Resenha

RESENHA DO FILME || DUCK BUTTER

Olá Nossos Devanienses!

 

Duck Butter e os desafios da representação lésbica na cultura pop |

 

É um filme fofo e divertido.

Há uma frase que se destaca, para mim: Tenta fugir do caminho fácil. Sim, devemos. É complicado, mas devemos.

O filme começa com a vida seja a vida. Uma delas perde o trabalho do qual lutou e gostava. Como se nada fosse. Como se ela fosse só um número. Que qualquer pessoa faria o mesmo trabalho com a mesma paixão. Como se ela fosse descartável e não uma pessoa. Que se lixem as contas dela, não são de quem a despediu. Não interessam para eles. Despedem como se nada fosse.

Durante esse fim-de-semana, existiram confissões, desabafos e curas internas. Ambas têm feridas identicas e tentam curar-se mutuamente.

 

Critica: Duck Butter - Metafictions

 

Elas, mesmo assim, acreditam. Eles não te vão levar a sério se não souberes dizer não. Eles, os que a despediram.

Uma é leve e a outra é mais racional, mais travada. Sim, travada é a palavra certa. Tinha receio do futuro. Receio de amar, talvez. Elas mal se conheciam, é normal. Além disso, não eram duas adolescentes, bem pelo contrário. Eram jovens, mas adultas. A mais leve tinha, pela aparência, vinte e poucos e a outra vinte e muitos. Não podem levar a vida como se fosse um conto de fadas. A vida é a vida. Não é nenhum conto de amor. A vida não pode ser levada com leveza imatura.

Sim, leveza imatura. “Esse quadros são feios, queima.”. “Mas foi o meu Pai quem pintou.”. “Não interessa.”. Wha…? As coisas não são assim, há uma coisa chamada de valor sentimental e isso é insubstituível. Claro, que não pode, nem deve ser queimado do nada. Qual é o problema dela? Só faltava afirmar, que como não é dela que não faria mal queimar. Há pessoas que não têm noção. Não é uma questão de ser materialista e que devemos ser desapegados. Não! As coisas, por mais pequenas que sejam (não o caso), têm o seu devido valor. Foi um quadro pintado à mão por alguém de quem ela gosta, conforme ela disse. Não é assim. Não pode ser assim. As coisas e as pessoas não são descartáveis. “Estragou, substituis.”. Não é assim! Não pode ser assim. Há uma coisa chamada de sentimentos. Sim, podemos ter sentimentos por objectos. Eu tenho pelas minhas coisas e não é errado. São todas insubstituíveis.

Não, eu não dou os meus livros. Não, eu não empresto os meus livros (Tirando umas excepções, conta-se pelos dedos duma mão.). Sim, sou apegada a eles. Alguns foram ofertas. Alguns foram comprados com o meu dinheiro. Alguns recebi para trabalha-los. Sim, têm valor para mim. Não são qualquer coisa.

Beijinhos

 

Resenha

RESENHA DO LIVRO || UMA VIDA DE CÃO

Olá Nossos Devanienses!

 

Uma Vida de Cão - John Grogan Falagueira-Venda Nova • OLX ...

 

Li este livro desde o dia quinze de Maio ao dia dezassete. Foi uma leitura rápida, leve e divertida. Família. Animais. Vidas.

Uma história que me marcou foi duma Família que tinha dois Filhos autistas. A Mãe afirma que nós tinhamos para ele os mesmos sonhos e expectativas dos outros Pais. A Mãe expós a sua alma. A vida como Mãe de crianças autistas pode ser solitária e isolada. Refere-se à tristeza que até os presentes vinham embrulhados. Os Irmãos de Jack têm autismo e a sua Família está de pedir desculpas. As pessoas não sabem lidar com elas, nem eles próprios.

Houve uma parte divertida de dois ET sobre a Black Friday. Um deles cita que Servem-se de pequenos cartões de plástico para gastar fortunas que não têm em coisas de que não precisam. 

 

Uma Vida de Cão - Livro - WOOK

 

Também se refere ao tabaco que experimentou com o Melhor Amigo apenas com dez anos de idade. Achavam que era algo interessante (Que crianças inocentes). Mas agora, com mais consciente afirma que o cigarro é nada saudável, perigoso, estúpido, mas legal. Mas o mercado que decida. Chama-lhe pau de cancro. ADORO! Se os cigarros são realmente nocivos – e todos sabemos que são – ponhamo-los fora da lei. Refere algo que eu não sabia, nem dava muito importância como fumadora passiva (Sou obrigada a sê-lo, não é mesmo?), os filtros podem parecer algodão biodegradável, mas, de facto, são feitos de filamentos de plástico que levam anos, décadas, a desaparecer. 

O que não faltam são beatas no chão. Acham normal. É banal para eles, mas não, não é normal. Nada normal. Tem a história duma mulher, que todos os dias, apanha o lixo do chão das outras pessoas. Desde crianças a idosos. O lixo é anónimo. O lixo faz parte da vida dos outros por escolha de alguém. Não dá para olhar para um pedaço de chão público que não tenha lixo, nem que sejam beatas. É triste. Nem parece que estamos em pleno século vinte e um.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO FILME || ALEX STRANGELOVE

Olá Nossos Devanienses!

 

Pin em Alex Strangelove ♥️

 

Um filme demasiado adolescente, já era de esperar. Alex Truelove adora a vida selvagem e isso é fofo. Há uma alusão à “Carrie” dum dos meus Escritores favoritos, Stephen King. O que fez com que gostasse mais um bocadinho do filme. É um filme fofo, é um filme engraçado, sem dúvida.

A parte central do filme, eu acho, é o nível que cada um tem de “aceitação”. Não sei usar a palavra certa, mas um deles já encarou como normal ( e é) o facto de gostar de homens. O outro está num modo de descoberta que se estivesse no início. Há uma cena ( forçada, a meu ver) sobre a infância de Alex.

“Eu acho que sou bissexual.”. Ao que o Amigo diz o seguinte “Não, tu és Amigo dum rapaz gay.”. A sério?! A cena mostra que o Amigo não tem muita inteligência, mas é engraçado.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || TÁXI – AMANHECE NA CIDADE

Olá Nossos Devanienses!

 

Filipa Fonseca Silva: “É muito difícil ser escritora em Portugal ...

 

Li num único dia. ADOREI! Li no dia catorze de Maio. Todos os livros da Filipa são pequeno, leves e fácéis de ler. São apenas cento e setenta e duas páginas.

Adorei algumas frases, tais como:

O bater do coração nunca mente.

Não podia sentir vergonha do trabalho que tinha porque não deixava que ele a definisse.

Sabia que sair dali só dependia dela própria e que na prática estaria apenas a trocar de patrão. ( Casar-se com alguém e deixar de ser Stripper.)

As crianças aprendem tudo com os Pais e com os adultos que as rodeiam.

Antes de salvar o Mundo, tenho de me salvar a mim própria.

Há três tipos de pessoas no que toca a vocação ou ambição profissional: as que têm vários interesses, nenhum deles praticamente arrebatadoresm, mas conseguem adaptar-se a vários empregos e funções sem pensar muito no assunto ( Esta pessoa sou eu); as que não têminteresses nenhum e que simplesmente fazem o que lhes dizem, o que conseguem, o que é para fazerem, ambicionando pouco mais do que um ordenado ao fim do mês (É o que não falta, infelizmente); e as que só têm uma paixão na vida, tão grande e tão forte, que não conseguem sequer imaginar fazer outra coisa, o que na maioria das vezes apenas lhes traz frustração, dissabores e precariedade.

 

Filipa Fonseca Silva: “É muito difícil ser escritora em Portugal ...

 

A tal ideia que a maioria dos humanos têm enraizada de que a sua vida é o centro do Mundo.

Pessoas cheias de vícios, cheias de falhas, cheias de sonhos e de certezas, desconectadas da evidência de que são apenas uma micropartícula nos desígnios do Universo e que este não vai girar à sua volta para servir as suas esperanças e ambições, ignorando que quem tem de servir as suas esperanças e ambições são elas próprias. 

Aprendi algumas palavras novas como:

Passajar – coser

Tágides – Ninfas do Tejo

Malogrado – Que teve um fim prematuro

Relegar –  Banir

 

Filipa Fonseca Silva: “É muito difícil ser escritora em Portugal ...

 

Misógino – Desprezo de mulheres

Hercúlea – Que exige muito esforço

Aventesma – Fantasma

Lépida – Alegre

Achaque – Mal-estar sem gravidade

Imbuído – Fixar

Não sabia que a querida Filipa sabia quais eram os tipos de Prostitutas. Achei muita piada.

A Filipa escreve uma frase muito típica em Portugal, visto que a maioria prefere absorver tudo da televisão e nada dos livros que é Tu larga-me os livros que isso não serve para nada. Claro que não, serve para escrever bem, sem desculpas. Sendo esta uma das utilidades. E também afirma uma grande verdade de Portugal: Têm amnésia colectiva.

Achei o protagonista muito machista e antiquado. E não achei que se tratasse duma cidade, pois havia muitas necessidade de aldeia.

Aconselho mesmo muito, pois a Filipa é uma Escritora incrível.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO FILME || A RAPARIGA DA CANÇÃO

Olá Nossos Devanienses!

 

3 bons motivos para ver "A Garota da Canção" - FolkdaWorld

 

Que bosta de filme! Detestei. Gostei do início de depois perdeu o interesse. Este é um filme de dois mil e seis. Ela como apareceu, desapareceu. Ele mal a conhecia, mas procurou-a. Considerava-a como Namorada. Sim, uma Namorada que foi com o ex-Namorado ( a sério) a um festival de Verão. Tem alguma coisa para correr bem?NÃO! A própria referiu no início que não era nada sério entre eles. Tinham acabado de se conhecer, é normal.

É um filme demasiado adolescente protagonizado por pessoas que se notava que tinham vinte e muitos.

 

A Rapariga da Canção | Netflix

 

É filme demasiado adolescente, mas demasiado mesmo! Sim, estou a repetir fazer ênfase. O que ele fez para ir ter com ela, para ter dinheiro para ir ter com ela, foi completamente alucinado, no mínimo. A criança estava drogada, só pode. E pagou duzentos dólares de táxi, só no táxi.

Tinha uma frase da qual gostei: O amor não é inútil. Serve para abanar umas coisas cá dentro.

Mas era amor? Não me parece, era só patético.

Beijinhos

 

Resenha

RESENHA DO LIVRO || ESTE LIVRO AMA-TE

Olá Nossos Devanienses!

 

LIVRO] Este Livro Te Ama - PewDiePie - Tudo que motiva

 

Li este livro rapidamente no dia catorze de Maio, de manhã.

Desiludi-me por não ser prosa, texto corrido. Era isso que eu esperava, ser em prosa. Mas foi só isto que me desiludiu. O livro é super divertido e irónico. Adoro! É bom para descontrair. Ele serve para te fazer rir. Estás triste, estás com uma desilusão amorosa, estás num dia okay, lê este livro. Ele vai-te amar durante meia hora, quarenta e cinco minutos. Vale a pena.

Como está escrito no livro, se morreres, os teus problemas acabam. Ironia à parte, mas tem a sua verdade.

 

LIVRO] Este Livro Te Ama - PewDiePie | Livros, Dicas de livros e ...

 

O livro deixa-te bem enquanto o lês. É pena ser tão rápido.

Não é o livro da vida. Não foi feito para isso. Não é o meu livro favorito. Esse eu descobri este ano, é o “Onde nascem limas, não crescem laranjas” de Amanda Smith. É o meu livro da vida!

Mesmo não seja um livro fantástico, incrível e tudo mais, merece ser lido.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || QUATRO LOIRAS

Olá Nossos Devanienses!

 

Sex and the City' author Candace Bushnell to take on #MeToo issues ...

 

Li este livro desde o dia onze de Maio ao dia treze do mesmo mês. Bastante divertido, apesar do enorme número de palavrões. É uma coisa que eu não gosto, pessoalmente.

Tem frases interessantes como:

A memória é apenas uma versão alternativa da realidade.

Claro que o mais certo é que tu não entendas isto, porque, como todas as pessoas com problemas mentais, estás completamente obcecada contigo própria.

As pessoas olham-nos como se esperassem odiar-nos, e as reacções delas são como pedradas, a atingir-nos, uma depois da outra, até que finalmente desistimos, paramos, pomos os braços por cima da cabeça e começamos a desaparecer lentamente.

Sim, são críticas à nossa Sociedade que, segundo uma das personagens, está morta.

 

Candace Bushnell | Grove Atlantic

 

Qualquer pessoa pode ser Escritor, agora. (…) Qual é o interesse de se ser Escritor se qualquer um pode sê-lo.

É mais importante as pessoas sentirem-se livres, mesmo quando não são livres.

Nenhum de nós pode estar acabado antes de se deixar acabar.

O livro é muito divertido e aconselho para uns dias relaxados.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO FILME || ROMANCE EM MANHATTAN

Olá Nossos Devanienses!

 

Manhattan Romance filme - Veja onde assistir

 

O filme é tão boa que só teve uma frase que destacou, no início: Uma dança não é o início, nem o fim.

Que final foi aquele? Claro que um filme precisa dum final. Um final bem feito. Pelo menos, o Realizador tem de sentir que é o final. Tal como um Escritor.

Não gostei, mas vi até ao fim. Dei uma oportunidade. Valeu a pena? Não.

 

Esporte Clube Pinheiros: Cinema: Manhattan Romance

 

Foi bastante okay. Bastante mesmo. Pensei o que seria aquilo. Não sei. Ainda não sei. Ainda estou confusa. Não voltarei a ver. Não gostei mesmo.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || ONDE CRESCEM LIMAS NÃO NASCEM LARANJAS

Olá Nossos Devanienses!

 

Amanda Smyth | Penguin Random House

 

Que livro espantoso. Este é um dos livros que toda a gente deve ler. É maravilhoso! Esta estória é fantástica e marcante. Muito marcante mesmo e tocante. Li do dia dois de Maio ao dia dez do mesmo mês. Mais uma prova que mesmo que o livro seja muito bom pode demorar o seu tempo.

Estou tão abismada. São temas que acontecem todos os dias, dois delas é o machismo, tanto feminino como o masculino, e o aproveitamento social. Infelizmente, há machismo no feminino. E as pessoas acham normal, pois foram assim educadas. É um ciclo vícioso. Vou dar um exemplo deste caso: Quando a mulher traí, a culpa é dela. Correcto. O relacionamento é a dois e não a três. Deve respeito e fidelidade à pessoa com quem está. MAS se for um homem a trair, a culpa é da Amante. A sério, Sociedade?! O homem é, automaticamente, inocente! Os homens nem precisam, neste caso, atacar a Amante, as próprias mulher o fazem. Os homens defendem-se entre si, as mulheres julgam-se. Eu não acho normal! Estamos no século vinte e um ou no quinze? Por vezes fico na dúvida.7

 

Amanda Smyth (@AmandaSmyth8) | Twitter

 

Marquei duas frases que me fizeram pensar:

Só uma luta se fizeres dela uma luta.

As pessoas estão sempre prontas para atirar pedras. 

Uma crítica maravilhosa à Sociedade. As pessoas estão sempre a atirarem pedras umas às outras e fazem-no com dedicação, como se fosse a obrigação delas fazerem isso. É como quando alguém incomoda, se tu mostras que estás incomodado, a outra pessoa chateia-se, pois é o dever dela incomodar-te. É a Sociedade que temos. Aquela que absorve tudo da televisão e nada dos livros. Uma bosta. Começa de novo.

 

do meu pedestal: "Onde Crescem Limas Não Nascem Laranjas", de ...

 

Tem, pelo menos, dois seres desperzíveis que passam impune, pois são homens. Tudo bem que um morre, mas não por tudo o que fez. Até porque este fez questão de dizer durante anos que a miúda mentia, só para sair ileso, como saiu, das suas maldades. É preciso ter uma mente muito doentia. Ele esteve durante oito anos, pelo menos, a planear tudo aos mais pequeno pormenor. Depois quem ficou mal? A vítima. Quem fica com a dor não é quem aleija e isso é injusto.  Porquê que quem dá o pontapé não é quem se magoa? Depois a vítima fica com os traumas e quem lhe fez mal passa por coitado e defendido.

Sendo pesquisei, Trindade e Tobago é uma nação caribenha composta por duas ilhas, perto da Venezuela, com tradições e cozinhas crioulas distintas. A capital de Trindade, Port of Spain, recebe um ruidoso Carnaval com música calypso e soca. Existem várias espécies de aves em santuários como o Asa Wright Nature Centre. A ilha mais pequena de Tobago é conhecida pelas praias e pela reserva florestal, Tobago Main Ridge Forest Reserve, que abriga beija-flores. Faz parte da América do Sul. Fiquei curiosa, pois existe a Trindade aqui no Porto, Portugal, mas eu tinha a certeza absoluta que não era a este local que a Escritora se referia.

Quem nunca leu, leia. É muito marcante. Eu chorei. Uma das partes que chorei foi quando uma das personagens morreu da mesma causa duma pessoa que marcou muito a minha vida. Quando estava a ler os sintomas já esperava. A pessoa que me marcou, tinha receio de ir ao Médico dizer que tinha sangramento vaginal, pois já era idosa e tinha vergonha. Isso custou-lhe a vida tal como a personagem. Vou citar essa parte ” O tumor no seu ventre era grande, do tamanho dum bebé de nove meses, e o Cirurgião ficou surpreendido por ela ter sobrevivido durante tanto tempo sem interverção cirúrgica.”. Tal e qual o que se passou com essa tal pessoa. A ficção imitou a realidade. E um dos desejos dessa personagem antes de morrer foi: Não deixes que o Roman ganhe.

Isto é só a visão de Celia, não sabemos se a personagem contou a verdade antes de morrer ao Pai de Celia e ter originado o final. Temos de ter isso em conta. É a visão de Celia e não de todas as personagens. Porém, só tenho a escrever: Que vida a dela!

 

Henri Rousseau Ténica: óleo sobre tela The dream, 1910 Localização ...

 

Sobre a Escritora, encontrei o seguinte na Wook: Amanda Smyth nasceu em Trindade, mas tem origens irlandesas e portuguesas. Concluiu o mestrado em Escrita Criativa na UEA, em 2000. Os seus contos têm sido publicados na New Writing e na London Magazine, para além de transmitidos na Radio 4. Amanda Smyth recebeu uma bolsa do Arts Council para a escrita de Onde Crescem Limas não Nascem Laranjas.

Na Wook, Bertrand, Círculo de Leitores e outros sítes de livraria não encontrei como disponível, só no OLX. Valem mesmo a tempo ser lido. É daqueles livros que deve ser mesmo lido por toda a gente, a sério. Tem uma história muito poderosa. Arrepiante. Marcante. Alucinante. Real. Desumano. Banal.

Sim, o que é desumano pode ser banal. Incrível quando nos estamos a referir ao século vinte e um. O que é desumano é banal para muita gente. É o Mundo em que vivemos.

Beijinhos

 

 

Resenha

RESENHA DO FILME || LISTA DE NÃO BEIJOS

Olá Nossos Devanienses!

 

Aparato do Entretenimento: CRÍTICA: "Naomi e Ely e a Lista do Não ...

 

Este filme é de dois mil e quinze e parece a Banca dos Beijos, MAS a Banca dos Beijos é de dois mil e dezoito. Pois…

A Noami admite que mente o tempo todo e a si própria. São vizinhos desde sempre e isso fez com que se tornassem inseparáveis. Gostei bastante desta fala: Uma amizade da qual nunca brigamos por rapazes é uma amizade que dura para sempre. Este foi o motivo da lista.

Há uma coisa que pode geral um grande preconceito: Ely é gay e tem duas Mães. Quem tem a mentalidade no século quinze vai dizer “Ele tem duas mulheres como Mães, como não haveria de ser gay? Ele precisava dum homem que o educa-se a ser homem. blablablá.”. Sim, ainda há quem pense assim e, pior, admite. Que mente curta.

 

Aparato do Entretenimento: CRÍTICA: "Naomi e Ely e a Lista do Não ...

 

Eu gostei imenso quando Ely falou duma coisa curiosa: Antes da faculdade, ele tinha uma sexualidade hipotética. Sim, Ely é fofo!

Tem mais duas frases que eu destaquei:

As pessoas cometem o erro de deixar a beleza guiar a atracção.

Tudo bem. Princesas não sabem cozinhar, mesmo.

Resumidamente, é um filme leve, adolescente e divertido. Excelente para um fim-de-semana mais descontraído.

Beijinhos