Texto Pessoal

VI ESSA MARCA DE BATON || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Acordaste. Eu quis discuti. Mal dormiste. Tinha um brinco no teu carro e ainda tens a lata de dizer que eu estou a ficar doida, que só emprestaste o carro para um Amigo. Não tens como provar, mas claro que és fiel. E eu sou a Jessica Alba.

Estou calmíssima. Explica-me. E essa marca de baton na tua roupa?

Deu mesmo errado, não foi meu anjo?

A porta é a serventia da casa. Nem vou gritar. Não vou discutir. Não vou querer explicações.

És muito fiel sim, por isso podes ir embora.

Beijinhos

Texto Pessoal

FAZ BARULHO || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Onde está o seu juízo? Daqui à pouco ligo-te. Vamos fazer inveja para esse povo.

Esquece essa briga sem significado e vem. Porquê que terminamos? Estamos a perder tempo, pois ainda temos química.

Tu ainda me ama! Vives por fora e morres por dentro. Todos choram e brigam. E dai? Muda algo?

Volta agora! O que estás a fazer nos braços de outro? Desisti de ti!

Faz barulho à vontade. Pensas que me iludes? És infantil! O que amor uniu, tiveste a audácia de destruir!

Não voltes mais. Não te quero. Foste fraco. Não gosto disso. Vai. Vai. Vai.

Beijinhos

Texto Pessoal

SENTE E FOGE || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Sente e foge. És Peixiano, não és? Pára. Pára. Pára. És Amigo de toda a gente. Isso é uma dor de cabeça. Oh, meu anjo…

Sente e foge. Sente e foge. Sente e foge.

Vai, menino. Larga tudo e mostra o teu poder.

Se ainda és Amigo do teu ex-Namorado, porque gostas dele, pára. Chega. Chega. Chega.

Finge que só estavas brincando com ele. Sai desse Inferno. Beijinhos

Texto Pessoal

FIZ DE NOVO || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Tu és muito eludido. Até dá vontade de rir de tanta inocência. Vem, vem, vem. Eu penso que tu queres de novo, que queres este modo Amigos. Sentes isso como sendo um crush? Acredita em mim, isto é sério. Tu estás a perder a minha essência. Esse é o típico limite.

Oh, eu fiz de novo. Brinquei com o teu coração e perdi o jogo. Tu pensavas que eu estava apaixonada. És inocente a esse ponto? Eu não o sou!

Tu disseste que o problema era esse. Eu sonhei de novo. Eu desejei que a realidade deixasse de existir. Chorei por um par de dias. Eu chorei ao assistir aos dias.

Tu foste um tolo durante bastantes vezes. Mas tu perdeste a minha existência devido a esse limite que quiseste ultrapassar.

Eu fiz de novo.

Eu fiz de novo.

Eu fiz de novo.

Talvez eu me apaixone um dia…

Beijinhos

Texto Pessoal

SENTE ESTE TERRAMOTO || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Sente! Sente! Sente! Dizes que sou sem-vergonha, porque te dou insónias e acabei com o teu sossego. Sou o sonho mau de todas as invejosas. Estás nas minhas mãos. Sou o sonho de quem não me tem. Eu sou o terramoto da tua vida. Não paro. Podes gritar. Podes implorar. Gosto de te ver perder o controlo.

Sou o teu desejo. Sou o teu desejo. Sou o teu desejo.

Eu entrei na tua mente de forma indecente. Já caiste no meu jogo. É o teu fim.

Brincaste com o fogo, queimaste-te porque quiseste.

Não comes. Não dormes. Estás paranóico. Não podes virar o jogo. És zika? Deixa-me rir.

Perdeste!

Beijinhos

Texto Pessoal

EU SOU O TEU VENENO || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Trago-vos um texto pessoal.

Eu sou o teu veneno que corre lentamente na tua mente. Cuida bem desse veneno. Nem sabes no que estás metendo. Estás a brincar com o fogo. Tu gostas.

Te declaro uma vítima letal. Pensas que eu estou noutro sonho. Eu controlo o teu corpo. Dá-me o que quero.

Tem cuidado… Sonha! Sonha! Sonha! Eu sou o veneno. Pensa mais em mim aos poucos. Eu estou a conseguir. Estás na minha mão. Tenho-te onde quero. Estás a brincar com o fogo…

Mantem o jogo. Estás a jogar segundo as minhas regras.

Regras.

Regras.

Regras!

Sente o terramoto da vida.

Vida.

Vida.

Vida!

Beijinhos

Texto Pessoal

GOSTARIA DE TER OUTRO CHÁ? || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Gostaria de ter outro chá? Lúcia-lima? Delicioso, não o é? Sinta os seus vapores aromáticos. Descontrai-a. Aprecie tudo. Está no seu momento. Está no seu momento. Está no seu momento. Esqueça tudo ao seu redor. Nada importa neste momento.

            Está cansado? Pouse o livro. Pouse a chávena. Pouse as bolachas. Pouse tudo. Pouse. Pouse. Pouse. Vai ver que vai dormir melhor. Vai ver que vai dormir melhor. Vai ver que vai dormir melhor.

-Texto retirado de “Vinte e Cinco”.

Beijinhos

Texto Pessoal

TEXTO PESSOAL || UM POUCO DE CHÁ

Olá Nossos Devanienses!

Trago-vos mais um texto do meu livro. Esperamos que gostem!

Já dizia o Poeta que tudo vale a pena se a nossa alma não for pequena. A nossa alma é maior do que imaginamos. Muito maior. Mais extensa. Mais livre. E deve ser libertada de toda a negatividade. Toda. Toda. Toda. Não deixar nem um bocadinho, pois isso só contamina.

            Como expulsar a negatividade de nós? Não sei. Ainda não estudei essa parte. Mas sei que é possível. E acreditar no possível é muito bom. Na possibilidade de coisas boas na nossa vida. Só porque merecemos. Só porque merecemos. Só porque merecemos.

            Merecemos a luz na nossa vida. A luz da pureza. Gratidão. Gratidão. Gratidão. Merecemos ser felizes. Muito felizes. Eternamente felizes. Temos uma vida pela frente e devemos aproveitar. Felizes. Felizes. Felizes. Sabe qual é a fórmula da felicidade? Não? Ninguém lhe ensinou? Sabe quando somos mais felizes? Eu digo. Quando estamos a ler. Exactamente. Quando estamos a ler. Vamos directamente para outro mundo. Um mundo à parte. Um mundo que merecemos. Faz-nos sorrir. Faz-nos chorar. Mas faz-nos bem.

            Um livro tem o dom de nos libertar. Tem o dom de nos mimar. Tem o dom de nos aconchegar. Quase nos agasalha do frio. Eu escrevi quase. O melhor é vestir um casaco. Também deveria colocar uma manta nas pernas. Para completar, tenha consigo o seu chá preferido. Chá branco? Perfeito.

Pipocas também se quiser, mas só o chá é muito bom. Morno. Faço-lhe companhia. Também é o meu preferido. Umas bolachas de canela condizem muito bem com este chá. Sou-lhe muito grata. Aquece a alma. Aquece a alma. Aquece a alma.

O chá é um bom relaxante. Aquece. Aquece. Aquece. Relaxa. Relaxa. Relaxa. Talvez seja um momento que expulsa a negatividade. É um momento só nosso. Só nosso. Só nosso.

Que tal acender a lareira? Lua cheia. Lua cheia. Lua cheia. Está frio na sua sala. Esfrego as mãos para as aquecer e bebo mais chá. Como mais duas bolachas. Um óptimo serão. Quem não tem lareira, imagina. Um dia terá. Um aquecedor também serve. Basta ligar. Talvez uma salamandra. O que tiver. Relaxe. Relaxe. Relaxe.

Imagine-se numa sala. Pequena e aconchegante. Chá. Bolachas de canela. Um livro da sua preferência. Lareira acesa. Relaxante, não é? Sente-se bem quente. Uma temperatura agradável. A chuva lá fora. Batendo levemente. Uma melodia relaxante. Quase se torna na sua música favorita. Está muito frio lá fora. Inverno, talvez.

Devemos estar perto do Natal. Já tem a sua prenda? Sim? Óptimo. Todos merecemos uma prenda de nós para nós. Eu ofereço a mim própria todos os meses. Duas vezes no mês do meu aniversário e em Dezembro, mês do Natal. Mereço. Faz-me feliz. Faz-me sorrir. Adoro abrir prendas, mesmo as que sei o que são. São mágicas. São pedaços de alegria. São pedaços de bondade. São pedaços de ternura.

Ainda está na sala? Óptimo. Continue, porque lá fora está muito frio. Um frio de rachar. Outra manta? Talvez seja melhor. A Lua cheia cumprimenta-nos lá de fora. Quase sorri. Também está feliz. Encantada com a nossa presença. Estamos bem e transmitimos-lhe boa energia. Energia positiva. Energia do bem.

Aceito mais chá. Acabou? Continue na sua leitura. Eu vou buscar mais. Continue a ler. Faz-lhe bem. Tanto mentalmente como espiritualmente. Vou mudar o sabor do chá, se me permite. Mirtilo e açaí. Vai adorar. É delicioso. Tranquiliza o corpo e a mente.

Respire fundo e sinta o aroma. Não se irá arrepender. É maravilhoso. Um sabor agradável. Um sabor místico. Um sabor que merece ser tomado. Ser apreciado. Ser degastado. Ser tomado.

Maravilhoso, não é mesmo? Tem um cheiro tão bom. Um sabor ainda melhor. Agradável, não é mesmo? Sinta. Sinta. Sinta.

Sinta bastante. Ilumine os seus pensamentos. Vou buscar mais bolachas de canela. Saboreie. Sinta. Sinta. Sinta. É algo único. Os chás têm um efeito tão bom nas nossas vidas. Acreditem. Acreditem. Acreditem.

Acreditem e sintam. Um chá, bolachas de canela e um livro são tão bons. Qualquer chá. Qualquer chá. Qualquer chá.

Beijinhos