Texto Pessoal

Despeço-me da vida || PD

Olá Devanienses!
De novo, a vossa Pequena Desarrumada, está de volta e desta vez com um texto da sua autoria e espero que gostem!

   

Deparo-me a pensar no encerramento da minha vida, no dia em que morro e, independentemente da minha crença, anseio por esse dia… Estranhando este desejo de o meu sangue parar de correr, lentamente, nas minhas veias, tento recriar o anseio das pessoas ao receber tal noticia. Como será que reagiriam? Ririam-se, tomavam angústia ou morriam por dentro, como se eu fosse um pedaço delas?
Eu gostava de ver a reação de cada pessoa, ver como reagiriam e aí poder ver quem realmente me ama… quem realmente esteve lá para mim, nos bons e maus momentos. Mas, nesse momento, quando o meu corpo for preparado para tal ocasião, eu só terei um único desejo a fazer… Não chorem porque parti, mas agradeçam por ter feito parte da vossa vida. Por, simplesmente, termos sido felizes juntos em algum momento.
Infelizmente chegou a minha hora, a hora de partir da minha e da tua vida e, tirando crenças à parte, havemos de nos encontrar seja onde for.

    Apesar de não ser uma pessoa que demonstra muitos sentimentos, acredita, se te considerei como amigo ou família, é porque merecias esse cargo no meu coração e na minha vida. Antes de fechar os meus olhos, de vez, tenho umas últimas palavras para escrever.
A ti, minha Mãe, e meu pai, tenho uma única palavra… agradecimento! Agradeço-vos por terem acreditado em mim e no meu trabalho, por me terem apoiado, de me terem aberto os olhos quando eu não via. De me aconselharem e até de me esclarecerem sobre coisas, que para mim, era constrangedor, como sexo e sobre o meu corpo.
Quero agradecer-vos, também, por me terem dado uma ótima educação e por terem sido as pessoas que foram para mim, porque apesar de tudo acreditaram nos meus sonhos, por mais irrialista que fossem.
     Pai, meu caro pai, minha azeitona do mais puro azeite… acredita que a minha morte não foi em vão… que foi pela minha causa.
     Sei que não tivemos a melhor relação de todas (feitios difíceis dão choque) e há quem nos chama de ”cão e gato” e, por vezes até parecíamos mesmo, mas neste momento preciso que sejas forte por todos, por ti e em especial pela mãe, pois ambos sabemos como isto iria acabar. Não deixes que ela se parta como um espelho e que se destroce como o som da água a bater nas rochas, sê o suporte de algo que nunca foste.
     Estou a chegar aos meus últimos suspiros e só gostaria que as pessoas me tivessem compreendido mais e, que lá no fundo soubessem que a minha alma, de uma jovem aspirante, sempre carregou consigo dor, sufoco e angústia.
Pois lá no fundo sempre acabei comigo num espelho e sozinha…. aí acordava do sonho!

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || MIÚDA ONLINE

Olá Nossos Devanienses!

 

 

Já ouvi falar deste livro há anos, mas só chegou às minhas mãos este ano, como prenda, e com direito a um porta-chaves de Paris (Alusivo à Torre Eiffel). Pensei “É a minha oportunidade de o ler, embora pareça um pouco adolescente.”. Passei essa parte à frente. O que me chamou a atenção é ser sobre uma Blogger. Uma Blogger grande em termos de números. Pensei que talvez me possa inspirar.

Primeiramente, associei ao Gossip Girl, uma série que eu adoro, mas nunca acompanhei do princípio ao fim como tantas outras. Está no meu coração. Tudo isto chamou-me a atenção. Um Blog anónimo como começou o meu e de tantas outras pessoas aqui do meio.

 

E tem ataques de ansiedade. Algo também já partilhei com vocês.

“Arrastada pela Família para Nova Iorque.”. É uma das minhas viagens de sonho. Penny, queres trocar? Paralelamente ao texto, vou contar-vos as minhas viagens de sonho (Realizei a de Barcelona há pouco tempo): Lua, São Tomé e Príncipe, Milão e Nova Iorque.

Um Blog serve para isso mesmo: mostrarmos os nossos sentimentos, sem estarmos a pensar no que os outros estão a pensar. Eu faço isso n vezes como é o caso do artigo sobre a Catedral. Há quem diga que eu não deveria ter escrito, mas eu escrevi. Mostro-vos sempre a minha alma aqui e, pelo que entendi, era o que a Penny precisava.

Aliás, acho que é o objectivo de todos os Bloggers, os verdadeiros Bloggers. Há pessoas que só têm um Blog (algumas abandonado), não quer dizer que sejam Bloggers. Se dão erros ortográficos não o são. É a minha visão do meu trabalho. Tenho a ajuda indispensável da Francisca e da Produção da qual só tenho a agradecer.

Quanto à nossa querida Penny, gosto da reviravolta do boy. Vou começar a ler.

Beijinhos

 

Viagens

5 Dicas para Viajares, em Segurança || PD

Olá Devanienses!

Já tinha saudades de escrever aqui para vocês!
Esta semana estarei convosco duas vezes (quinta e domingo) e com conteúdo para vos ajudar nas vossas aventuras!
Quem segue o Pequena Desarrumada sabe que em Fevereiro viajei para Amesterdam (publicação sobre a aventura aqui) e com isso pude ver o que era melhor para se viajar e, acreditem que as coisas não são tão fáceis quanto parece. Acho que toda a organização e planeamento não chegam e que imprevistos acontecem a todos.

 

Hoje, separei 5 coisas, que acho fundamental fazerem antes de porem as malas às costas e partirem rumo ao desconhecido!

  • Pesquisa sobre o lugar para onde vais viajar,
  • Lista de todos os locais a explorar,
  • Lista de coisas a levar na bagagem para a viagem,
  • Ben-u-ron ou Brufen na mala,
  • Documentos pessoais sempre contigo e em segurança.

Vamos agora explorar cada ponto das nossas dicas.
Pesquisa sobre o lugar– este é um ponto importante, a meu ver. Um pouco de pesquisa nunca fez mal. Precisamos de saber um pouco com o que podemos contar para termos a certeza que é este o sítio que queremos ir. Desde ao tempo que se faz, na altura em que vamos; sítios importantes e com cultura histórica; que tipo de língua se fala e se o inglês se aplica; a moeda do país; pratos tradicionais e acima de tudo, o que podemos contar a nível turístico e acolhimento das pessoas que vivem lá.

Lista dos locais a visitar– já tendo decidido o destino da viagem, é super importante fazeres um itinerário do que irás fazer e explorar. É mais fácil, chegares já com tudo bem traçado do que estares lá e perderes tempo a pesquisar algo, que já podias ter feito e levado de casa. Como se costuma a dizer, um pouco de trabalho de casa, não faz mal nenhum, e nestes momentos só ajuda a economizar tempo precioso. Por isso pesquisa, faz a lista e já sabes que é menos uma preocupação nos teus ombros!

 

 

O que levar na bagagem– dependendo dos dias que fores de viagem, dependerá a quantidade de coisas a levares. Na minha opinião, quanto mais confortável e desportivo, melhor! Para além de levares os teus objetos de higiene pessoal e roupa interior, convém levares roupa e calçado confortável, porque não queres que nada te impeça de te mexeres à vontade e dores não queremos. Mas nada em exageros! Não vais levar o teu guarda-roupa atrás, porque só precisas do essencial.
Também tens de ter cuidado, em relação à bagagem de mão e de porão, porque dependendo da companhia área que fores, há exigências de tamanho que não podem ser ultrapassadas.

Ben-u-ron ou Brufen sempre contigo– quando me perguntam se é mesmo essencial ter connosco eu respondo: sim! Nunca se sabe, pode-vos dar uma dor ou até mesmo ficarem constipadas e terem febre, e não querem que isso vos atrapalhe na viagem, pois não?

Documentos pessoas– algo que é super importante e não se podem esquecer definitivamente! Os documentos para além de ser sempre precisos, devem estar sempre contigo. Teres cuidado para não perder ou te roubarem é essencial, porque não sabes quando precisaras deles!

Se tiveres estes cinco pontos, em mente, quando fores organizar a tua viagem, acredita que ela tem fortes probabilidades de correr bem e não te esqueceres nada. Uma viagem bem planeada começa com todo o trabalho de preparação, quando estiveres no destino é só desfrutares de tudo que tens à tua disponibilidade. E não te esqueças…. diverte-te!
Beijinhos

 

 

 

 

 

Técnica de Higiene e Segurança no Trabalho

STRESS NO LOCAL DE TRABALHO || BOM E MAU

Olá Nossos Devanienses!

 

Relógio De Bolso, Tempo De, Areia, Tempo, Relógio

 

No curso que estou a tirar, Técnica de Higiene e Segurança no Trabalho, tenho a disciplina de Psicossociologia no Trabalho. A saúde mental é muito importante e todos devemos estar atentos. Há dois tipos de stress:

  • O bom que dá adrenalina,
  • O mau é o que bloqueia.

Depende do modo como reagimos e como avaliamos a situação. Há o stress físico e o psicológico. Há três coisas que ajudam a gerir o stress:

  • Auto-confiança,
  • Adaptação,
  • Actualização.

 

Mulher, Face, Assédio Moral, Stress, Vergonha

 

Precisamos dum stress quanto baste na nossa vida exactamente como os barcos precisam de vento. Por outras palavras, se houver muito vento (stress) o barco (pessoa) derruba. Entendem a analogia?

Sempre houve stress no trabalho, pois o trabalho faz parte da nossa vida, mas antigamente (quando as pessoas eram menos actualizadas e informadas) era visto como fraqueza. Temos de estar atentos a estes factores:

  • as queixas dos Trabalhadores;
  • as disfunções, ou seja, viver exclusivamente para o trabalho;
  • sentir-se subcarregado, ou seja, com pressão;
  • a negatividade;
  • os sintomas desumanos, ou seja, ser agressivo com os outros, por exemplo.

 

Livros, Mulher, Menina, Estudo, Aprenda, Stress

 

Há vários factores stressantes, tais como:

  • o ambiente físico, isto é, o ruído, o calor, o frio;
  • a individualidade, isto é, não poder levar trabalho para casa, uma ausência de controlo;
  • sociais, isto é, a gestão do tempo, o ambiente. Um exemplo disso são os Chefes que gritam;
  • o trabalho em si, isto é, o papel do Trabalhador, o excesso de trabalho e a má organização.

Há quatro consequências:

  • corporais,
  • mentais,
  • emocionais,
  • comportamentais.

O bom stress é chamado de eustress.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || VALORIZE-SE, ORGANIZE-SE

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para organiza se Claudio Ramos

 

Parece que o livro não é nada chato. Li-o bem rápido. Bem rápido mesmo. Tem poucas folhas, é verdade. Quando fui a Barcelona, levei-o na mala e soube mesmo bem lê-lo.

Promete o que oferece: É prático.

Se queres rosinhas e florzinhas, esquece. Não é este o livro. Mostra a vida real como ela é. Dá dicas top. Nunca pensei na Teoria do Carrinho de Compras. Nunca me senti insatisfeita, conscientemente, por não estar cheio, mas faz sentido. No sentido, se tiver cheio, vai-me fazer sentir poderosa. Acho que nenhum Youtuber fez isso, seria uma sensação.

 

Resultado de imagem para Claudio Ramos

 

Eu sou do tempo do Escudo. Nesse tempo, dava para encher um carrinho de compras com dois mil escudos (actualmente, dez Euros, ou seja, dez dólares, ou seja, 40 Reais). O Escudo rendia muito. Agora não vale a pena voltar do Euro para o Escudo, não mudaria nada do que piorou.

Dá dicas económicas. Fala das marcas brancas. Eu sou adepta da marca branca, das marcas próprias. Com a excepção de cremes, produtos de cabelo, perfumes e nessa gama. Se me falam de água, leite de soja, cereais, gomas, chocolates e por ai, de marca branca é top. Pingo Doce, Lidl, Continente e essas marcas.

Vou dar um exemplo, o meu chocolate favorito é o After Eight. Eu amo em versão marca branca. O meu paladar não tem problema nenhuma com marcas de Hipermercado. Se falarmos de detergente da loiça, eu prefiro Fairy (Fairy, patrocina-me – Todos sabem que estou a brincar, Francisca.).

 

Resultado de imagem para Claudio Ramos

 

Como ele refere, é preciso ter cuidado com as promoções. Por vezes, é só um enche olho. Eu olho sempre, no exemplo das gomas, o preço do quilo. Aquele que tiver o preço mais barato do quilo, eu compro. Há coisas que parecem baratas porque estão em promoção ou pelo preço da unidade, e são muito mais caras.

Uma coisa que aprendi é que um frigorífico cheio consome menos.

É livro interessante e que pode mudar tantas vidas. Mostra que ser desleixado não é bom. Ele próprio é fruto do que escreve. Pelo que se lê, ele não é das pessoas que diz, mas não faz. Isso prende. Ele não promete que o livro é mágico e que basta ler que em três tempos tudo mudo. Ele mostra que leva tempo.

Quantas vezes ficas frustrada porque te prometem algo rápido e não o é? Este livro é para ti.

Beijinhos

Blogger

OS ALTOS E BAIXOS DUMA BLOGGER || INSTAGRAM

Olá Nossos Devanienses!

 

Instagram, Símbolo, Logotipo, Foto, Câmera

 

Caso vocês não saibam, temos o objectivo de chegar aos dez mil seguidores no Instagram até ao final do ano. Simplesmente pelo facto de que, desse modo, teremos mais um meio de publicidade, no caso, falo dos stories.

Há poucos meses atrás estava nos quatro mil e quinhentos seguidores. Só tenho este Instagram. Por mais que goste desta Rede Social. não tenho um perfil pessoal. O que fez com que quando dei conta que perdi quase duzentos seguidores, foi um grande golpe. É trabalho. Se forem seguir para depois deixarem, nem comecem. Foi na altura em que se falava que o Instagram estava a apagar as contas fake. Eu tinha assim tantos seguidores fake? Eu queria-me convencer que sim.

Pouco antes do meu aniversário, o meu telemóvel avariou e estive um mês (tempo que ele esteve a arranjar) sem colocar uma fotografia no Instagram. Era normal que as pessoas achassem que eu tinha desistido. Estava nos quatro mil e trezentos seguidores. Tinha de fazer algo. Algo pelo meu trabalho. Algo pela minha vida de Blogger.  Comecei a ver vídeos no Youtube sobre o tema. Estava num fase baixa. Tirei, automaticamente, da lista os lives. Por algum motivo não sou Youtuber. O conforto por detrás do ecrã faz-me bem. Pus mãos à obra.

 

 

As minhas estatísticas estavam um caos. Foi para isto que lutei. Cinco. Dezassete. Uma interação!

Aqui está o que eu fiz:

-Coloquei a fotografia mais bonita que tinha;

-Coloquei uma boa legenda ( a meu ver);

-Pus hastags;

-INTERAGI durante meia hora (Ouvi nos vídeos que os primeiros vinte minutos são importantes) – o algoritmo está sempre a mudar,

-Fugi das contas privadas. Não acrescenta nada ao vosso trabalho.

 

Não foi  milagre, foi trabalho. Foi dizer ao Instagram que a minha conta ainda está viva. Arregacei as mangas e vi o resultado surgir. Subi quase cem seguidores em três dias e todas as outras estatísticas. Pouco para uns. Uma vitória para mim.

Respondi aos comentários que foram surgindo. Retribui todos os likes ( aliás, fim uma chuva de likes a cada um). Quem me seguia, via se me interessava e colocava também uma chuva de likes. Ia às hastags usadas (Aquele nicho) e dava like às mais recentes fotografias. Ia ao feed e enchia tudo de likes. Uma maneira de dizer, ao máximo de pessoas possíveis, que estava ali. Que tinha voltado. INTERAGIR É A PALAVRA DE ORDEM. Comentei – parte que não gosto tanto – de vez em quando.  Trinta minutos após colocar uma fotografia bonita, dava os seus frutos. Poucos, mas mais do que há uma semana atrás.

Deixou de ser um perfil morto e, caso continue a fazer este trabalho, os dez mil estão muito perto. Já não parecem um utopia. Interagir no nicho muda muita coisa, aos poucos e poucos.

Peço que esta dificuldade, por agora, está ultrapassada. E vocês também estava – estão- desanimados com o vosso Instagram?

Beijinhos

 

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || VALORIZE-SE, ORGANIZE-SE

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para organiza se Claudio Ramos

 

O que esperar dum livro de Cláudio Ramos? Não sei. Nunca li nada dele. O pouco que conheço dele é como Apresentador e, confesso que nunca li o seu Blog. O pouco que sei é que, profissionalmente, é irreverente. Parece ser amante da moda e pouco mais. Já ouvi que ele é quase como o Goucha só porque é gay. Tem tudo a ver, Produção…

É o primeiro livro que vou ler dele. Por um lado, gostaria que me fascinasse como os da Fátima Lopes (outra Apresentadora), por outro dispenso mais tentações literárias.

Eu gosto de variar nos géneros literários, mais do que em livros. Eu sei que já toda a gente notou, Francisca, estou a reforçar. Foi assim que descobri que gosto de policiais. Foi através de Ellery Queen. Achava que era uma mulher. Não te rias, Francisca. Produção, alimentem-na.

 

Imagem relacionada

 

Ser bonito não define talento, mas isso não invalida que eu escreva bem. Mas se escrever bem, mais depressa trago-vos até vocês a resenha. Quer dizer, depende do tempo por causa do curso. Veremos…

Segundo o resumo da Fnac  (Que tem mais livros baratinhos. Fnac, não faz isso comigo!): Da casa à roupa, passando pela família e pelo trabalho, partilho consigo dicas, truques e, sobretudo, ensinamentos que reuni em mais de uma década a trabalhar lado a lado com a maior força da natureza, a que consegue superar tudo e vencer, a Mulher. Bem-vinda!

Ao fazer uma rubrica dedicada à mudança de visual e de estilo de vida, travei conhecimento com a realidade de centenas de mulheres portuguesas. Ouvindo-as sem preconceitos ou ideias feitas, percebi que a grande maioria tem tudo para alcançar sucesso pessoal e profissional, apenas não tem as ferramentas para lá chegar.
Foi por isso que resolvi partilhar consigo tudo o que tenho vindo a aprender ao longo de muitos anos a dar formação na área da Valorização Pessoal.
Em Valorize-se, Organize-se! a leitora vai encontrar um livro prático, que a ensina a adaptar os seus sonhos à realidade, sem que isso signifique perder brilho ou criatividade. Um livro onde a realidade do dia-a-dia anda de mãos dadas com energia positiva. Um livro onde todas as soluções estão verdadeiramente ao seu alcance.
O pensamento positivo não lhe resolve a vida, mas pode ter a certeza que a organização diária a torna mais feliz. Sendo feliz, sente-se mais valorizada, e isso depende muito da forma como encara o dia. Porque feitas as contas, o tempo é o que se faz com ele.

 

Resultado de imagem para organiza se Claudio Ramos

 

Gosto dum ponto: Tem um publico alvo, as mulheres. Eu gosto disto. É centrado num nicho e refere quem é esse nicho. Se alguém de fora quiser ler, é outro ponto. Escusam de dizer “Este livro é para todos!”. Esquece, não o é. Casa um tem o seu género.

Gosto que ele refere que o pensamento positivo por si só não resolve nada. De que serve o pensamento positivo se não se passa à acção? Cai do céu só porque somos positivos?

Beijinhos

 

 

Sociedade

TRATAREM POR SENHORA || “MAS EDUCARAM-ME ASSIM!”

Olá Nossos Devanienses!

 

Com Raiva, Gritar, Emoção, Boca, Arma, Rude, Odeio

 

Pessoalmente, detesto que me tratem por senhora. Na minha visão, não passa da maneira politicamente correcta de tratar por velha e eu sou bastante jovem. Normalmente, quem usa esse termo são as pessoas mais velhas do que nós. Que sentido tem? É para se sentirem jovens? Eu nunca trato por senhora a ninguém. É um termo muito pesado.

Eu digo sempre que é um termo que não gosto. Se não gosto, se não acho apropriado, digo e pronto. Há quem respeite e há quem não respeite.

“Mas foi assim que me educaram.”, é o que a maioria usa como desculpa. E que culpa tenho disso? Se eu estou a dizer que não gosto, só tem de respeitar e não tratar desse modo. Simples.  Se você foi educado a fazer chichi no mar, eu tenho culpa? Não é educação. O que é banal, nem sempre é normal. Se tu foste educado a cuspir para o chão, que culpa tenho eu? Se tu foste educado a assistir Touradas, que culpa tenho eu?

 

Homem Irritado, Ponto, Dedo, Índia, Com Raiva

 

-Mas você não é uma senhora?, perguntam espantados.

-Não, sou jovem. É meio óbvio.

Sabem o que são pleonasmos? “Velha senhora”, “Subir para cima”, “Descer para baixo” e por ai vai. Conforme podem ver neste site:”Pleonasmo é uma figura de linguagem usada para intensificar o significado de um termo através da repetição da própria palavra ou da ideia contida nela.”. Mas há um tipo de texto que gosto imenso “A jovem senhora anda correndo numa noite clara num dia de Verão gélido. Sim, aquele Sol intenso era congelante.”.

 

Angry, Man, Seated, Audience, Member, Irate, Anger

 

Não seria preciso pedir para respeitarem, como não não era preciso haver uma lei para por o cinto de segurança. Vou dar um exemplo: Há uma pessoa com dois nomes e gosta de ambos, por isso decidiu que o primeiro seria para a Família e Amigos e o segundo para a vida profissional. Uma Colega soube o primeiro nome e passou a trata-la dessa maneira.

-Mas não te chamas assim? Qual é o problema?

-Foi por esse nome que me apresentei?

-Não, não foi.

-Se não foi, só tem de respeitar. É difícil de entender? Esse nome é para a Família e Amigos. Faz parte de alguma dessas categorias da minha vida?

Também há aquelas pessoas que dizem para dizer os dois nomes e as OUTRAS pessoas escolhem qual querem usar. Bom, mas os nomes são da pessoa ou das outras pessoas?

 

Criança, Educação, Medo, Terror, Violentos, Supressão

 

 

Se não lhe ensinaram, ainda vai a tempo de aprender: Quando alguém diz para não tratar de tal maneira, não se ria, não se justifique, apenas respeite.

Por outras palavras, isto pode ser usado com outros termos: Querida, meu anjo, bebé e por ai fora. Se o receptor diz para não chamar, não chama. É difícil? Não existe “Mas educaram-me assim”. A outra pessoa não tem culpa disso. “Mas chama-se respeito”. Se eu, como receptora, não gosto, não é respeito. A sua liberdade acaba quando começa a do outro. Não se chama respeito, se a pessoa se sente ofendida.

Respeitar, para si, é tratar a outra pessoa de modo que a ofende? Ser educado, para si, é a outra pessoa dizer que não gosta de ser assim tratada e você continuar? Ser educado é justificar com “Eu fui educado assim”? Se você fosse educado que a violência resolve tudo, a outra pessoa teria de levar com isso? E se você fosse ensinado a resolver as coisas gritando e insultando? E se você fosse ensinado que as crianças devem seguir a tradição de fumar no Dia de Reis?

 

Laptop, Mulher, Educação, Estudo, Jovem, Computador

 

 

Há um limite. Há um limite para tudo. Aprende todos os dias quem quer. Eu não tenho de aceitar algo só porque você foi educado assim.

Em conclusão, não é porque em casa te dizem que é correcto que passa automaticamente a ser. Não é por te dizerem em casa que não faz mal que passa automaticamente a ser assim. Simultaneamente, se eu lhe disser que não quero levar com o seu fumo, você não tem de me dizer “Mas o meu Pai fazia isso e ninguém morreu.”. Não há “mas”! Engula o “mas” e respeite. Não insista. Não se ria. RESPEITE! Não quero saber dos seus “mas”. Estou-me a marimbar para os seus “mas”. Está-me a incomodar. Ponto final, parágrafo.

Se me chatearem muito, bloqueio. Não tenho de aturar a má educação alheia. 

Beijinhos

 

Resenha

RESENHA DO LIVRO || AS NOVE VIDAS DE DEWEY

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para as nove vidas de dewey

 

Eu amo gatos. É o meu animal favorito. Tão independentes. Foi o que me chamou a atenção neste livro. Livro esse que já devo ter há um bom tempo no meio dos meus mais duzentos livros por ler (Tenho mais de quatrocentos). Sou a Louca dos Livro, além da Louca dos Signos.

Eu juro que já fui menos controlada. Eu proíbo-me de ir a Lojas de livros e corro das promoções. Isso ajuda muito. Cai em tentação? Cai em tentação, mas não tanto. Tenho mais de duzentos livros para ler, conscientemente não me faz sentido ter mais sem ler esses. Inconscientemente é outra história.

Ler é bom. Faz parte da vida. Faz parte da evolução. Emprestar, já é outro plano. Só empresto a quatro pessoas, pois já estou muito, mas muito escaldada. É triste quando a pessoa é ensinada a não devolver o que lhe é emprestado. Sim, faz parte da educação de cada um. Eu jogo muito sentimento nas coisas e custa-me quando não me devolvem.

 

Imagem relacionada

 

Fiquei rendida às várias histórias. Não li o primeiro, mas não influenciou em nada. Se acho importante ler o primeiro? Sem dúvida, mas já referi anteriormente, que não conto com isso tão cedo e quase detesto receber livros como prenda. É um sentimento agridoce. Amo livros, mas ter mais deixa-me com um sentimento ruim “E se eu não conseguir ler todos?”. Por vezes, desejo levar os livros comigo quando morrer. Seria top.

A parte final confundiu-me ao início. No começo da segunda parte. Depois vi que a Autora se chamava Vicki. Sim, eu raramente sei o título e o Autor. Quando me perguntavam o que andava a ler, respondia sempre “Um livro sobre a vida de gatos.” ou “Um livro sobre gatos.” ou algo parecido. Se for dos meus Autores favoritos é mais fácil lembrar-me. Francisca, achas mesmo que se esqueceram quais são os meus quatro Escritores favoritos? Vamos relembrar: Stephen King, Sophie Kinsella, Guillerme Musso e Federico Mussia.

Achei as histórias bem marcantes. Os animais de estimação marcam-nos tanto, mas tanto. São parte de nós. Bem, para alguns não, mas passemos à frente.

 

Resultado de imagem para as nove vidas de dewey

 

São mini contos ou mini histórias apaixonantes. Mostra que o Mundo não está perdido. Ainda há quem sinta amor pelo próximo. Sim, pelo próximo, porque o ser humano também é um animal. Alguns mais racionais do que outros.

Aconselho vivamente cada linha. Cada momento. Cada episódio.

Beijinhos

 

Apresentação

Dei de cara com um Trouxa || PD

Olá Devanienses!
Eu sou a Pequena Desarrumada e vou colaborar com a Miss L, todas as quintas-feiras à hora habitual, ou seja, publicações todos os dias à 01h, inclusive os meus!
Quero dar-vos a conhecer um pouco sobre mim e a minha visão perante o mundo, então deparo-me com um pequeno problema… qual seria o primeiro tema a abordar? Ideias não me faltam, mas queria trazer um especial! Não só para poderem ver do que sou capaz, mas também como sou a nível de valores, e ontem dia 23 de Maio aconteceu-me uma peripécia e decidi começar com algo que aconteceu comigo, mas sei que não sou a única!

Hoje quero falar, em especial, com o público feminino…
Nunca vos aconteceu, estarem no meio da rua, ou num sítio publico, e terem um grupo de rapazes ou até mesmo um homem só a olhar-vos de cima abaixo ou a fixarem-se a vocês, deixando-vos assim desconfortáveis?
Pois bem… isso acontece-me, muito frequentemente, no meu dia a dia no Porto! Mas aí perguntam-se… ”o que isso têm a ver com o que nos vais contar hoje?” Simples!
Digamos que eu sou feminista a 100%. Sou daquelas mulheres que luta pela igualdade e que quer acabar com as injustiças neste nível e não só. Então, eu não tenho o mínimo receio de mandar alguém bugiar ou de dar um murro a um homem, e só daí já podem imaginar o meu feitio e a minha maneira de ser.

Dia 23 estava um belo dia e a Nádia andava pelo Porto, até se esbarrar contra um rapaz, que deveria ter no máximo 25 anos. Pedi desculpa e continuei o meu caminho. Fui fazer o que tinha a fazer e na minha hora de almoço, vim à baixa passear. Até que a minha melhor amiga, teve a brilhante ideia de irmos ao StarBucks bebermos uma bebida gelada, até aí tudo bem, pensava eu!
Quando entro dou de caras com quem mesmo? O tal rapaz de manhã, que por sua vez, a cara não me era estranha!
Sentamo-nos numa mesa e meia hora depois, sentimo-nos observadas. Quando demos conta, esse mesmo rapaz e o seu grupo, passaram de uma mesa da ponta do café para a mesa ao nosso lado (nada assustador, diga-se já de passagem). Ficamos um pouco sem jeito, mas não nos deixamos incomodar, mas as coisas não ficam por aí! Eu pareço que trago sempre sorte para o azar ou para coisas avarentas, sei lá…

Quando íamos quase a levantarmo-nos da mesa para sair, eu olho para a minha carteira e vejo um deles com a mão lá dentro. A minha reação foi só de dar um estalo ao gajo, quando reparei eles fizeram uma roda à nossa volta e começaram a tentar agarrar-nos. Por sorte, os funcionários vieram à nossa beira ajudar-nos e o gerente perguntou o que se passou. Explicamos tudo e quando ele foi confirmar a história às câmaras de vigilância, não só poderam ver que eles nos estavam a roubar, como já tinham tirado quase 500€ da caixa, sem ninguém dar fé.
Consequentemente, a polícia foi chamada ao local e, quando estava a dar o meu depoimento, ouço um deles a chamar pelo rapaz.. e por meu espanto esse rapaz era o meu EX NAMORADO!!!
Resumindo… este terror. Para além de ter péssimo gosto para pessoas, o meu ex ainda teve a lata de fazer o que fez e eu continuo a perguntar-me como é que isso é possível! O amor é uma coisa tão linda e, por acaso eu tinha ficado super amiga dele, mas pelos vistos isso não vale nada, quando o assunto é dinheiro e assédio!

Espero que tenham gostado

 

Nádia Matos,
autora do Blog Pequena Desarrumada