Resenha

RESENHA DO FILME || JUEGO SINIESTRO

Olá Nossos Devanienses!

 

Imagenes de la Película: Juego Siniestro (2016) Página 2

 

O miúdo só diz uma frase no final num cenário um “pouco” copiado do meu filme favorito: Sinister. Em nenhuma parte do filme, que eu tenha reparado, não explica o porquê de Júlio não falar, só diz há quanto tempo aconteceu algo. “Já passaram x anos. Eu sei que tu podes falar.”. Sim, mas o quê que aconteceu?! Que trauma foi esse?!

Há uma parte que eles tentam fugir, mas há um homem que diz que no dia seguinte é a festa do Júlio e por isso ninguém sai. Ela fica com uma cara de “Okay, já não quero ir embora.”.

E é aquele tipo de pessoa que diz que não se acredita em nada e quando já está tarde, acredita. Cliché.

 

JUEGO SINIESTRO | Trailer Oficial | Estreno: enero 18 de 2018 ...

 

Aparece esta mulher. Tem uma mão podre, o que dá a entender que esteve no ritual. Mostra a raba. A lâmpada cai. Alguém a agarra. Dá a ideia que morreu e depois não se referem a ela durante o filme todo! Então porque raio ela apareceu numa cena? Ninguém quis saber dela. Morreu, está morta. Quem era? Não sei.

O filme tem muitas pontas soltas e não tem quase nada que explique. Focou-se praticamente numa coisa e pronto. Esqueceu-se de dar outra explicações. E nem isso fez direito. Aquele ritual era para quê? Para a vida eterna, por isso usavam quem usava? Porquê que se ficava com a mão podre? Mil e uma questões e poucas respostas. E é um filme demasiado cliché. Com o Ouija que nem é seu. Sustinhos baratos. “Brincadeiras” com brinquedos inanimados para chamar a atenção sob os fantasmas. “Olha eu aqui a brincar com o teu carrinho.”. A sério?

O miúdo anda sempre com um tablet atrás para escrever e jogar. Há uma parte que ele está debaixo da cama, levanta-o e vê umas pernas mortas de pé. Eu, muito inteligentemente, disse: Tira uma fotografia! Não tirou. Seria interessante que ele mostra-se à Mãe Psicologa Céptica. Tem de haver sempre alguém céptico. Se todos acreditassem, o filme acabaria depressa.

Eu só penso: Porquê?!

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || O SOL DA MEIA NOITE

Olá Nossos Devanienses!

 

O SOL DA MEIA-NOITE - JO NESBø | RESENHA - Coisas De Mineira

 

Foi um livro interessante que li entre os dias dez e onze de Abril deste ano. São apenas duzentas e seis páginas. Lê-se bem. É fofo. Parece mais um romance do que outra coisa. Mas eles são um casal tão fofo. Porém, ambos são um pouco machistas. Um fez o que fez para ter onde dormir, o outro ficou chateado e depois foi como se nada fosse.

Eu confesso que o li como um romance puro na sua segunda parte. Há demasiado amor e pouco crime. Há lealdade, o que é bom. Há o arrependimento da parte do Pai que achou que estava a fazer o correcto pela Filha. Tem várias vidas num só livro. Torna-o quase real. Torna-o tocante.

A escrita é cativante e dá vontade de ler mais e mais. Descobrir mais livros de Jo Nesbø. Porém, isso significa aumentar a minha lista de não-lidos. Todos os dias há tentações literárias. Eu juro que tento conter-me, mas nem sempre é fácil. Nota-se pela pilha enorme que tenho de não lidos. Se não existissem livros para ler seria mais grave e triste. Os livros são uma parte muito boa da vida.

Beijinhos

 

Resenha

RESENHA DO FILME || THE PURGE: ANARCHY

Olá Nossos Devanienses!

 

Rick's Cinema: Três novos posters de "The Purge: Anarchy"

 

O filme é bom, não tiro o mérito, mas, como é óbvio, é mais do mesmo. Há aquele grupo de ricos que acham muito bem matar os outros, mas matar a eles está errado. É como aquilo de bater. Se fosse assim tão bom morrer para “purificar” matava-se a eles próprios. O ser humano é um pouco egoísta, vê-se quando se referem ao trabalho dos outros, por isso, se algo é muito bom, eles usam mais depressa neles próprios. O chocolate é bom e há quem não partilhe. Prefere comprar duas barras do que partilhar a sua. É a realidade e na violência é igual. Se fosse bom, neste caso, matavam-se a eles próprios para “o bem da purificação”.

Uma coisa muito interessante é que os que tinham mais consciência despediam-se uns dos outro com “Se protege”. Sim, eu vi o filme dublado. Confesso. Eu prefiro para puder dividir-me por outras tarefas. Não vale a pena tentar iludir-vos. É esta a verdade. Os filmes dublados são bastante vantajosos para mim.

 

Review: Why 'The Purge: Anarchy' is this Summer's Essential Guilty ...

 

A vida divide-se em dois grupos: Os conscientes e os inconscientes. E claro que isto dá dinheiro a quem organiza: menos pessoas, menos despesas. Os objectivos giram sempre à volta do dinheiro como o leite de vaca, tabaco e tudo mais do mesmo nível de prejuizo. Dinheiro. Dinheiro. Dinheiro. Se não fosse a porcaria do dinheiro, nem o leite de vaca haveria à vende de tão mal que faz.

O importante não são as pessoas, mas sim o dinheiro na visão deles. É nojento, mas é a realidade. Há quem invente que o leite de vaca faz bem só para vender. Como se nós não tivessemos aprendido na Escola que o melhor leite é o materno. Até chegaram ao ponto de inventar que quem fuma não apanha Corona Vírus. É mesmo preciso ser doente por dinheiro. Todos somos fumadores, uns passivos e outros activos, não há meio termo. Por isso, se fosse verdade, ninguém morreria. Não é preciso inventar a roda. Tudo marketing. Tudo pelo bem do bolso de alguém.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || QUERES CASAR COMIGO TODOS OS DIAS, BÁRBARA?

Olá Nossos Devanienses!

 

Escritor português, Pedro Chagas Freitas se torna fenômeno com ...

 

Li este livro desde o dia um de Abril ao dia oito do mesmo mês. Confesso que achei confuso, pois talvez devesse ter começado pelo Bárbara. Sei lá. Na parte que era o portagonista masculino a escrever, parecia Saramago. E Saramago dá muitas dores de cabeça nas suas leituras, pois não pontua da forma tradicional. Dai eu não gostar dos livros desse Escritor. Cansam a minha miopia. Não é o género que eu aprecio, pois sou muito tradicional nessas coisas, dai detestar o Novo Acordo. A pontuação tem a sua regra, tudo o resto é confuso. Exactamente como os vampiros, já foram inventados na literatura, não é preciso alterar nada. E se aqueles “vampiros” brilham ao sol é porque não tomam banho.

Depois veio a parte da Bárbara e a pontuação voltou ao normal. Abençoada. Eu sou muito chata nessas coisas, a sério. Tudo bem que Saramago ganhou mil e uma coisa com a sua ousadia e etc. Achei que “ousadia” era a melhor palavra para o caso, mas como gosto de referir sempre: Existe uma Gramática que dita as regras. Ela ajuda a respeitar a Língua Portuguesa, no caso. Estas mudanças de sítio por parte da pontuação, confunde a minha querida miopia. A sério.

Não quero que sejas tudo o que eu quero que sejas, até porque nem eu sou tudo aquilo que queria ser.

 

EAU MY GOLD: | QUERES CASAR COMIGO TODOS OS DIAS, BÁRBARA? |

 

Não, não detestei o livro por ter achado confuso. Detestei por ser lamechas. Estou a brincar. Não o detestei. Também não o adorei, verdade seja dita. É lamechas, sim. A parte que demorou mais a ler foi Queres casar comigo todos os dias? . A Bárbara li num dia. Num parte insinua uma coisa e na outra parte outra. Parece que ele está um pouco alucinado ou mesmo a sonhar (ou eu não entendi, pode acontecer).

Irritou-me que por vezes tenha escrito Bárbara com minúscula. Corrigi. A letra minúscula é usada para objecto. O Escritor pode ter encontrado toda a lógica para o fazer assim, mas o livro é meu e eu corrijo-o para não me atrapalhar. Juro que detesto nome com letra minúscula. Parece uma maneira subtil de afirmar que a pessoa é um objecto para ele. Não acho piada, nem necessário.

Achei muitas frases interessantes e passo a citar duas:

Tinha medo de te amar e quando é assim é porque já se ama.

É com abraços que se calculam as pessoas. 

 

EAU MY GOLD: | QUERES CASAR COMIGO TODOS OS DIAS, BÁRBARA? |

 

Sou sincera quando afirmo que não detestei. Mesmo achando confuso, como já referi, captei como estória ( Não acho que seja real só porque o protagonista se chama Pedro) fofa e lamechas. Não muito lamechas, pois isso faria com que detestasse, pois eu própria já sou muito lamechas. Lamechas quanto baste.

Tem umas boas tiradas. Umas frases acertadas, mas se eu conseguisse respeitar enquanto leio seria melhor. A pontuação usada de forma tradicional ajuda a respirar e também a compreender, no caso.

O Leitor gosta de compreender o livro, assim só por acaso. Dá jeito. É livro interessante. A brincadeira à moda de Saramago tem o seu toque, sem dúvida. Porém, poderia haver duas versões. A versão mais correcta e a de Saramago. É uma sugestão. Eu seria uma das pessoas que agradeceria. Dou valor ao trabalho que teve o Saramago na sua escrita, mas não é por isso que sou obrigada a apreciar. São coisas muito distintas.

Beijinhos

 

Resenha

RESENHA DO FILME || EL AVISO

Olá Nossos Devanienses!

 

O Aviso Netflix: Crítica do filme com Trailer Dublado

 

Considerei o filme um pouco confuso. Existiam partes que pareciam sobre o passado, mas ao mesmo tempo nada indicava como tal.

Muito cliché. Ninguém acreditava nele, pois tinha uma doença psicológica e não tomava a medicação. É mais do mesmo. Uma cópia barato do filme Vinte e três, a meu ver, como suspeitei pelo trailler.

Além disso, junta uma Mãe bastante protectora, pois o seu Filho sofre de bullying. É muita coisa junta. A Directora, ou algum membro superior da Escola, devaloriza as preocupações da Mãe solo. Quem vez muito filmes sabe, que as pessoas mais desvalorizadas, normalmente, são as que têm razão e não passa disso.

Não gostamos muito, basicamente.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || A CULPA É DAS ESTRELAS

Olá Nossos Devanienses!

 

A Culpa é das Estrelas” de John Green | Odisseia nas palavras

 

Já sabia que ia chorar. Li este livro entre os dias trinta de Março e o um de Abril deste ano. Acho o Gus um pouco atrevido, mas ao mesmo tempo querido. E racional. Ele pensa em tudo ao pormenor. Ele não é tão sentimental como ela. Completam-se.

Eu teria a mesma reacção que a protagonista teve em relação ao cigarro. Crush e cigarro não combinam. Mas ele era tão fofo e apaixonado. O porto de abrigo dela, mas ao mesmo tempo, sem ela saber, era o dele.

Uma das frases que eu sublinhei foi a seguinte: ” O sofrimento não nos muda, Hazel. Revela-nos.”. Mais cedo ou mais tarde vamos sofrer, nem que seja porque ninguém é imortal. O gato morre, o cachorro morre, o Avô, a Avó, o Tio, o Primo, o piriquito. Isso, mesmo natural, duma forma ou de outra vai-nos fazer sofrer. Pelo menos, há maioria, mesmo que não o mostre. Podemos até ser racionais, mas aquela pessoa vai fazer-nos falta de alguma maneira, nem que seja da maneira bonita que marcou a nossa vida e a determinado momento pensamos “Esta situação pediria mesmo o toque dela, mas ela já não está cá.”. Só este pensamento magoa.

 

A Culpa É das Estrelas” transmite adaptação fiel do livro | EXAME

 

São adolescentes a viverem as coisas como adolescentes: à flor da pele. O cancro destroi muitas vidas e não só a vida onde habita. É um tema tocante, sem dúvida. Tocante e bastante real.

Mesmo sendo um tema tão sensível, o livro não deixa de ser fofo. Não gostei do final em si, porque me chorar mais, mas pareceu-me o mais “apropriado”.

“Somos tão capazes de magoar o universo como de o ajudar.”

“As marcas que os humanos deixam são cicatrizes.”

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO FILME || MIRAGEM

Olá Nossos Devanienses!

 

Durante a Tormenta: Novo Filme Espanhol da Netflix - Tópico 42

 

Gostei mesmo do filme. Afinal ele queria mostrar algo completamente diferente. Queria mostrar quem era, na verdade, o Marido dela. Mostra que nunca devemos mudar o passado. Bem, eles tiveram várias hipoteses de verem qual seria o encaixe perfeito para a protagonista.

Porém, é bonito, ela escolhe a Filha em vez de concluir o curso.

Mudar o passado duma pessoa, evitar que ela morra, não muda apenas o futuro dela. Por exemplo, se uma pessoa porta-se mal, fica de castigo, não vai a um passeio e esse carro tem um despiste e todos morrem. Valeu a pena portar-se mal. O acto de escolherem por essa pessoa, não ir naquele carro em específico, fez com que a pessoa continuasse viva.

 

Durante a Tormenta (2018) - Netflix | Flixable

 

Outro exemplo, dizem que Angélico Vieira tinha um amor por uma loira e por isso a Namorada da altura não foi naquele carro. Hoje ele está morto e a Namorada está viva.

Há casais que nunca se iriam conhecer e “serem felizes para sempre” se não escolhessem o mesmo curso. Se não apanhassem aquele autocarro. Quando se muda um pormenor dum passado, muda-se muitos presentes.

Mas há vários pormenores que o filme quer mostrar que podem passar despercebido. Quem é, verdeiramente, o Marido, como já referi. Quem é o verdadeiro assassino. Que nem tudo que parece é.

Vou dar um spoiler, pois preciso mesmo de escrever isto: É muito mau ser preso no aniversário. Se não me engano, nem o bolo comeram. A Polícia entrou nesse preciso momento. É triste. Porém, sabendo passado e o resultado no presente, podemos contornar melhor. Por exemplo, o que o miúdo fez na terceira tentativa. Há terceira é de vez e não foi tratado como louco!

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || PEQUENAS MENTIROSAS

Olá Nossos Devanienses!

 

Pretty Little Liars PORTUGAL: SPOILERS: Principais diferenças ...

 

Já tinha visto alguns vídeos onde partes da série apareciam para dar asas a outras histórias ( ou estórias, no caso). Um desses foi o caso de Aria. E sempre que a cena dela aparecia, a minha imaginação retratava a Actriz que a interpretou na série. Deu para “saborear” melhor a história em si ( visto que é baseada na juventude da Escritora).

Várias coisas típicas de adolescentes recheiam o livro, mas não algo muito chato. Sim, os adolescentes são chatos, na sua maioria.

É bem interessante e como já sopunha, como é o primeiro livro da saga, não iriam revelar quem é “A”, mas não desanimei por isso. Aliás, li-o em dois dias, desde o passado dia vinte e oito de Março ao dia trinta do mesmo mês. Logo, foi tudo menos entendiante. Bom, também há livros bons que parece que se arrastam como o livro: O Diário da Minha Melhor AmigaVocês entenderam onde quis chegar.

 

Pequenas Mentirosas" T4 | -A regressa em maio ao AXN White HD ...

 

Vários clichés adolescentes que não estragaram a história em si. Até porque já tudo foi inventado, até o que não existe ainda. Referindo a isso, estamos atrasados nuns bons anos quanto aos carros voadores. Não eram para surgir no ano dois mil, segundo os livros de ficção cientifica? Pois, bem atrasados. Porém, o que aconteceria se houvesse um acidente entre dois carros voadores? Seria como os aviões, caem e tudo morre? Não sei se gosto desta evolução.

Parece que alguém andava a irritar as Amigas e depois voltou a irritar, segundo parece. Depois é descoberta, mas essa descoberta não a liga a “A”. Bem pelo contrário. É bem interessante. As reviravoltas são boas.

 

História Pequenas Mentirosas... - História escrita por ...

 

O livro termina com a seguinte frase que faz sonhar com os próximos livros: Acreditem, eu adoraria contar-vos tudinho já, mas que graça isso teria? Estarei atenta. – A

Quem é esta personsagem que está atenta? Aguçou o apetite. Sim, Francisca, eu sei que era esse o objectivo.

Embora esteja curiosa em relação a este mistério, mais depressa leria os livros do que viria a série. Um livro tem mais profundidade e pormenores (pelo menos, deveria de ser), não sou muito de séries e amo ler. Porém, nada impede que, futuramente, até escrevas sobre a série e até refira que me rendi. Também aconteceu com a minha série favorita: The American Horror Story. Veremos o que o futuro nos reserva.

Beijinhos

 

Resenha

RESENHA DO FILME || MARCA DO DEMÓNIO

Olá Nossos Devanienses!

 

A Marca do Demônio

 

Só eu é que achei o corvo muito computadorizado? Notava-se muito. Claro que não poderia ser um corvo real, mas fez-me confusão. Porém, eu sou uma azenha em programação, logo não faria melhor. É só um pormenor que me chamou a atenção.

Achei o filme um pouco confuso. Tenta ser subtil, eu acho, mas deixa muitas questões no ar. O filme acabou e eu pensei “Interessante, mas estranho.”.

 

A Marca do Demónio | Site Oficial da Netflix

 

Há uma mistura com do presente e do passado para tentar explicar o presente, certo? Foi isto que eu entendi. E porque raio colocaram romance no meio?! Chega a ser irritante.

É um filme bem estranho, não o nego. Há sempre a céptica no meio que só começa a acreditar quando é demasiado tarde. Há clichés em tudo. “Trate-me por tal. Eu sei Professora catedrática e não vou acreditar nessa balelas.”. Depois acaba como acaba. Sim, o nosso Blog não tem spoilers.

 

A Marca do Demónio” - Como Não Fazer Terror | Cinema Pla'net

 

Exames médicos para aqui, exames médicos para ali, pois somos muito lógicos. Encontramos droga no organismo da sua Filha. “Eu só quis experimentar.”. “Eu estou stressada, mas não é disso!”, refere a adolescente.

E a Irmã é que paranoica por tentar ajudar a Irmã. Basicamente quem pensa diferente dela está errada e o Marido é outro carneirinho.

Isto é só um livro, pensa ela.

Beijinhos

Resenha

RESENHA DO LIVRO || OS HOMENS SÃO DE MARTE, AS MULHERES DE VÉNUS

Olá Nossos Devanienses!

 

Resenha] Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus | Jovem ...

 

É um livro interessante. Não se foca apenas nos homens e nas mulheres, mas também nas situações de cada um.

Aborda cada capítulo de forma suave. Tudo em prol da boa comunicação. É só esse o objectivo do livro: que haja boa comunicação e no momento certo.

Tudo que acontece no lugar errado, à hora errada estraga tudo. Tudo tem o seu tempo e o livro explica isso muito bem.

 

Livro Homens São De Marte Mulheres São De Venus - John Gray - R ...

 

O livro foi lido em quatro dias, desde o dia vinte e quatro de Março ao dia vinte e oito. O livro avisa-nos que cada um tem as suas interpretações.

“Fomos programados pelos nossos Pais, pela cultura em que crescemos e pelas nossas próprias experiências dolorosas passadas.”. “Permita-se a si mesmo(a) a cometer erros.”. Estas duas frases fazem todo o sentido de tão verdadeiras que são. Demasiado verdadeiras.

Não é um livro “sufocante” de auto-ajuda e prima por isso.

Beijinhos