Sociedade

FUNCIONÁRIOS DE HIPERMERCADO || DE BESTAS A BESTIAIS

Olá Nossos Devanienses!

 

Supermercado, Barracas, Refrigeradores, Mercado, Comida, Fresco, Loja

 

Já descarregou a sua frustração num Funcionário do Hipermercado? Já insultou, pois não iria acontecer nada demais para si? Basicamente, eles eram Descarregadores de Frustração Gratuito. Em vez de você gastar dinheiro num Psicólogo, ia ao Hipermercado e armava confusão com um Funcionário.

Era banal. Tal como tratar mal qualquer Comercial. Fazia parte da rotina. Desligar na cara dum Atendedor de Telemarketing. Era natural. Gritar com um Comercial Porta-a-Porta. Nada de importante. Discutir com o Funcinário da Caixa, porque ele não tem cinquenta cêntimos para lhe dar de troco. Sim, eu já vi isto acontecer. Era um velho. Sim, um velho, porque era mal educado. A miúda estava quase a chorar. Dei dois euros para ele, ou seja, mais um euro e meio e o velho saiu a reclamar.

Isto parece algo muito longinquo. Os Funcionários da Caixa passaram de bestas a bestiais. Pois se eles decidirem protegerem-se do vírus e ficarem todos nas próprias residências, o quê que você iria fazer? Pois. Sim, ele estão lá expostos, pois têm contas para pagar.

 

Fazer compras, gastar, até deslizar, compra, varejo, loja

 

Basicamente, eles ACTUALMENTE são hérois. Só até esta pandemia acabar. Quando tudo acabar, eles passam a bestas novamente. Pois os Portugueses de Portugal são assim. A memória é curta para coisas boas. Ninguém nasce mal educado, aprende a ser mal educado.

Todas as profissões são dignas. Todas as profissões são úteis. Todas as profissões devem ser respeitadas.

Esta semana uma Atendente de Telemarketing teve de ouvir o seguinte ” Vá passear para o Norte Shopping.”. Claro, ela anda de autocarro para ir trabalhar para a empresa porque quer. PENSEM! Se a pessoa trabalha com esta situação do Corona Vírus NÃO É PORQUE QUER! Respeitem. Só respeitem.

RESPEITEM TODAS AS PROFISSÕES COM OU SEM CORONA VÍRUS!

Beijinhos

Sociedade

NUNCA ACREDITEI NAS NOTÍCIAS || CORONA VÍRUS

Olá Nossos Devanienses!

Monalisa, Mona Lisa, Corona, Vírus, Coronavírus

Eu não vejo televisão. Considero como desinformação. O dinheiro compra as notícias.

Alguém acredita mesmo que só uma pessoa morreu?! Apareceu um grávida com Corona do nada? Eu não acredito.

Acho que é mais perigoso do que dizem. Acho que mentem para a economia continuar. Sinto-me uma Alemã na Segunda Guerra Mundial. Eles achavam que não fazia mal denunciar os Judeus e milhões foram mortos.

Mundo, Proteção, Propagação, Global, China, Coronavirus

O Mundo está um caos, os Portugueses foram em massa para a praia e só há uma morte?! Uma morte?!

Quem é que acredita nisso?!

É desesperante. Quem puder, fique na sua residência! Fique!

Um agradecimento muito grande aos profissionais que se arriscam. A Enfermeira K ficou surtada com as pessoas inconscientes que foram para a praia. Ela vive com um bebé e tem de ir trabalhar num momento como este e estes inconscientes dificultam tudo! Nem em Julho vamos livrar-nos disto!

Parem agora para não perder tudo depois.

Beijinhos

Sociedade

QUEREM TUDO DADO || NECESSIDADE DE RECLAMAR

Olá Nossos Devanienses!

 

Nenhuma descrição de foto disponível.

 

Vamos começar por pedir à Produção, por gentileza, os CheeseBurgers da Francisca e chá para mim. Grata.

Agora vamos ao drama: O café não tem o direito de cobrar por algo que é seu, segundo algumas mentes.

Não queres, não peçam. Simples. A conta da água não é um mito urbano. Já agora, que tal dar todos os artigos? Levem! É tudo vosso. Se a água é deles, têm o direito de cobrar, pois eles também são cobrados.

 

Dólar, Moeda, Dinheiro, Dólar Americano, Franklin, Parece

 

Vocês podem cobrar, mas os outros não podem. Porquê que vocês não dão o que andam a vender no Facebook? Pois, na vossa cabeça, o vosso caso é sempre diferente. Diferente até demais.

Há outras opções, sem ser criticar:

-Encher uma garrafa na tua residência e pagares no final do mês na tua conta da luz;

-Comprares no hipermercado e pagares na caixa;

-Ires a uma fonte à beira da estrada (Há bastantes espalhadas pelo País);

-Etc.

 

Luta livre, Luta indiana, Competição, Luta

 

Vale a pena reclamar? Não. Quem quiser pagar o valor, vai paga! Vocês não têm nada a ver com isso. Cada um na sua vida. É como os Call-Centers, podem reclamar, mas vão haver sempre pessoas a quererem trabalhar, em vez de estarem a praticar o ócio num sofá. É um trabalho digno, simplesmente, quem gosta de brincar com esta profissão, nunca o faria para não lhe fazerem o mesmo.

Beijinhos

 

Sociedade

FUMADOR ACTIVO || NÃO É UMA PROFISSÃO

Olá Nossos Devanienses!

 

Homem, Fumar, Fumaça, Cigarro, Cara, Pessoa, Tabaco

 

Primeiramente, Produção traga os CheeseBurgers da Francisca e um chá para mim.

Para quem não sabe, eu não fumo. Logo é meio óbvio que não me apetece ser fumadora passiva. Não teria lógica. Uma fumadora passiva é aquela pessoa que leva com o fumo alheio. Há pessoas que não entendem que se for para levar com o fumo de alguém, que seja com o próprio. Ninguém paga para ser fumador passivo, mas sim activo. Por alguma coisa o é.

Eles incomodam com a maior descontração. É banal. Nem tudo que é banal é normal.

Acho que isso só serve para incomodar terceiros. Eles não sabem que o fumo penetra na roupa? Eles não sabem que o fumo penetra nas paredes? E que faz mal ao que os rodeia? Claro que sabem.

 

Fumar, Cigarro, Homem, Macho, Tabaco, Nicotina

 

E se nós mostramos que estamos incomodamos, pois não dá para ter outra reacção, ficam chateados como se fosse a obrigação dele e nós tivessemos de agradecer, pois nem estavam a cobrar.

Imaginem o que é estar na paragem do autocarro e ter três pessoas em cada ponto da paragem a fumarem. Nem sabes onde te hás-de meter. Eu tenho o direito de não quer levar com o fumo dos outros. Se eu quisesse, fumaria.

É muito desconfortável. Ninguém vai agradecer por levar com o teu fumo. Ninguém! Que tu queiras fumar, problema teu. Mas não incomodes. Pelo menos, muda de roupa a seguir. Ou pára de vez, não incomodes ninguém e junta esse dinheiro para coisas úteis. Viagens. Livros. Contas. Comer fora. Roupa nova. Calçado novo. As escolhas são variadas.

Beijinhos

 

 

Sociedade

O MELHOR MOTORISTA || DIZ O QUE TEM DE SER DITO

Olá Nossos Devanienses!

 

Parada De Ônibus, À Espera, Ônibus, Transporte Público, Parar, Urbana

 

Para quem não sabe, eu viajo muito de transportes públicos. É o que dá ter medo de conduzir, mas isso é algo que quero mudar este ano. É uma das minhas metas. Não quer dizer que vá deixar completamente os transportes públicos, mas entre andar de carro e de transportes, a escolha é óbvia. O motivo é que num transporte público há de todo o tipo de educação. A maioria não respeita o espaço pessoal dos outros. Para eles é banal, mas claro que isso não quer dizer que seja normal.

Quanto aos Motoristas da vida, existem três que se destacaram. Dois pelo mesmo motivo e este que foi formidável. Esses dois eram super mal educados. Acham que os carros são voadores. O último lembrou-se de usar a sua má educação num dia que eu estava com dores de cabeça. Enfim. É a necessidade deles.

Referindo-me a este que se destacou pela positiva. Ele não deixava nada por dizer e os Passageiros que faziam as coisas com banalidade, ficavam com cara de tacho do género “Fui apanhado!”. É que os Passageiros fazem as coisas com banalidade, foram ensinados assim.

 

Praça de Jakomini, Graz, Parada de bonde, Bonde, Ônibus, Parada de ônibus

 

Dizia o que tinha a dizer com educação. Não aumentava o tom, não dizia palavrões. Foi curto e grosso. Para os Passageiros não pensarem que o poderiam fazer de anta. Mesmo que os Passageiros paguem para usarem o transporte, devem respeitar o trabalho dos outros. Não é porque é Passageiro que pode fazer o que quer como se fosse normal. Deve respeitar o Motorista e os outros Passageiros, é o mínimo.

Não encostar ao Passageiro que está ao lado, é o mínimo. Há um espaço no banco para cada um. Não é preciso ocupar o seu espaço e do outro e ainda achar que é normal, não é!

Já houve uma pessoa que se sentou ao meu lado, sem pedir licença, um daqueles acentos grandes e individuais e ainda disse para a outra pessoa que era muito boa ideia. Não, não era! Eu estava quase sem ar! Eu não tinha mais para onde me afastar! E ainda teve a lata de meter conversa, antes de sair, e dizer palavrões. Eu detesto palavrões. Eu já estava quase sem ar, só dizia “Hum-hum”. Para não ser mais mal educada do que aquela pessoa e por não conseguir falar. Aquele tempo pareceu uma eternidade. Eu cheguei ao ponto de não conseguir falar. Estava a sofocar. E a outra pessoa, como não teve consequências, estava na boa. Não é normal.

Respeitem! Respeitem o Motorista e os outros Passageiros!

Beijinhos

Sociedade

LEI DESNECESSÁRIA || UM ESTRANHO EM CASA

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para Um estranho em casa livro"

 

Na leitura do livro Um Estranho em Casa de Patrícia MacDonald pensei “Que lei tão desnecessária!”. A personagem principal, já tinha perdido o Filho há onze anos atrás. Ele volta a desaparecer meia dúzia de tempo depois de reaparecer, o Polícia diz “Tem de esperar quarenta e oito horas.”. O mesmo Polícia que era obcecado pelo caso dela, tinha escrito uma tese sobre e achava aquela Mãe preocupada doida.

Porquê esperar quarenta e oito longas horas? Principalmente neste caso e da maneira que foi (Aeroporto).  Em dois dias pode acontecer muita coisa! Em dois dias pode, muito bem, estar do outro lado do Mundo! Até pode ser um falso alarme, mas trabalhem, procurem! É uma vida!

Uma pessoa pode ser morta em menos dum minuto. Pode acontecer muita coisa numa hora, imagina em dois dias. Em muitos casos, se actuassem logo, muitos casos estariam solucionados. Porquê que esta lei existe? Qual é a necessidade? Juro que não entendo. Juro de coração. Como não entendo, penso no porquê de existir.

Beijinhos

Sociedade

“EU NÃO SABIA.” || FRASE DESNECESSÁRIA

Olá Nossos Devanienses!

 

Paragem De Autocarro, Autocarro, Esperando, John Cleese, Preocupação, Preocupado

 

Ás vezes, andar de autocarro dá ideias para artigos. Como o Blog é Lifestyle tudo dá para criar um texto. Acontece cada coisa nos autocarros de Portugal que mais vale andar de phones bem altos para não ouvir tantos disparates.

Estava uma jovem a ouvir música no lugar dos prioritários. Tinha um casaco vestido a tapar a mala que tinha no colo.

Uma mulher bem mais velha, talvez o dobro da idade ou mais. Deu-lhe um encontrão que até a mim me doeu e disse com um tom de quem não sabe o que é educação. O dialogo foi mais ou menos o seguinte:

-A senhora tem de sair dai para eu me sentar.

(Eu fiquei do género “Está a chamar de senhora quando a menina tem, à vontade, metade da sua idade?”. Só me dava vontade de rir. )

-Porquê?, questionou a moça muito descontraída.

-A senhora tem de sair dai, já mandei!

-Sim, mas porquê? E já agora chamo-me Gabriela (Nome fictício) e não “senhora”.

-Eu já mandei, minha senhora!, exaltou-se, Esse lugar é prioritário. Saia já dai para eu me sentar.

A moça levanta-se, de forma descontraída. Tira a mala da frente. Aparece um barrigão que não dava para negar que estava grávida.

 

Vestido, Olhos, Cabelo, Lábios, Natureza, Pele, Posição

 

-Claro, sente-se. Uma vida vale mais do que duas, não é verdade?

-Ah, eu não sabia. , disse em tão seco., Então sente-se.

-Mas tem de saber? É a Mãe? Você não tem nada a ver com a minha vida. Não queria tanto sentar? Sente-se!

-Vocês, jovens, são muito mal educados!

E eu pensei, mas rejuvenesceu. Não era velha à cinco minutos?

A pessoa de trás, cedeu o seu lugar à Gabriela.

 

Mulher, Velho, Enrugado, Mulher Velha, Retrato, Vovó

 

Juro que me queria rir daquela frase tão rídicula! “Eu não sabia!”. Cada um com a sua vida! Grávida do ano! Não usem essa frase, é só rídicula! Basta falarem com bases. Saberem do que estão a falar. Não digam o que querem e depois usem essa frase como tábua de salvação.

Seria mais simples, questionar com educação quem não era prioritário e lhe poderia ceder o lugar. Não haveria essa frase. Não haveria má educação. E a Grabriela foi super calma e educada. Manteve a postura. Há um tipo de gente que não vale a pena.

Vale a pena, infelizmente pelas piores razões às vezes (como este caso), ter o passe, pois fico sempre com temas.

Beijinhos

Sociedade

DEITAR LIXO PARA O CHÃO || CULTURA OU MÁ EDUCAÇÃO?

Olá Nossos Devanienses!

 

Lata De Lixo, Lixo, Poluição, Desperdício

 

Deve ser cultural, pois num vídeo do Youtube, um homem de idade avançada disse que o facto dos homens não lavarem as mãos depois de irem à casa-de-banho era cultural. Desde o momento que dizem que as Touradas e as crianças fumarem no Dia de Reis numa aldeia fazem parte da cultura, nada me deveria admirar.

Este tema surgiu quando uma cidadã, após fumar na paragem, deitar a beata para o chão. Para quê?! Dá vontade que todo o lixo que deitaram para o chão caia em cima da cabeça desse tipo de pessoas. Qual é a necessidade? A sério, o País não vai evoluir com esse gesto.

Só fica mal. É horrível.

 

Lixo, Poluição, Resíduos

 

Já me aconteceu, no ano passado, uma coisa que parece mentira. Um homem de idade avançada, tirou os recibos da máquina do Andante, atirou para o chão, virou as costas e foi-se embora.

Eu fiquei tão irritada que peguei nos papéis e deitei no lixo que estava muito próximo! É banal em Portugal? É banal em Portugal, mas não é normal!

Estamos em pleno século vinte e um, não deveria existir lixo no chão. As pessoas deveriam ter consciência do que fazem. Mais um ponto para o País não evoluir. E há pessoas, tanto jovens como menos jovens, que o fazem com uma descontração que mete medo! É muito natural para elas. Estão a andar, muito delicadas, e deitam o lixo para o chão. E se nós dizemos, como muito ironia “Desculpe, acho que deixou cair este papel.”. Ficam com cara de tacho! Afinal, na cabeça delas é normal ou não? Enfim.

Não deitam lixo para o chão! Sejam limpos! Se querem viver numa pocilga, tenha uma privada. Ninguém tem de levar com o vosso lixo! Contenham-se!

Beijinhos

Sociedade

TENS MESMO DE VER ESTA SÉRIE || SOCIEDADE

Olá Nossos Devanienses!

 

Pessoas, Mulher, TV, Filmes, Televisão, Fêmea, Feliz

 

Se há frase que me irrita é “Tens de ver esta série!”. Mas tenho de ver, porquê?! Oferece comida no final? Se for lasanha de queijo e espinafres ainda penso no assunto! Mas isto é assim “Tens de”. Não tenho nada. Queres ver, vê! Mas usar um “Tens de ver”, já é demasiado!

Não tenho nada que ver! Se eu quiser, eu vejo! Não existe “Tens de”! Dizem como se a vida dos outros tivesse vazia. Não trabalhassem, não tivessem nada para fazer!

Se eu quiser, eu vejo. Mas eu não sou obrigada a ver e não sou muito de ver séries. Vi a minha série favorita, The American Horror Storie, após parem de falar dela. “Mas se é a tua série favorita, diz lá quantas temporadas tem?”. Eu é que tenho de saber ou os responsáveis. Eu vi até ao Cult. Se há mais, não sei. Pode não haver hoje e haver amanhã.

 

Válvula, Hollywood, Cinema, Placa, Produção

 

Se eu quiser ver, eu pesquiso e vejo. Não vou ver só porque tu dizes “Tens de ver!”. Tu gostas, vê, mas eu não tenho de ver também. Não é difícil.

E todas as frases que começam por “Tens de” vai pelo mesmo caminho. “Tens de ter férias.”, “Tens de ter folgas.”. Não! Cada um com a sua vida. Eu não vou ver só porque tu queres, mas sim se eu quiser. Ponto!

Beijinhos

 

Sociedade

SE NÃO FOR DE GRAÇA || BLOQUEIAM

Olá Nossos Devanienses!

 

Apple, Vermelho, Maçã vermelha, Mão, Pomar de maçãs, Delicioso

 

Há coisas que só acontecem a mim. Para quem não sabe, eu tenho um grande stock de produtos da Yves Rocher a partir de dois euros. Um rapaz comentou a pedir mais informações. Prontifiquei-me a mandar as fotografias. Mandei algumas e os preços.

Começou a criticar que tinha de ter a margem de trinta por cento. Eu disse que fazia o preço que entendia, pois é meu. “Mas eu sou Chefe de Equipa, deveria entender”. Um monte blablablás sem pontuação e erros. Eu também Chefe de Equipa, não muda nada. Depois disse que ia comprar no site, como se me fizesse alguma diferença. Não vendo a ele, vendo a outra pessoa ou uso eu.

Eu respondi com ironia “Se quiser, dou-lhe o material todo e você vende ao preço que quiser. São mais de dez caixas.”. Ele não entendeu. Um dos cremes de corpo que vendo a quatro euros, é barato, pediu que lhe desse a três euros para vender a cinco. Respondi que não lhe ia dar, o preço já está baixo e não é negociável. O produto é meu, tenho os meus direitos.

 

Natal, Dom, Mão, Manter, Dar, Dólar, Presente

 

Começou a reclamar comigo, que não era dado. Dado tinha sido para mim (E mesmo que fosse, é meu, faço o que eu quiser.).

Eu respondi, não consegui conter “Lá porque estamos em Portugal, eu não tenho de vender ao preço que você quer. Mas você sabe lá se eu comprei ou não. Se quiser, compra. Se não quiser, não compra. Easy!”.

A personagem, bloqueou, porque não fiz o que ele queria. Já agora, oferecer os portes, pois o anúncio era para entregar em mãos no Porto e a pessoa mora em Coimbra. Talvez, dar-lhe dinheiro para ele ficar com os produtos. Esta última frase foi mais ou menos assim, visto que eu apaguei e não tenho acesso à conversa. Mas a ideia é essa e após apagar (Faço sempre), pensei “Isto daria um post!”.

Não sejam esta pessoa. Como diz o querido Luba, não sejam um Nice Mendigo! Respeitem o trabalho dos outros! Não és obrigado a comprar, mas respeita!

Beijinhos