Porque gera receitas. Sim, sangue e pus, se pensar bem faz sentido, as tetas são completamente sugadas, não poderia ser de outra maneira.

Mas eu que não tenho pensamentos suicidas posso beber leite de vaca e comer carne? A escolha é tua. É melhor uma má escolha consciente do que inconsciente. Sabendo os riscos que corres, podes comer e beber o que quiseres.

Mas se eu começar agora a ser Vegetariano ou até mesmo Vegan os meus pensamentos suicidas acabam dum momento para o outro? Nada é instantâneo. Não uma formula mágica para nada. Tudo leva o seu tempo, o seu ritmo. Junto com os factores que eu falei antes da leitura, escrita, uma boa companhia, sim, ajuda e muito. Muito mesmo.

Ser feliz depende de nós e de muitos factores, todos o sabemos, mas se podemos fazer coisas que aos poucos nos ajudam é bastante benéfico.

Devemos alimentar bem a nossa barriguinha. Parece estranho, mas ajuda imenso. Tudo a longo prazo pode-nos ajudar. Devemos ordenar bem os nossos pensamentos e um prato colorido cheio de fruta e legumes alegra bastante. Eu costumo dizer que me alimento para me acalmar. É brincadeira, mas tem um fundo de verdade.

E você desse lado, concorda comigo ou discorda de mim?

 

Beijinhos

entrevista

ENTREVISTA || SARA CANHOTO

Olá Nossos Devanienses!

 

Healthy Food & Me

 

  1. O que achas do Setembro Amarelo? Achas um tema útil a ser pensado?

Acho que todos os temos que, de alguma forma, disturbem e prejudiquem a sociedade e a saúde humana são úteis a ser pensados e apoiados. O suicídio é um deles. Infelizmente é cada vez mais recorrente e nunca é demais ajudar e apoiar quem se encontra em situações bastante complicadas.

  1. Achas que há alguma relação entre uma alimentação mais saudável e uma mente sã?

Completamente! Corpo e mente estão interligados, se um não estiver bem, a outra parte também não irá estar. A partir do momento em que cuidado do nosso corpo, da nossa “casa”, a nossa mente também irá ser nutrida e cuidada. Pessoalmente noto imenso! Quando me passei a dedicar mais a uma alimentação mais saudável, passei automaticamente a pensar mais em mim e, consequentemente, no meu estado de espírito.

  1. O teu estado espirito foi um dos motivos para mudares de alimentação ou, pelo menos, ajudou?

Espírito e físico. Com a fibromialgia, tanto a parte espiritual como a física foram completamente abaixo. Quando fui acompanhada por uma naturopata e com medicina quântica, fui lentamente mudando a minha alimentação e ganhando qualidade de vida. Passei de não conseguir fazer nada, a conseguir superar-me em diversas maneiras e após dois anos, ainda me estou a superar e a conseguir ser cada vez mais “normal” e capaz.

  1. Desculpa a redundância, mas és mais feliz desde que te tornaste vegan?

Sim! A primeira parte da felicidade veio com o facto de saber que estou a ajudar o planeta, a salvar vidas e a salvar-me, claro. A felicidade quanto à qualidade de vida veio depois. A partir do momento em que nos sentimos mais leves, mais autónomos e mais auto conscientes, somos mais felizes. Por isso, a resposta é definitivamente sim.

  1. Como Vegana, achas que a tua mudança de vida ajudou a tua saúde?

Sem dúvida nenhuma. Aliás, foi a minha salvação. Já não estava a conseguir ter vida de quem tinha os seus 20’s mas sim de quem tinha 80’s. Não abria garrafas de água, não conduzia, não dormia, enfim! Agora, estou na Dinamarca, a trabalhar, a aprender uma nova língua e a andar de bicicleta todos os dias. Não é preciso dizer muito mais, pois não?

 

  1. Há quem diga que os Veganos são urbanos –depressivos. Nada de mais errado, certo?

Acho que é só mais uma forma de nos tentar fazer de tontos e de que somos exagerados e que não vamos a lado nenhum. Não querendo ofender ninguém, quando sabemos que alguém tem razão, mas não queremos dar o braço a torcer, tornamo-nos agressivos e defendemo-nos. Penso que seja o caso. Todos sabem que o veganismo ajuda de alguma forma. Mas também sabemos que muitos não têm coragem e/ou força de vontade de tentar e de ver por si mesmo os benefícios deste estilo de vida. Agora em tom brincadeira, um vegano facilmente fica deprimido ao saber como as coisas são feitas ao nível da agropecuária, pescas e afins, será que é isso a que eles se referem? (ahaha)

  1. Mudar o tipo de alimentação, nem que seja o mais perto do Vegetarianos está-se a tornar mais importante de dia para dia para ti? No sentido em que as doenças mentais são as doenças mais comuns hoje em dia.

A meu ver, retirar alimentos desnecessários como os fumados (altamente cancerígenos) e os lácteos, já era um passo enorme e com o qual se veriam imensas diferenças. Infelizmente as coisas são feitas com base no dinheiro e não da saúde. Não vou estar aqui a dizer o porquê de se dever ou não beber leite e comer queijo, mas o ser humano tem tendência a reger-se pelas tradições e pelo “se outros fazem assim, então eu também devo fazer”, sem pensar realmente nas suas escolhas. Existe muita má informação e muita má intenção e, honestamente, a população poderia ser tão mais saudável sem estas duas situações.

  1. Como Blogger Vegana achas que tens uma mensagem mais profunda para dar devido ao que passamos hoje em dia, onde as doenças mentais são mais comuns?

Eu não acredito que tenho uma mensagem mais profunda. Cada um tem algo importante a dizer, cada um no seu contexto. Eu apenas pretendo mostrar que é fácil, fazível e que tem benefícios o estilo de vida vegano. No meu caso, tenho o exemplo da minha doença cronica que neste momento está controlada, sem quaisquer medicamentos. As doenças mentais não são diferentes. Corpo são, mente sã.

  1. Quais são, na tua visão, os factos chave para prevenir o suicídio?

Nunca estive nem conheci alguém numa situação semelhante, mas penso que apoio e estabilidade psicológica e emocional são os mais importantes. Hoje em dia, vivemos em constante pressão e contra o relógio. Temos de trabalhar para sobreviver, mas ao fazer isso, deixamos de ter tempo para viver, para nos nutrir e cuidar e para aproveitar realmente a vida. É um ciclo vicioso. Ao não se ter tempo, não queremos perder ainda mais a pensar no que devemos fazer para cuidar de nós, estando a alimentação incluída. Neste momento, as coisas estão feitas para se sobreviver e não viver.

  1. Que mensagem queres deixar aos Leitores sobre a prevenção do suicídio e da sua ligação com o Veganismo e Vegetarianismo?

Que para além de muitos médicos e entidades supostamente “conceituadas” não aprovarem técnicas e estilos diferentes, sejam mente aberta. Ninguém sabe tudo! Ninguém tem razão em tudo! Mas quando há evidências de algo, devemos pesquisar e tentar perceber se realmente faz sentido, pela nossa cabeça.

Existem cada vez mais pessoas que saíram do fundo do poço através de mudança no seu estilo de vida: alimentação e tempo para se cuidar (mental e fisicamente). Nós não existimos neste momento apenas para cá estarmos. Cada um tem uma função e uma infinidade de possibilidades a serem exploradas. A sociedade está decadente, mas não temos de ir atrás dela!

Aconselho que comecemos a pensar pela nossa cabeça, por fazermos escolhas a partir do que realmente precisamos e não do que devíamos precisar. Menos é mais! E o nosso corpo até é bem fácil de cuidar: repouso, comida que realmente precisa e tempo de abstração/foco.

Se te encontras numa situação complicada e sentes que não consegues sair dela, pede ajuda. Ninguém consegue viver sozinho. Somos seres que precisamos de ajuda, vivemos em comunidade. Tudo se resolve, menos a morte. Há que ser corajoso durante alguns segundos e dizer “não estou bem, podes ajudar?”. Isto aplica-se a amigos, família ou médicos. Dirige-te a alguém em quem confies e confia que essa pessoa te queira ajudar. Não é fácil pedir ajuda, é tão mais fácil fingir que não existimos e que o tempo passe, na esperança de algo mudar, mas não muda.

Não desistas de ti, tu vales a pena, acredita, mesmo que não o vejas. Força!

 

 

 

Muito obrigada por esta oportunidade, estou mesmo muito agradecida!

 

Blog: https://www.healthyfoodandme.com/

Instagram: https://www.instagram.com/sarapcanhoto/

 

Beijinhos

Sociedade

SAÚDE MENTAL || TERCEIRA IDADE

Olá Nossos Devanienses!

 

Mãos, idade, velhice, idoso, vulnerável, cuidado

 

Há pessoas trabalhadoras que se vêm, de repente, na reforma e sem a sua rotina anterior. Quantas pessoas conheces assim? Eu penso nisso muitas vezes…

Os meus Avós, mesmo após lhes serem atribuídos a reforma, continuaram a trabalhar até que o “destino” não o quis. Vamos chamar de destino para não haver chatices e desabafos…

Se a saúde me deixar, farei o mesmo. Sim, eu acho que não deveria de haver a tão assustadora “Idade da reforma”. Deveria de ser quando a saúde não deixasse ou a pessoa não quisesse mais trabalhar. Sejamos sinceros, é mais provável haver erros na execução dos trabalhos se as pessoas estão ali por estar e os erros saem muito caro às empresas.

Estou a dispersar-me…

A falta de rotina pode acabar com a saúde mental de qualquer um. Alguns casos podem piorar com a morte do conjure. Para muita gente, é uma facada tão grande na rotina. “O que vou fazer sem ele?”. “O que vou fazer sem ela?”. “O que vou fazer sem trabalho?”. Para alguns, a resposta é o suicídio. Quem os pode censurar?

Quantos idosos procuram apoio psicológico para as suas crises? Para alguns são modernices e/ou demasiado caro. Quem apoia a saúde mental dos idosos? Quem apoia a saúde mental de todos nós?!

“És demasiado velho para trabalhar!”, dizem uns com desdém. “E que tal opinares sobre a tua própria vida?! Sou demasiado velho, o tanas!”.

A nossa rotina é tão importante e tanta gente descuida. “Demasiado velho…”. “Demasiado velho…”. “Demasiado velho…”. “Está ali sozinho, é um estorvo. Já não é útil…”. Isto mata! Isto mata por dentro. Isto dói! Isto dói! Isto dói!

Eles são úteis, eles são belos, eles são únicos!

Eles são úteis, eles são belos, eles são únicos!

Eles são úteis, eles são belos, eles são únicos!

Beijinhos

Sociedade

O SER HUMANO É UM ASSASSINO EM SÉRIE || SOCIEDADE

Olá Nossos Devanienses!

 

Arma, Gangster, Máfia, Crime, Criminoso, Matar, Assassino

 

O boato mata! Sim, é verdade e ninguém o pode negar, o boato mata mesmo. Tanto isso é verdade como a existência da frase “Eu não tive culpa, eu só comentei.”. Se o boato não matasse, esta frase também não existiria. Seria bom nunca mais ouvir esta frase. Era sinal que já não haveriam boatos por ai.

Esse necessidade de falar da vida dos outros existente na mentalidade de aldeia é muito ruim. E eles animam-se mais quando inventam. Sentem-se melhores, sentem que incomodam ainda mais.

O boato é um acto bem banalizado como urinar no mar. Algo banalizado não quer dizer que seja normal.

Quantas pessoas já se suicidaram por causa dum boato inútil? Sim, todos os boatos são inúteis. O boato já matou muita gente e continuará a matar se não for travado. Fechar a boca sobre a vida alheia e não matar. Não matar por dentro e/ou por fora. O boato mata. O boato mata. O boato mata!

Ninguém envolvido no boato (sem ser o alvo, claro) se importa com a veracidade dos seus boatos. Na cabeça delas, o veneno tem de alastrar. Para eles é normalíssimo. Para eles não há consequências. Terão sempre a desculpa da frase “Eu não tive culpa, eu só comentei.”. Como o assassino de Joana, a menina de Portimão, que afirmou “Eu não lhe fiz mal, só a matei.”. Como no livro Gone Girl (Garota Exemplar ou Em parte incerta), o traidor disse “Eu nunca lhe fiz mal.”. Claro que é verdade, matar e trair é fazer muito bem. Eu chego ao final do dia muito triste, porque ninguém me matou, nem me traiu. É deveras muito triste.

Ironias à parte, este actos são tão banalizados que nunca há consequências! Porque estas pessoas nunca falam, nem inventam sobre a própria vida, porque não têm!

O boato é um grande assassino e quem dá origem ao boato é, nada mais nada menos, que o ser humano (que deveria ser humano). Sim, o ser humano é um assassino em série. Pior, um assassino em série que não paga pelos seus actos! “Suicidou-se? Que pena! Não tive culpa, só comentei e, ao que parece é mesmo verdade, senão não se mataria, não é mesmo? (ri-se)”. Eles acham piada a todos os processos do seu boato.

Falando novamente de Gone Girl (Se não leram e/ou não viram o filme, façam-no!), a Esposa Traída inventou vários boatos, aproveitou que o Marido estava a dormir para colocar as impressões digitais nele em objectos recriminatório. E o que fazer quando alguém nos faz isso enquanto dormimos? Eu não sei. Pode não ser culpado, mas há provas e contra provas não há argumentos. E a Esposa Traidora teve alguma consequência pelos seus boatos e por inventar provas?! NÃO!

Essas pessoas nunca levam com as consequências. Só as vitimas que matam sem qualquer problema. Super banal. Na cabeça de quem cria boatos (dito assim parece uma profissão) todo o seu veneno é verdade. Eu acho, pelo menos, transmitem que acreditam em tudo o que falam. Eles são felizes assim e sem os boatos sentem-se incompletos, talvez…

Parem de matar! Parem de falar da vida alheia! Parem de falar  boatos!

 

Beijinhos

entrevista

ENTREVISTA AO GAROTO || BLOGGER

Olá Nossos Devanienses!

 

Relatos de um garoto de outro planeta

 

  1. Primeiramente, poderia comentar um pouco sobre o blog Relatos de um Garoto de Outro Planeta e as suas motivações para criar ele?

R: Olá! Primeiro agradeço a oportunidade desta entrevista, de poder dar meu depoimento e divulgar meu trabalho.

 

O meu blog começou em meados de 2017 apenas em forma de página do Facebook e só no final do ano passado transformei em um site propriamente dito.

 

Esse nome veio por conta da sensação de não ser compreendido pelas outras pessoas, me sentia alheio, como se eu de fato vivesse em outro mundo.

 

O blog passou por muitas transformações, no início era uma espécie de diário virtual sobre minha vida lidando com a depressão e o transtorno bipolar. Evoluiu incorporando Psicologia, quando descobri meu amor por essa ciência, e atualmente acabou se tornando mais leve em que além de reflexões sobre questões profundas e dolorosas, também falo de assuntos divertidos como cultura pop, leitura e outros.

 

Ele é um verdadeiro reflexo das transformações da minha psique nesses anos.

 

  1. Você estuda Psicologia? Se vê como uma autoridade aos seus leitores?

R: Eu estudo Psicologia como autodidata por meio de livros já tem um tempo e tenho planos de iniciar a graduação assim que tiver condições.

 

Não me considero menos estudante por causa disso, por isso falo abertamente que sou um estudante da área sem nenhum eufemismo, independentemente de estar ou não matriculado em um curso.

 

Porém, para evitar mal entedidos eu removi “estudante de Psicologia” da minha biografia do Blogger e coloquei “amante de Psicologia”.

 

No blog, não procuro ocupar uma posição de autoridade. Eu prefiro me ver como um paciente se relacionando com outros pacientes, uma relação horizontal.

 

Conto minhas vivências enquanto portador de transtornos mentais, minha relação com bullying e traumas. Quando fui convidado para esta entrevista, comentei que gostaria de ser entrevistado como paciente e não como alguma autoridade da área de Psicologia.

 

 

  1. Porque prefere esta abordagem mais horizontal?

R: Eu acredito que quando sobreviventes dão seus depoimentos, as pessoas que sofrem com esses problemas conseguem se sentir motivadas a não desistir. Se sentem abraçadas e compreendidas, amparadas.

 

Falo por mim, nos momentos mais depressivos da minha vida, assistir vídeos de pessoas que já tinham passado por depressão e sobreviveram foi de grande ajuda.

 

Quando estamos em um episódio depressivo, a vida é tão, mas tão sem tempero, sem cor e sem perspectiva que é comum acreditarmos que jamais vamos ser capazes de ser felizes novamente. Só que isso é uma ilusão, uma ilusão causada pela doença, é possível melhorar, existem saídas!

 

Conhecer pessoas que sobreviveram a isso, mesmo que virtualmente em um blog ou canal do Youtube, acaba ajudando a nos dar esperança nesse sentido.

 

  1. O que significa para ti o Setembro Amarelo?

R: O Setembro Amarelo é uma época muito importante para mim porque eu tenho problemas de humor desde criança e tenho transtorno bipolar diagnosticado há um tempo. Na minha família esse diagnóstico é comum e também foi comum por muitos anos a negligência e a desinformação a respeito de saúde mental nesse ambiente.

 

Por conta disso considero que campanhas de conscientização são muito importantes. Elas mostram para as pessoas que elas precisam se atentar a essas questões e dessa forma salvar vidas.

 

  1. Conte-me um pouco sobre a sua relação com depressão e suicídio. Você já teve ideação suicida?

R: Sim! Eu já tive diversas vezes, mas é algo que está bem controlado.

 

Como comentei anteriormente, eu sou diagnosticado com transtorno afetivo bipolar e tenho problemas de humor desde muito jovem. Eu via a vida de uma forma cinza. Não sentia prazer em nada, não tinha paixão, eu achava que viver era isso, se contentar com um mundo de desprazeres e sem propósito.

 

Minha falecida avó achava esquisito meu comportamento comparado à outras crianças e sempre comentou que eu parecia não ter muita energia, como se tivesse algo de errado comigo. Acho que ela estava certa.

 

Esses problemas foram se agravando com o passar dos anos e precisei buscar ajuda profissional. Já faço tratamento há mais de 3 anos.

 

Quando cheguei no extremo de buscar ajuda, eu estava totalmente incapacitado pela depressão. Eu não conseguia me levantar para ir para o trabalho. Muitas vezes cheguei a faltar por não ter energia para levantar da cama.

 

Pequenas atividades se tornaram dolorosas. Desde simplesmente comer, pegar o garfo levar até a boca e mastigar, até escovar os dentes e tomar banho. Eu ia me arrastando até o banheiro e fazia tudo devagar.

 

Foi muito desagradável quando comecei a aparecer na empresa abatido e desarrumado, com a roupa amassada e cabelo despenteado. Eu não conseguia disfarçar que havia algo de errado comigo e era doloroso aparecer tão vulnerável na frente dos outros.

 

Permanecer vivo doia como se eu estivesse em carne viva. Eu já não queria mais. Eu queria acabar com essa infelicidade, esse pesadelo sem fim. Eu não aguentava mais chorar escondido e, ao acordar, ainda estar aqui.

 

Todas as vezes que eu pensei em suicídio foi tendo em mente isso: uma forma de tentar encontrar uma saída para uma vida tão sem prazer, sem cores e sem paixão.

 

Estou era incapaz de enxergar outras alternativas. Se a vida é isso, eu não queria mais viver. Não cheguei a consumar o ato porque quando cheguei próximo disso, um amigo me ligou e ficou conversando comigo por telefone durante a madrugada.

 

A depressão é devastadora porque é isso, ela vai tirando aos poucos a sua capacidade de sentir felicidade e bem estar em qualquer atividade, até que chega um momento que você se sente um morto-vivo. É uma questão de saúde que demanda intervenção e tratamento!

 

  1. Qual a diferença entre transtorno bipolar e depressão?

R: depressão e bipolaridade são transtornos de humor. A diferença é que bipolares além de vivenciarem episódios depressivos também vivenciam episódios eufóricos que são caracterizados por uma elevação muito fora do esperado e prejudical do humor, uma espécie de depressão às avessas.

 

É uma doença muito complexa com uma infinidade de sintomas, essa minha explicação é só a ponta do iceberg.

 

Eu sou diagnosticado e faço tratamento há mais ou menos três anos.

  1. Qual é a tua visão da saúde mental? Achas que ela está relacionada com suicídio?

R: Sim, está relacionada. Cuidar da sua saúde física e mental com certeza te previne de depressão e outros problemas mentais e psicológicos e consequentemente de suicídio. É uma coisa que deve ser exercitada sempre, mesmo quando acreditamos que estamos saudáveis.

 

Fazer terapia é uma coisa benéfica até mesmo para pessoas sem um diagnóstico, mas existem outras coisas que também são beneficas como ter um hobby que te deixe apaixonado e engajado, ter uma relação mais saudável com a internet, cuidar da sua alimentação, etc.

 

  1. Como podemos ajudar alguém que está a pensar suicídio através da Psicologia?`

R: A principal forma é por meio de psicoterapia. A Psicologia tem muitas abordagens diferentes, cada uma olha as questões e o ser humano sobre uma perspectiva e nenhuma delas tem uma resposta pronta para as coisas, infelizmente

 

Isso significa que o foco do tratamento para um paciente não necessariamente será o mesmo para outro. São tratamentos bem personalizados.

 

Se a pessoa sente que pode estar com depressão, é importante que ela procure um profissional de saúde mental para avaliar o seu caso (psiquiatra ou psicólogo/psicoterapeuta). Muitas vezes também é necessária a utilização de medicamentos e o tratamento mais completo e com melhores resultados combina tanto as drogas quanto a psicoterapia.

 

Tem alguns textos no meu blog com dicas que podem ajudar: dicas sobre tratamento com psiquiatra, dicas sobre tratamento com psicólogos/terapeutas.

 

  1. Um Aluno de Psicologia nunca vai querer suicidar-se ou é muito redundante?

R: Pode sim, todo ser humano está sujeito a passar por isso e psicólgoos não deixam de ser. Eles tem problemas psicológicos como todo mundo e também precisam se tratar. Aliás, é bastante indicado que psicólogos façam psicoterapia e análise.

 

  1. Sabermos mais sobre a saúde mental da nossa pessoa ajuda a que não tenhamos ideias suicidas?

R: Informação é sempre bem-vinda e pode ser uma arma poderosa de prevenção, porém é importante falar sobre suicídio de forma responsável tomando cuidado com gatilhos que podem desencadear crises nas pessoas.

 

Existe um fenômeno chamado Efeito Werther que ocorre quando um caso de suicídio é noticiado ou retratado (mesmo que de forma fictícia) e acaba incentivando que as pessoas cometam o ato.

 

A OMS (Organização Mundial da Saúde) tem algumas recomendações sobre como abordar o tema sem provocar esse tipo de coisa. Algumas delas são não divulgar detalhes do método utilizado no ato, não divulgar as cartas de suicídio, entre outros.

 

  1. Que conselho tens para quem pensa suicidar-se?

R: Pode parecer que não e você provavelmente está incapaz de enxergar, mas pode ser que haja uma saída além dessa. Existem pessoas que passaram por isso e sobreviveram, você também pode conseguir! Busque ajuda!

 

 Acesse: http://relatosdeumgarotodeoutroplaneta.blogspot.com

 Facebook |  Twitter |  Instagram |  Pinterest

 Seja um padrinho! Conheça minha campanha no Padrim