Andar Invisível

ENTREVISTA EM GRUPO || O ANDAR INVISIVEL

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para o andar invisível

 

Foi com um enorme gosto que recebi o convite de fazer uma Entrevista a Robson Machado. Robson Machado é um Escritor do Brasil que editou um livro na Chiado Editora. Com este convite, eu e a Francisca junta-nos a Beatriz Matos do Blog Diamond e a Sílvia A. Reis do Blog O Dia da Liberdade.

Como já tinhamos lido o livro e adoramos, fez todo o sentido participar nesta iniciativa. Era a primeira vez que fazíamos uma Entrevista deste género e estavamos super nervosas. Tinhamos as quatro um pensamento muito positivo proporcional ao nosso stress. Nunca tinhamos feito uma Entrevista em grupo. Tentamos planear tudo ao pormenor. Reforço a palavra “tentamos”.

Tivemos alguns contratempos, mas o resultado foi muito bom. O vídeo seguinte está cheio de novidades e de certeza que te dará vontade de ler. O livro está disponível na Chiado Editora por apenas catorze euros. VALE A PENA!

 

 

Esperamos que gostem do nosso trabalho e se divirtam imenso com o livro.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || MANUAL PRÁTICO DE PRODUÇÃO

Olá Nosso Devanienses (E Produção )!

 

 

Devo agradecer mais uma vez à Chiado por me dar a oportunidade de ler este livro. O livro está assim, porque eu adoro ler enquanto tomo banho. É bastante relaxante. Um livro, uma caneta e muita espuma. Como o livro é encadernado fica assim na parte de baixo. O próprio papel é bastante bom, mas a água e os livros não são os melhores amigos. Mas um livro e bom banho é muito prazeroso. 

O livro é cem por centro o que promete. Mostra todas as dificuldades práticas. Claro que em Portugal é mais difícil criar cultura. Um dos pontos que chamaram a atenção é que nos Festivais de Cinema, a maioria, não aceitam filmes que foram difundidos na internet. Hoje em dia, com o Youtube é super prático. Claro que cai no domínio público, mas para primeiros filmes pode ser uma boa fase de arranque. Comparado com um Prémio da importância dos do Festival de Cinema, já é um caso a pensar. Porém, se o filme não ganhar nenhum prémio nesse ano, porque não? A partir de mil visualizações dá um dólar. Traduzido em euros são oitenta e seis cêntimos. Multiplicado por milhares ou mesmo milhões de visualizações, porque não?

 

 

Este valor que eu dei, é em Portugal. Pelo menos, foi o que Youtuber disse que ganhava. Mais ou menos um dólar por cada mil visualizações, mais coisa, menos coisa. A mesma Youtuber também afirmou que no Brasil se ganha mais por mil visualizações. Sempre é melhor do que nada. 

Tem vários conselhos práticos. Várias formas de chegar a um bom resultado. Esta foi a Tese de final de curso de Sandra Lopes. Sem dúvida que os cursos são importantes para esta arte. Sem formação, quase de certeza que o trabalho não será bem executado. Dai que as franjas (repas) feitas por pessoas que não são profissões são uma grande bosta. Se existem formações é porque são importantes.

 

Beijinhos

 

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || MANUAL PRÁTICO DE PRODUÇÃO

Olá Nossos Devanienses ( E Querido e Prático Manual )!

 

 

Parece que alguém está virada para o cinema. Achei que seria um livro interessante do categória “Bastidor”. Aprender é muito importante. Claro que a Enfermeira K perguntou por duas vezes se vou fazer um filme. Claro que vou com ela. Porém, ela não tem formação na área, logo não dá. Fica para uma próxima.

O livro de Sandra Lopes promete o seguinte na contra-capa como sinopse:

O Manual Prático de Produção demonstra as diferentes etapas de uma produção cinematográfica e os procedimentos a adotar na sua concretização, permitindo adquirir competências para produzir quer de forma amadora, quer profissional.

Este livro descreve o papel do produtor e a sua relação com a restante equipa, os métodos de produção e as implicações legais e autorais de um projeto, os possíveis fundos e financiamentos e a forma de fazer o levantamento de todas as necessidades técnicas, humanas e financeiras.

Face às exigências contemporâneas na área tecnológica e a adaptação aos novos públicos, este Manual de Produção apresenta uma panóplia de ferramentas, de modo a afirmar a função do produtor na produção de cinema português.

 

 

Espero que seja cento e oitenta e quatro páginas de conhecimento. Claro que um manual só serve de base. Simplesmente ler este livro sem formação na área vai servir de conhecimento. Não basta ler um, dois, dez, vinte manuais para se fazer um filme. Ajuda.

Manual. Os manuais não são tudo, mas são a base. As bases são importantes. Independentemente da nossa área, o conhecimento é muito importante.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || A BUNDA – A BASE DO SER

Olá Nossos Devanienses (E Todas As Bases Do Ser )!

 

Gostaria de agrader à Chiado Editora pela grande oportunidade de ler este livro. Acho que agora estou na fase deste género de livros.  Podem usufriu desta leitura ou dar este prazer a alguém que gostem por apenas treze euros. Através deste link.

Juro-vos de paixão, é maravilhoso! Faz rir, mas o autor mostra sempre o seu ponto de vista. Não precisa de concordar, só absorver uma leitura descontraída e rir. Porque é para isso que o livro serve. Descontrair e rir. Pelo menos, é o meu ponto de visto durante a leitura e após terminar.

Ninguém nega que os brasileiros são bastante engraçados. Têm bastante humor negro a ser explorado. Eles brincam com tudo. Talvez para não sentirem tanto o ado mau das coisas.

 

 

Estas partes do livro são bastante engraçadas e dão um leveza própria à leitura. A Mãe diz e o desenho da Mãe é uma bunda. Tem a ver com o livro e tem humor. “Trate de você com respeito. Assim os outros te respeitam. Se não respeitarem, seja superior… fique por cima, mas não suje o calçado!!!”. Sem dúvida uma lição importante dita com leveza.

Só vai aprender com ela (a lição) quem quer. Estamos em pleno século XXI, só aprende todos os dias quem realmente quer. Quem quer estagnar, estagniza e ponto.

O livro fala também das venenosas que apontam o defeito a todos e sempre os mesmos defeitos para todos. Temos de estar atentos a este ponto. Por vezes, queremos ver o bem nas pessoas, gostamos dela, e a realidade está à frente dos nossos olhos. Já passei por isto… Acreditem, só traz consequências para quem acredita. Fujam dos embustes.

 

“Por detrás duma pessoa feliz, feliz está a sua bunda a apoiar!”.  Pode não parecer, mas eu considerei uma frase muito profunda. Do ponto de vista que se nós estamos bem e felizes, o nosso corpo vai reagir de forma positiva. É natural.

Os pés e o rabo são as partes do corpo que mais nos apoiam durante toda a vida. De pé, sentado, deitado de barriga para cima. Estão lá por nós. Se eles estiverem desconfortáveis, nós também estaremos e vice-versa.

Nós estamos em harmonia constante com o nosso corpo. Isso é bom. Devemos ouvir a nossa bunda. O nosso coração. Os nossos pés. As nossas pernas. A nossa cabeça. Todos eles nos enviam sinais. Ás vezes, nós “desaprendemos” de “ouvir” esses mesmos sinais. Sejas pela agitação do dia-a-dia. Seja pelo motivo que for.

Adorei bastante o livro. Recomendo.

Beijinhos

 

 

 

 

 

 

 

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || BUNDA – A BASE DO SER

Olá Nossos Devanienses ( E Bunda )!

 

 

Sem dúvida alguma que achei muita piada ao título. É título vendável, não o podemos negar. Gostaria de agradecer à Chiado Editora a oportunidade de ler este livro.

Não conhecia o autor. Afirma ser de São Paulo e morador em Braga. Veio para Portugal em pequeno. Fisioterapeuta e escritor de profissão.

É um livro que tem todos os ingredientes para tirar o leitor da sua zona de conforto. Não é para levar a sério. Como levar a sério um livro cuja a palavra “bunda” está na capa? Não dá. Logo, ele serve mesmo para rir.

Ele não tem nenhuma solução para nos dar. Tavez a solução seja rir, mesmo. Veremos o que nos espera.

Beijinhos

 

Resenha

Resenha Do Livro || Blackbook

Olá Nossos Devanienses ( E Blackbook )!

 

Resultado de imagem para Blackbook Rui Sinel de Cordes

 

Adorei conhecer este humorista. É pesado, não o nego. Porém, não é para levar a sério. Em nenhuma altura. Gostei da frase que as pedras que ele encontra no caminho, ele guarda para atirar as pessoas que escrevem frases feitas no Facebook.

São piadas muito negras e exageradas. É mesmo um blackbook. Muito negro. É de morrer a rir. Quem levar a sério, vai-se ofender bastante. Mas bastante mesmo. Tem piadas impróprias? Tem piadas impróprias. Mas é a marca dele. Deve ser respeitados. É o trabalho dele.

 

 

Esta é cara que se tem quando se diz que vai trabalhar em Portugal como humorista. País chato e sem humor. Pronto, escrevi. As piadas dele não podem ser lidas por todos. Tem que ser mesmo selectivo. Nem todos irão ler e respeitar o trabalho dele. Basicamente é isto.

Nem todos sabem o significado de respeito pelo trabalho alheio. Há quem diga que nem é trabalho, nem muito menos uma profissão. Isto remete ao último paragrafo da sinopse: Se lês para te ofenderes és uma abécula.

Beijinhos

Expectativa

Expectativa Do Livro || Blackbook

Olá Nossos Devanienses (E BlackBook )!

 

Resultado de imagem para Blackbook Rui Sinel de Cordes

 

A Chiado Editora envio-me muito gentilmente este livro que penso que vou devorar num apice. Estamos a falar de humor negro como o do Tim Burton, certo? Muito provavelmente. Tim Burton é o meu realizador favorito.

Ao receber o livro que pensei que fosse em tamanho A5, percebi que não tinha um bom corte, mas as folhas eram boas. O corte foi feito muito perto da margem. Espero que não dificulte a leitura. Pois é só isso que importa: a leitura.

 

Resultado de imagem para Blackbook Rui Sinel de Cordes

 

Não conhecia este humorista. Mas é para isso que a Chiado serve, para dar a conhecer. O título foi bem escolhido, visto que são frases de humor negro no Facebook.

Quatro anos de trabalho que valeram a pena. Editar um livro com as nossas palavras é muito bom e deve ser visto como tal. Ter o nosso trabalho valorizado.

Confesso que me sinto um pouco desactualizada no standy-up e humor. Nunca fui, aliás. Sei de nomes como Bruno Nogueira, Nilton e pouco mais tenho para acrescentar à lista.

 

Resultado de imagem para Blackbook Rui Sinel de Cordes

 

Exactamente, se alguém comprar um livro para ficar ofendido é uma tremenda anta. Com todas as letras. São só piadas e ainda por cima de humor negro. Não são para ofender. É apenas outro tipo de humor. Poderia ser cor-de-rosa ou roxo.

Os livros não servem para ofender. Os livros servem, principalmente, para nos divertir e quem sabe, ensinar. Tirando os técnicos, claro.

Não serve de nada ficar ofendidinho. Não quer ler esse assunto, fecha o livro e lê outro. Tão claro e simples quanto isto. Para quê? Ler tem de ser bom e divertido. Não deve ter nada de negativo.

Beijinhos

 

Resenha

Resenha Do Livro || Jonas Vai Morrer

Olá Nossos Devanienses (E Jonas)!

Devo agradecer pela milésima vez à Chiado pela oportunidade de ler este livro. É delicioso. O mal da maioria dos livros da Chiado é que um é mais maravilhoso do que o outro.

Neste caso específico, dá vontade de sublinhar o livro por inteiro. Se o leitor estiver atento, tem frases magníficas.

 

Confesso que este foi o livro da Chiado que mais escrivinhei. Rodeei e sublinhei de cores diferentes. Fiz uns apontamentos de vocabulários que não conhecia. Além de ser uma aventura recheada, é uma aprendizagem linguistíca. Visto que o autor tem um vocabulário muito rico e brinca com ele. Tipíco dum bom brasileiro.

O próprio escritor brinca connosco. Diz que Jonas vai morrer, sem se quer nos apresentar antes. Dá isso como um dado adquirido e depois lança-nos o seguinte “osso” para nos entreter:

 

E o leitor descarta automaticamente estas mortes. Este escritor sabe usar o dom da palavra e levar-nos pelo caminho que ele quer. Diz-nos logo no título que o sujeito vai morrer. Depois diz-nos do que ele não vai morrer. E assim vai. Agora eu questiono: Era suposto Jonas não morrer? Caso seja suposto, quer dizer que ele não é de todo humano. Visto que os humanos morrem. É um dado adquirido.

Infelizmente, ninguém fica aqui para semente. Athayde já daqui brinca com o leitor. Nós temos de morrer a uma dada altura. É quase banal e todos morremos.  Porém, Athayde coloca as coisas como se fosse algo surpreendente. Depois diz que Jonas não vai morrer disto, disto e daquilo. Podem descartar. O leitor obdiente descarta logo. Questiona-se a cada passo e a cada página quem é Jonas e de quê que ele vai morrer.

Eu digo-vos: vai morrer de estar vivo. Como todos nós.

 

 

Faz um jogo de palavras muito bonito. Isto é um livro! Se não for para brincar com a nossa mente, mostrar-nos um Mundo à parte, para nos dar curiosidade, para quê que serve um livro? Para nada! O propósito do livro é fascinar-nos. Até com coisas banais.

Infelizmente, a morte é banal, pois não passamos de mortais. Logo se alguém nos chama à atençao com isso, é génio literário. É alguém que tem um dom e uma arte que devem ser partilhados. Dar intusiasmo com algo banalíssimo é uma arte.

Amei os pormenores das páginas a preto. O próprio material, nota-se que duma qualidade excepcional. Acho que é o primeiro que tem qualidade de topo. O toque, o relevo, a grossura são excelentes. É um trabalho demasiado perfeito. Digno das letras imprimidas nele.

 

 

Não é à toa que ganhou o prémio de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura. Isso sim, não é banal. Desde que se paga no livro, o leitor dá autorização de que o escritor entre na sua mente e Athayde faz isso muito bem.

Curioso? Podes adquirir a obra  por apenas doze euros e comprovares por ti tudo isto.

É livro que deve ser lido. É livro que deve ser aconselhado aos amigos, familiares, conhecidos, desconhecidos e até aos inimigos. É livro que deve ser lido com atenção porque tem bastantes pormenores. Como eu disse a uma colega minha, tem frases tão magníficas que dariam para encher um pote. Sabem aqueles potes onde se colocam os pedaços de folhas com frases? Esses mesmos.

Beijinhos

Expectativa

Expectativa Do Livro || Jonas Vai Morrer

Olá Nossos Devanienses (E Jonas)!

Devo começar por agrader à Chiado por me ter enviado este livro. Já tinha pedido este livro à algum tempo, devo confessar. O título e a capa, na altura que o pedi, chamou-me à atenção. Porém, quando o recebi, outros livros ganharam mais importância.

Porém, Jonas não ficou esquecido. Ele ainda tinha a sua importância e ainda chamava à atenção. A capa é meio louca. O título não fica atrás.

Não conhecia o autor. Uma das coisas boas das Chiado é mesmo isso, o conhecimento de novos escritores. Até porque a Chiado dá a oprtunidade a novos escritores. Isso é fabuloso.

Pelo nome só poderia ser brasileiro. Sendo brasileiro só posso esperar uma estória fabulosa cheia de imaginação. É exactamente essa ideia que eu tenho dos brasileiros: Estão na fossa, mas fazem paródia da situação. Ou seja, eles nunca estão com o copo meio vazio, nunca!

Segundo a Chiado “Edson Athayde é um dos publicitários mais premiados da história de Portugal. Já ganhou centenas de nomeações e prémios nos festivais mais importantes do planeta, como Cannes, New York, Eurobest, Épica, Clio e muitos mais. Nascido no Brasil, Edson escolheu Portugal como país, tendo se naturalizado em 2004. Além da publicidade, desenvolve atividades como cronista, guionista para TV e cinema, autor de teatro, produtor musical, profissional de marketing comercial e político, apresentador de programas de televisão, professor, especialista em storytelling, entre outras coisas. Tem dois romances publicados, o segundo escrito no âmbito de uma residência literária em Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura (“Jonas Vai Morrer”, publicado também pela Chiado Editora)”.

Só posso concluir que Athayde é uma pessoa muito rica e que tem muito para nos oferecer com o livro “Jonas vai morrer”. Mas será que Jonas vai mesmo morrer? Jonas vai morrer espiritualmente ou fisicamente? São coisas bem distintas.

Será só marketing e no final, Jonas continua vivo física e espiritualmente? Será que Jonas do passado morre e dá origem a um novo Jonas?

Athayde dá-me uma certa curiosidade após pesquisar sobre ele.

Denomina-se como quase policiais. Como sabem, eu adoro policiais desde que li Ellery Queen. Diz-se um crime sem sangue, logo foi totalmente pensado.

Parece ser recheado de mistério e trapalhadas. Sim, trapalhadas. Visto que fala de Pedro, um homem sem passado. Será que o seu passado morreu? Será que o seu passado não importa? Será que Pedro é Jonas?

Quem será Jonas?

Beijinhos

 

Resenha

Resenha do Livro || O Caso Da Mulher Com Olho De Vidro

Olá Nossos Devanienses!

Um livro da Chiado Editora que devorei num ápice. Caso não saibam, eu gosto de ler, pelo menos, dois livros ao mesmo tempo para prevenir o Alzheimer. Este livro andava a disputar comMulher Procura Homem Impotente Para Relacionamento Sério. Ambos bastante interessantes e divertidos. Lia um com vontade de ler o outro e saber mais e mais.

Sem dúvida, que adoro os policiais da Chiado Editora. Fenomenais. Não sou muito romanceados como a maioria. Aliás, hoje em dia tudo é romanceado, até o que deveria ser considerado terror. Não sabem por cada coisa no seu lugar. Isso é tão irritante para mim como para Ed Silverman quando menosprezam os polícias nos policiais.

Para quem acha que a Chiado Editora é uma editora inferior às outras, posso dizer que o trabalhado deles é brilhante, tanto na qualidade dos autores como dos livros em si. Têm bom material e acabamentos, a todos os níveis.

Além de engraçado, tem um pouco de drama. Adoro! E pessoas a explodirem (em livros) também. Dá para descontrair do dia-a-dia. Sabem aquela pessoa (vamos chamar de pessoa, por favor) que vos irrita tanto, mas tanto? Ela explodiu neste livro. Leiam e deliciem-se com a explosão dela!

Não odeiem um só segundo as personagens deste livro, elas são simplesmente brilhantes!

Beijinhos