Sociedade

CRIANÇAS QUE DORMEM DE MAIS || PEDINTES

Olá Nossos Devanienses ( E Queridas Crianças )!

 

Resultado de imagem para Pedinte com criança a dormir no colo

 

Esta imagem é muito conhecida do nosso dia-a-dia Mulheres que pedem dinheiro, normalmente na saída do Metro, com uma criança a dormir no colo. A dormir durante horas. A dormir durante horas, mesmo com o barulho que lá existe. Como assim?! Já te questionaste como é possível? Quem são aquelas crianças? Porquê que estão ali? Porquê que nunca acordam?

A verdade é muito chocante. Alguns daqueles bebés e crianças não vão chegar ao final do dia com vida. Alguns dele são roubados. Não passa duma rede de luxo e para eles mais uma criança morta é indiferente perante o que eles podem ganhar com elas num dia.

Não possível uma criança dormir durante tanto tempo com tanta agitação. Acreditem que o pior não é roubarem a criança. Infelizmente, isso não é o pior. O pior é que fazem com elas para estarem inconscientes. Sim, elas não estão a dormir, estão inconscientes. INCONSCIENTES!

 

Resultado de imagem para pedir esmola

 

Crianças e bebés dão mais dinheiro. A verdade é essa. Quem viu “Quem quer ser Bilionário?” sabe que eles são capazes de qualquer coisa para ter dinheiro. Cegar as crianças, era uma das coisas.

As crianças e os bebés estão inconscientes no colo das pedintes, normalmente ciganas, porque estão drogadas ou deram-lhes vodkaTudo pelo dinheiro.

Porque isto dá dinheiro. Arrumadores de carros recebem por dia entre trinta a cinquenta euros, às vezes mais. É a sociedade que temos. E os dito mais ricos sabem como usar a nossa mente sem olhar a meios.

Beijinhos

Prémio

PRÉMIO DO PROJECTO || BEATRIZ MATOS

Olá Nossos Devanienses ( E Querido Prémio )!

 

 

Queridos CTT acho que andam a exagerar na vossa competência. Não exagerem tanto. Por gentileza. Se conseguirem, claro. Se forem tão competentes por gosto, tudo bem. Desde que as coisas cheguem todas a casa, já é pedir muito. Sim, a embalagem chegou assim. O coração doi. Fica a dúvida se tem tudo. Aliás, era um Prémio Surpresa. Não dá para saber.

Realmente fiquei muito triste com a situação. Não é a primeira vez. Atrasam-se. Não chegam ao destino. Não tocam à campainha. Não deixam o papel para levantar a encomenda. Só competência. Uma salva de pés para eles.

Citando a querida Beatriz Matos ” É horrível o serviço e é inademissível as encomendas chegarem assim.”. Sublinho e coloco a negrito. A Francisca também.

 

Foto de Miss L.

 

Falando do Prémio Surpresa (Melhor parte), amei de paixão. Só tenho de agradecer novamente. Porém quando vi, fiquei um pouco… Já tenho uns oito balsámos. Sim, estou bem protegida. Quanto ao gel de banho, a minha colecção agradece bastante.

FIQUEI MESMO CONTENTE. Nem a incompetência dos CTT deixou que esta felicidade diminui-se.

 

 

Este Prémio foi dum concurso realizado pela Beatriz Matos que se denominava As Máscaras do Dia-a-Dia na Sociedade. O meu texto foi o vencedor. Fiquei mesmo feliz! Não é todos os dias que os nossos textos que escrevemos com tanto carinho ganha um prémio. E que prémio! Quase uma Prenda de Anos, pois chegou em Maio.

A outra menina, a Joana de vinte e um anos, também escreveu um bom texto. O que deixa ainda mais feliz. Ambas somos vencedoras. Ambas cumprimos. Ambas escrevemos com alma.

 

para o post da joana silva.png

 

Irei falar sobre a escravidão. Na minha opinião nunca havia de ter surgido. Acho que houve por todo o mundo muito sofrimento e em muitos outros países ainda existe. Terá iniciado no Brasil. Os colonos portugueses escravizavam os índios, ainda assim a oposição religiosa dificultou esta prática. Partiram para as suas colônias em África e trouxeram os negros para trabalhar em engenhos de açúcar. Trabalhavam também em minas de ouro. Executavam as tarefas mais duras e perigosas. A maioria recebia péssimo tratamento. Comiam alimentos de péssima qualidade, dormiam na senzala e recebiam castigos físicos. O transporte no Brasil era realizado em navios negreiros que apresentavam péssimas condições. Eram vendidos como mercadorias. Não podiam praticar a sua religião de origem africana, nem seguir a sua cultura. As mulheres foram escravizadas e executavam, principalmente atividades domésticas. Acabou no Brasil em 1888.Depois de tanto tempo é complicado pensar que poderá ainda existir. Pior é que existe porém de forma “disfarçada “, praticada através do “gato” promessas falsas feitas pelos patrões de salário e bom modo de vida que os trabalhadores não terão. Dada a situação era importante irradicar este problema. Todos tem direitos e devem poder usufruir como todos. Esperemos que acabe pois não me orgulho que exista.

 

Foto de Joana Silva.

 

Este subtema escolhido pela Joana faz doer os rins. Não só os rins, todos os órgãos do corpo. Para a nossa própria saúde mental, mais vale “ignorar”. Exactamente como aqueles que comem carne humana. Sim, também existe canibalismo. No Tinder também. Uma maneira simples. NÃO SE DEVE CONFIAR NA INTERNET!

A sociedade é muito estranha.

Outra coisa, se não sabes o que é o Tinder, não interessa. Tem pelo menos uma pessoa lá que come carne humana. Chamei de pessoa? Vamos passar à frente. Talvez esse ser esteja a escrever-te neste momento. Pensa nisso.

Beijinhos

 

 

 

 

Teorias ou Manias

UM POUCO DE EDUCAÇÃO || POR GENTILEZA

Olá Nossos Devanienses ( E Quem Tem Educação )!

 

Resultado de imagem para Respeito

 

Para começar, há pessoas que não sabem distinguir “Educação” de “Formação”. A Educação vem de casa. A Formação vem da Escola. Esperamos que a partir de agora seja claro. Os Professores têm de Formar o aluno ( se ele quiser) e não educar.

Quantas vezes segurou a porta para alguém passar e essa pessoa nem um agradecimento deu? Para ela, é a sua obrigação segurar a porta para ela passar. Normalíssimo. Dá vontade, de espetar a porta na cara, pode ser que fique agradecido. Depois iríamos ter problemas com a Polícia e teríamos de pagar a assistência médica. Resultado: Iria continuar a rir-se de si. Ser mal-educado, infelizmente, não é crime (Nem escrever mal, acto que ofende a Língua Portuguesa).

Há pessoas que não têm no seu vocabulário “Obrigada” (Ou “Obrigado” se for homem ), “por favor”, “desculpa”. E só dizem contrariados e nem assim. A Sociedade está cada vez pior. Cada vez mais mal-educada. Infelizmente, é esta a verdade. Escusam de dizer que é falta de sapatadas quando eram novos. Isso nunca foi bom para quem recebe. Nunca foi bom receber um estimulo negativo. Há pessoas que levaram essas mesmas sapatadas e são super mal-educadas e resolvem tudo com violência. E há quem nunca tenha levado uma e até razoavelmente educado.

 

Imagem relacionada

 

E nos transportes públicos é uma má educação que não se aguenta. Principalmente no Metro do Porto. Entram no metro e perdem a noção de espaço pessoal. E ainda se acham com razão. Depois há pessoas que preferem ir na parte de fora do metro ( Estamos a ser irónicas). As coisas são simples: Não conhece a pessoa ao lado, não se encosta. É simples, não é? Digam lá em coro que é simples. Lindos meninos! São mesmo os melhores! A próxima imagem esperemos que seja muito útil para quem adora está colado a desconhecidos:

 

Resultado de imagem para Espaço pessoal

 

Infelizmente, só aprende quem quer. Esperamos que o Metro do Porto, um dia, seja como o de Lisboa. Esperamos, sinceramente. Sem muita esperança, claro.

E nas lojas também o caos da má educação. Chegam à loja um minuto antes de fechar e saem meia hora após o fecho sem levar nada. Ainda fazem aquele ar de gozo como quem diz “É a sua obrigação”. E se a funcionária diz alguma coisa, ficam super ofendidos e algumas até fazem queixa da funcionária e só ficam contentes se ela for despedida. Porque elas querem por o pão na mesa, mas os outros não podem.

“Se não me quer atender, vá-se embora. Há muita gente que quer trabalhar.”. Como fizesse parte do trabalho “Aturar a má educação dos clientes e estar horas extras sem receber só porque o cliente se lembrou de entrar cinco minutos antes do fecho.”. Deve estar no contracto. Não, o cliente não tem sempre razão. O cliente não tem o direito de brincar com o trabalho do funcionário e pensar que é rei e senhor. “Sou eu que pago o seu ordenado, não sou obrigado a ser bem educado.”. Sim, é obrigado a ser bem educado e não, não paga o ordenado.

 

Resultado de imagem para cliente mal educado

 

Deveria ser mais caro para quem é mal educado. Ninguém tem de levar com a sua má educação! 

É por isso mesmo que detesto dar informações na rua. Por vezes são perguntas que estão a resposta à vista. Incomodam e nem um “Bom dia”, nem “Obrigada”. É a sua obrigação dar a informação. Detesto coisas unilaterais. Se a pessoa está a ler é quando vêm incomodar. Na cabeça deles, ler faz mal e é perda de tempo.

Já me aconteceu estar na Estação de Comboios e virem ter comigo quando eu estava a ler para perguntar se aquele era o lado do comboio que ia para São Bento. Nem um cumprimentos, nem por favor. Adivinhem só. A resposta estava na placa a frente. Saturante. Aquele gostinho de incomodar. E era uma pessoa que sabia ler. Eu digo logo “Não sou de cá.”. Até na minha terra, o Porto. Até quando me perguntam as horas a resposta é a mesma. Sei lá se é um assalto. Pior, é pedirem informação e ainda tocarem no ombro ou no braço. Sinto-me mesmo incomodada. E por vezes perde-se o transporte com esta brincadeira. O metro não espera por um minuto. Irritante.

 

Resultado de imagem para cliente mal educado

 

Beijinhos

 

 

Sociedade

NÃO SE PODE DIZER || ESCREVER ERRADO

Olá Nossos Devanienses (E Para Os Que Dizem Quando Está Errado )!

 

Imagem relacionada

 

O Facebook é uma grande fonte inspiração. Negativa, mas não deixa de ser uma inspiração. Vi uma publicação que referia o seguinte: “Fasso limpezas na zona ( insira uma zona ) a (insira um valor) a hora”. Quase me doeram os olhos. Descobriram os erros ortográficos e de construção frásica da citação? Parabéns, tens um lugarzinho no Céu.

Desejei de imediato que inventassem os Alienígenas para me levarem daqui para fora, porque não se aguenta. Houve quem dissesse que a pessoa em questão não era formada. Infelizmente, hoje em dia dar erros ou não, não quer dizer nada. Visto que há uma Engenheira a escrever “peneu”. É real. Portanto, lá por escrever errado, não quer dizer que não tenha um curso superior. Nem o facto de fazer limpezas a impede de ter um curso superior também.

A pessoa que fez a publicação, por ter sido referido que tinha erros, reagiu da seguinte maneira: disse que praticamente a chamaram de burra, que estavam a por em causa o seu trabalho, que era falar mal, que estava a ser ofendida e que a culpa era do país. Tudo com erros, claro está.

 

Resultado de imagem para Escrever errado

 

Vamos por partes. Ninguém lhe chamou de burra, nem de abécula, muito menos de anta. Quem escreve errado, chama isso a si próprio se não quiser corrigir. Quem estava a por em causa o seu trabalho foi ela própria devido ao anúncio cheio de erros. Dizer que está mal escrito e com a frase mal formada, não é falar mal, é referir factos. Quem estava a ofender era ela. Estava a ofender a Língua Portuguesa (isso deveria ser considerado crime). A culpa não é do país se a pessoa escolhe escrever errado. A partir do momento que sabe que está errado, tem duas opção de beneficio próprio: corrige ou não corrige. Isso distingue muita gente.

Esclarecidos até aqui? Digo bastante e volte a referir que hoje em dia só aprende quem quer. Quem escreve mal hoje, pode ser a pessoa que escreve bem amanhã. Basta querer escrever bem. Há quem não queira escrever bem. 

 

Resultado de imagem para Escrever errado

 

Se alguém está na pior escola da aldeia e é considerado aluno de mérito, temos de ver as coisas no seu contexto. O resto da turma escreve, por exemplo, “chatiado”? Então, vemos por aqui que afinal o tal aluno de mérito pode ser um aluno razoável, porém está inserido numa turma mediocre o que faz com seja destacado. Visto que se estivesse numa escola normal seria um aluno mediano. Não há mal nenhum em ser mediano. Há mal em escrever mal. Escrever o futuro do Novo Acordo. Vamos falar a sério, o Novo Acordo já é uma autêntica bosta, não vamos piorar mais.

Podemos não saber fazer mais nada na vida, mas escrever bem e ler bem são as coisas minimas do ser humano.

Não possível escrever “geito”, “apartir”, “nada haver” e não ser de propósito. Recusamos a acreditar. Como assim? É triste.

 

Resultado de imagem para Escrever errado

 

Não há necessidade de, em pleno século XXI escrever errado. Tem milhões de formas de aprender. Realmente, só não aprende quem não quer.

Não é possível praticar um autêntico terrorismo ortográfico e não ser de propósito.

A pessoa escreve bem se quiser, não importa a escolaridade. Há pessoas com o nono ano que escrevem correctamente porque quiseram aprender a escrever direito e há pessoas com o doutoramento que escrevem mal porque não quiseram aprender a escrever direito. Não é preconceito linguístico, é falta de vontade individual. Falta de vontade de saber escrever. Não há desculpas para escrever errado. Valoriza-te!

Beijinhos

Teorias ou Manias

COISINHAS DA SOCIEDADE || TEORIAS E MANIAS

Olá Nossos Devanienses ( E Coisinhas Sociais )!

 

Resultado de imagem para Zona de Conforto

 

Há pouco tempo estava a falar uma Blogueira muito querida, a Martinha sobre a sociedade em geral. A sociedade inventa mil e uma desculpas para não sair da Zona de Conforto que têm. São desculpas esfarrapadas para não evoluirem. Um dos casos é a EDP. A luz é a mesma. A assistência é a mesma. A EDP foi vendia aos chineses. Logo, é uma direcção diferente, umas regras diferentes. É normal.

Porém, parece que têm amnésia. Dizem desculpas do género ” Já estou habituado à EDP. Sou cliente há mais de vinte anos.”. Sim, estavam habituados à EDP Universal, a empresa portuguesa. A EDP Universal não é a EDP Comercial. Não é. A empresa aproveita-se. O povo reclama, mas não arreda pé da empresa. E a empresa aproveita-se.

Depois dizem que as outras empresas de electricidade, até as portuguesas, são novas. Comparadas com muita gente são novas. Não é que as pessoas tenham de mudar. A luz é a mesma como já referi. Não há uma luz mais brilhante num fornecedor e mais baça noutro. Não. Simplesmente, se só o preço varia, a escolha do mais barato deveria ser a escolha. Digo eu que prefiro gastar o dinheiro em comida.

 

Resultado de imagem para Não aos vendedores porta a porta

 

A sociedade inventa desculpas para não sair da zona de conforto. Nem têm de ter o trabalho de sair de casa. Podem fazer uma simulação na DECO e de certeza que um trabalhador porta-a-porta dessa empresa vai passar por vossa casa. Vocês gostam de por o pão na mesa. Esses trabalhadores que andam ao Sol e à Chuva também gostam.

Umas das frases da Martinha que marcou foi ” As coisas estão sempre a mudar e as pessoas não podem e muitas vezes não querem estar a par dessas mudanças. A não ser que seja viral no Facebook.”. A Marta Santos tem muita esperança em relação a Portugal. Eu não tenho. É uma país que vive enraizado nas suas tradições e na sua zona de conforto. Na sua maioria claro.

Falando de nós, Bloggers, e dos Youtubers dizer que são profissões é pavoroso para a maioria. Porém, nos Estados Unidos da América e no Brasil têm a noção que são profissões. Não são profissões tradicionais e acho que é isto que choca. Acredito piamente que seja isso.

 

Resultado de imagem para Leite condensado vegano

 

Mesmo assim podemos dividir as pessoas em três grupos: As que têm humor, as que não têm humor e as que não estão numa boa fase para aceitar o humor. Isto porque, dum modo geral, eu acredito que Portugal é um país muito pessimista. Não digo que não tenham motivos. Nem está isso em causa. Porém, algumas pessoas nem podem ouvir falar de humor negro.

Outras, pura e simplesmente, não podem ouvir dizer que estão erradas que atacam logo. Fala-se que o leite de vaca faz mal. Ficam furiosas e questionam se comemos ovos como se fosse o mesmo. O meu organismo não está preparado para ovos? É isso? Que esteja preparado, ao menos, para manga e morangos.

É uma sociedade difícil, mas não é má. Têm o seu feitio. Sabem o que é bom para o feitio? Não? Imaginem, gelatina vegan do vosso aroma favorito, leite condensado vegan (é de soja) e fruta da vossa eleição aos pedaços. Fazer a gelatina e misturar com o leite condensado e colocar fruta por cima, fica divinal. Acho que ninguém fica de mau humor com comida.

 

Resultado de imagem para gelatina vegano

 

Ninguém vos obriga a parar de beber leite só porque o vosso organismo não está preparado. Há gelatina sem ser vegan, há leite condensado sem ser de soja. Eu até entendo quem se recusa a parar de beber leite de vaca. O problema disso nem é o leite, são os derivados.

As coisas mais imaginárias têm leite. Talvez seja isso que faça desistir. E se alguém diz que o leite de vaca faz mal, é logo atacado com “Lá está a moda Vegan”. Só por não consumir leite de vaca, vira-se logo Vegan? É mais fácil do que eu pensava.

Deixar de beber leite de vaca, simplesmente, já é um passo para a desintoxicação do organismo. O leite de vaca está muito enraizado no comércio. Só mesmo um Vegan para se desentoxicar a cem por cento.

 

Resultado de imagem para Frango vivo

 

Lá por eu não comer carne de frango, vocês não têm de deixar de comer. Enjoei, acontece. Digo na brincadeira que não como porque é um animal estúpido. Simplesmente, enjoei. Quem nunca enjoou em relação a uma comida? Deixei de comer quando houve aquele surto de gripe das aves. Talvez tenha sido uma desculpa, pois já não gostava de todo.

Se for regado com muito limão. Tenha simplesmente o sabor do limão, eu como. Adoro limão. Porém, o sabor a frango, dispenso. É mesmo uma questão de sabor.

Em relação ao leite, nunca achei muita piada. Antes de saber do Marketing para escoar o leite que aconteceu há uns bons anos atrás, antes de pensar “Se eu não sou uma vaca, porquê que bebo leite de vaca?”, eu bebi leite por beber. Se for por causa do cálcio, uma folha de alface tem muito mais e sabe muito melhor. Para mim, claro.

 

Resultado de imagem para leite

 

O que eu quero dizer com Marketing do leite é que numa das revoluções, havia muito leite que se iria estragar se não fosse vendido. Por isso, tiveram de inventar uma razão para o vender. A razão inventada é que fazia bem. O povo comprou todo o leite e nenhum estragou.

Se quiserem saber mais sobre o maleficio do leite, podem consultar este site. Não é de todo um meio para vocês deixarem de beber leite de vaca. A escolha é vossa. A saúde é vossa. Hoje em dia só aprende quem quer, não é mesmo? Volta a referir algo de extrema importância: o mais difícil não é parar de beber leite de vaca, é parar com os derivados. Porém, parar de beber leite de vaca ajuda imenso à vossa saúde.

São factos. Podem não passar de factos que não mudaram a vossa vida. Porém, se mudar uma vida, ficamos felizes. Sair da zona de conforto, porque não? Foi assim que descobri e adorei os livros de policiais com o Ellery Queen. Lamento que por vezes os trate (são dois primos) no feminino, pois soa-me melhor. Ao saires da zona de conforto, quase de certeza que vais cair. Porém, podes ter a certeza que te vais levantar!

Beijinhos

 

 

 

 

Teorias ou Manias

Preguiça VS Pijama || Teorias Ou Manias

Olá Nossos Devanienses (E Lindo Pijama)!

 

Resultado de imagem para Estar de pijama o dia todo

 

A sociedade não sabe de nada. Tu podes trabalhar de pijama sim! Convém só que não vás para o trabalho de pijama, de resto é tranquilo.
Se tu fores blogger, nada de te impede de fazeres conteúdo de pijama vestido. Até porque estás mais descontraída. Os posts saem melhores e mais fluidos. Eu gosto de trabalhar nos posts de pijama e não impede em nada de ser produtiva.

Eu posso estar de roupa aceitável (porque pijama também é roupa, roupa de não sair na rua) e não fazer post nenhum e estar de pijama, na minha cama ou no meu sofá, e fazer o melhor dos posts para vocês. A roupa não define conteúdo. 

 

Resultado de imagem para Estar de pijama o dia todo

 

Eu adoro trabalhar de pijama. O dia perfeito é com comida, chá, livros, um bom filme de terror e um computador para escrever para vocês. Lá porque a pessoa toma banho e veste de novo o pijama não quer dizer que seja preguiçosa. Quer dizer que a sociedade é chata. E mais uma vez a roupa nada define. Só não vás de pijama para escola ou para o trabalho. A não ser por baixo da roupa neste tempo frio.

Se estás em casa, nada te impede de trabalhar com um pijama quentinho. NADA! O pijama não é inversamente proporcional ao trabalho. Tirem isso da cabeça e da mente da sociedade. Eu posso tratar do blog de pijamas. Eu posso ver conteúdo de pijama. Ou será que a roupa de rua é que dá dicas? Dá tantas, indirectamente, como o pijama.

 

Resultado de imagem para Trabalhar de pijama

 

Há pijamas tão giros que até dão para fazer looks. Looks para trabalhar em casa. O pijama não deixa de ser roupa, simplesmente, é roupa de casa. Porém, nesse espaço, se tiveres de ser produtiva, não é a roupa que faz a diferença. Nunca fez, não faz, nem nunca fará. Pode dar um bloqueio criativo de pijama ou com roupa de rua. Uma coisa não impede a outra.

Estares de pijama o dia todo, em casa, não faz de ti uma pessoa preguiçosa. Isso é um mito muito feio.

Podes ficar descansada, minha querida colega blogger, não é o pijama que te vai impedir de fazer e ter bom conteúdo. Podes suspirar de alívio tão forte para cima do preconceito da sociedade para eles (o preconceito e a sociedade) irem para bem longe!

Beijinhos

Sociedade

Educação || Qual É O Futuro?

Olá Nossos Devanienses ( E Educação)!

Hoje em dia, fico traumatizada com a má-educação destas crianças. Contam-se pelos dedos as que são minimamente educadas.

As crianças deveriam ser educadas em casa antes de irem para a Escola. Deveria ser o básico. A Escola não educa, forma. São coisas que a sociedade prefere não distinguir.

Alguém que não tem educação nenhuma e anda pela casa dos outros como quer, não sabe ser Pai.

Deveriam fazer-se testes antes da gravidez. Evitar-se-ia muita coisa.

Pessoas que se dizem Pais e ensinam nomes feios às crianças de 2/3 anos e ainda riem-se como se fosse muito bonito, não deveria ser dado tal dádiva. Que piada tem? Só se estão a envergonhar.

O Filho só é educado se os Pais o forem. O Ser Humano vive de exemplos, nunca aprende sozinho. Os exemplos é que podem não ser os melhores. Não dá para ensinar o que não se sabe.

Quando se diz que não pode fazer tal coisa a uma pessoa de 29 e esta fica amuada e cabisbaixa, que educação dá ao Filho de ano e meio?! Que educação dá ao filho se vai pela primeira vez a uma casa e “vê com as mãos”?! Que educação pode dar se nem ele próprio é educado?!

Estou irritada? Estou irritada. Vou-me acalmar.

Fique realmente preocupada. Não era essa pessoa que iria educar o meu Filho. Era logo ” Viste o que ele fez? Faz ao contrário que estás bem.”. É triste, mas é assim.

Beijinhos

 

Sociedade

Desigualdade de Género || A Sociedade

Olá Nossos Devanienses!

 

 

A pergunta que se impõe é: Acreditamos na igualdade de géneros? Não, nunca, jamais, super impensável, impossível. Nem daqui há mil anos.

Como há coisas que há bastante benefício para os homens e zero para as mulheres, há o oposto. Não existe meio-termo. Pior de tudo são as mulheres machistas. Aquelas que apontam o dedo a outras mulheres que fazem o mesmo que os homens fazem nas calmas. “O homem pode.”. Se ele pode, nós também podemos. Não é gravidez para só um poder.

Isto vai desde o berço.

Há coisas que o homem tem desculpa quando o faz e a mulher é crucificada e vice-versa. Para quê?!

Não são precisas desculpas, é preciso saber conviver em sociedade e como Hernâni Carvalho disse sobre aquela mulher cujo o “juíz” disse que ela deveria ser morta: Quem nunca pecou que atire a primeira pedra!

São todos santos para julgarem.

Todos temos o sangue igual. Todos nos podemos completar por mais diferentes que sejamos.

RESPEITEM!

Beijinhos

Sociedade

A Solução || A Sociedade Que Temos

Olá Nossos Devanienses (E Querida Solução)!

Infelizmente, este tema é bastante actual.

Quando o dinheiro é mais importante do que a segurança, é este o resultado. Infelizmente, os incêndios dão dinheiro para quem os provoca. Outros , só o prazer da destruição é o pagamento.

Contam-se pelos dedos os fogos naturais. Infelizmente, é este o Mundo em que vivemos.

Não há justiça. A maioria são libertados. Também, como o dinheiro que devem ganhar com o seu acto, não deve ser difícil.

A solução que a maioria não quer, mas evitava os fogos naturais e dificultava os fogos postos era colocarem as pessoas que recebem rendimentos e os presos a limparem as matas. Para estas pessoas é um absurdo, pois, na cabeça delas, têm o direito de receber sem dar nada em troca.

Um cigana disse a uma colega minha que ganhava 800 euros de rendimento e por menos nem sairia de casa. Estava muito bem assim e não se imaginaria a trabalhar para ganhar dinheiro, quanto mais ter um emprego.

Como ela há muitos. Habituam-se a receber aquele dinheiro por mês facilmente e quando está a acabar desesperam por completo.

Se lhe apresentassem esta solução, achariam um absurdo completo. “Eu vou ter de limpar a mata só porque recebo dinheiro de subsídios? Nem pensar.”. Se lhe dissessem que cortariam os subsídios caso não limpassem, revolvam-se. Falo das pessoas capazes de tal acto (limpar as matas). Não das pessoas que recebem por invalidez.

A juntar a isto, deveriam aumentar as reformas.

Quem recebe comida da Cruz Vermelha e depois vende ou deita fora porque não é de marca, também deveria ir limpar as matas. Sim, porque quem recebe alimentos desta instituição, normalmente é para estes fins. Eles só dão a quem não precisa… É por isso, que quando pedem, só dou a Instituições de animais, gatos, principalmente.

Beijinhos

Sociedade

Moram na Cidade || A Mentalidade na Aldeia

Olá Nossos Devanienses!

Há uns dias estava na paragem do autocarro (sim, eu apesar de ter carta de condução e carro, ando de autocarro) e por acaso ouvi uma conversa. Não foi bem por acaso, pois quem estava a “conversar” falava alto e bom som. Não poderei falar de acasos. Contou que um homem tinha morto a mulher e depois matou-se com a mesma arma. A tal mulher sofria de violência doméstica. Fez queixa várias vezes, mas o país é assim. A outra falou como se conhecesse bem a vítima com o típico ” Eu já sabia. Avisei-a tantas vezes!”. A pessoa falou “tanta vez”, mas preferia corrigir.

Foram-se as duas embora e a que estava sentada ao meu lado perguntou-me quem morreu com um ar muito natural. Disse que não sabia de nada. Virou-se para o lado e começou a falar “Sabe o que aconteceu? Um homem matou os pais e depois atirou-se para o comboio. Estavam a dizer agora.” . Eu nem sabia se haveria de rir ou chorar. Não tinha sido nada assim contado! E a outra pessoa disse “Pois foi. O Joaquim. Soube pelo jornal. Ele andou comigo na escola. Coitado, tinha problemas em casa. Batiam-lhe. Ele estava sempre a voltar para casa. Saia e voltava. Muito triste. Ele é dois anos mais velho do que eu.”. A outra disse ” É da idade da Lúcia. Ele estava amantizado com uma mulher, mas ela depois desapareceu. Cá para mim, também a matou.” A outra concorda de imediato, dizendo que agora que está morto não se pode fazer nada. A outra entreveio logo “Eu já sabia. Eu li na Biblia que isto ia acontecer. Os filhos a matarem os pais, uma desgraça. Agora que se matou, quem é que vai ao funeral dele?”.

Eu estava chocada. A história mudou em cinco minutos e falou como se fosse a primeira vez que um filho matava os pais ou vice-versa. É o Mundo em que estamos.

E as quatro pessoas falaram como se conhecem o caso. E porquê que não apresentaram queixa? É crime público.

Eu fico espantada com o que ouço e vejo, muito sinceramente.

Beijinhos