Sem categoria

SONHEI || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Trazemo-vos um trecho de “Dois Cinco”.

Hoje sonhei contigo. Sim, contigo. Sonhei que ias casar com uma tal Paula. Quem é a Paula? Não me mintas! Já te disse que não é bonito andares-me a enganar. Só perdes com isso. E o que interesse se é só um sonho?! Quer dizer muita coisa. É uma das tuas amiguinhas, não é? Não mintas! Fica com quem quiseres, não te estou a cobrar. Fica lá na tua liberdade, Libertino. Quem é a moça?! Vais-me mentir mais uma vez, não é? Tens muito essa mania de tentares fazer-me de otária. Dás-me razões para desconfiar! Mulherengo! Sim, escusas de dizer mil vezes que não és desses! Pára! Pára! Pára! Anda com quem quiseres. Achas que me importo? Talvez seja a altura que devo fingir encantar-me. Quem é ela?! Vais dizer ou não?! Como não sabes? Estás a mentir! Os teus lábios estão a mexer-se. Essa boca gostosa… Pára! Pára! Pára! Não dizes, pois não? Sabes sim! Vai lá ter com as tuas bitchzinhas. Tentas dominar, mas comigo não dá. Estás-me a irritar. Já chega. Já te disse que não sou tactil, nem portátil. Isto para ti não é nada de novo. Pára! Pára! Pára! És um autêntico artista, mas já deverias saber que não é isso que me conquista. Essa tua lista de amiguinhas… Mordidelas nesses gémeos… Ah, não posso? Nos mamilos? Na língua? Como não posso? Claro, mas essa Paula deve poder. Não te justifiques, detesto isso. Sabes perfeitamente o que queres de mim, mas o que andas a fazer por ai anda-te a confundir. O que dizes não sentes. Há coisas que finjo não ver. É melhor assim. Vai ter com a tua Paula. Vai. Vai. Vai. Pára. Pára. Pára. Pode ser que ela não tenha de fingir. Sim, eu sei que vocês também fingem, mas nós fingimos melhor. Tem de ser. Não queremos que fiquem tristinhos.

Beijinhos

Sem categoria

EU DEVERIA DIZER-TE || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Trazemos, novamente, um texto de “Dois Cinco”.

Ao inicio tudo é muito bonito. Não é belo, mas bonito. Só queres um monte de miúdas ao teus pés. Então, agora, baby, esquece. Eu dava-te tudo e tu só davas um bocado, pois tens a tua vida. A tua outra vida. Eu fazia parte da vida paralela. Aproveitaste da bondade. Eu pensava que eras um pouco especial, mas os teus olhos mentiam e choravam por ti. Lembras-te quando dizia que sem ti não era ninguém e para deixares tudo? Tinha tanta piada. Sim, fui tão falsa como tu! Um beijo, fofo. Escusas de vir atrás e contrariaste! Não te ponhas com cenas inúteis! Vou seguir em frente e encontrar alguém decente! Não vou olhar mais para trás e sentir-me vazia sem ti! Sem ele! Era cada garrafa que eu esvaziava a chorar e a pensar em ti! INÚTIL! Essa cara de chulo só me dá nojo. Foi por um fio, mas ainda bem que apagaste a chama. Ias apagando conforme te dava proveito. Não me digas que me amas, tu só me trais! Tu esqueces-me quando estás na tua vida. Com o passado iremos brincar mais para frente. Não existe mais nenhuma cena entre nós. Não quero conversas com alguém com tu. DESISTE!

Era isto que te deveria dizer, mas o coração não deixa…

Beijinhos

Sem categoria

A ÚNICA CONDIÇÃO É… || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Vamos mostrar-vos um trecho, mas desta vez do “Dois Cinco”.

Respira. Luz. Olhar azul. Um rosto bonito. Câmara. Acção. Isso era luz que ia embora. Abandonando a cidade. Esperando o caos. Quem me vai ajudar agora? Nada é para sempre. Isso deixa-me completamente irritada. Tentas falar. Trocamos olhares. Pegas-me na mão e dizes que me vais ajudar. Isso é mau, mas… Está tudo bem. Eu consigo ver o final. Vai ser a seguir. A minha única condição é… Diz que te vais lembrar de mim sentada com aquele vestido. O pôr do Sol é nosso, baby. Rosas vermelhas e coisas baratas era tudo que tinhas para me dar. Diz que me vais ver de novo. Diz. Diz. Diz. Ainda que seja só em sonhos. Conta-me o que sonhaste esta noite. Claro que não foi comigo. Porquê que os sonhos doem tanto? Disseste que não restavam dúvidas. As tuas mãos estão no meu cabelo. As tuas roupas estão no outro quarto. E agora o que vais fazer? A tua voz é tão familiar. Nada é para sempre. Tu só não queres estragar o cabelo. Dizes a tua amiguinha que eu fui ao quarto buscar uma coisa para te mostrar. Eu insisti. Eu estou ao teu lado a rir-me dela.

Isso é que era bom. Afasto-te de mim. Viro-te as costas. Chamas-me maluca. És mau. Vai lá ter com a tua amiguinha, ela não se importa nada de te consolar. Tão tristinho que está o menino! É só para isso que ela serve, não é?

Consegues ser mesmo imbecil no teu harém, é só isso que queres.

Escusas de gritar. Eu não vou partir tudo. Está tudo bem assim.

Beijinhos

Relato

RELATO DUMA LEITORA || TUDO ME ENJOA

Olá Nossos Devanienses ( E Querida Leitora )!

Somos muito, mas mesmo gratas a quem nos escreve. Cada leitora é especial para nós (e leitor também). Como diz agora a Francisca, vamos usar todos rosa e sermos meninas. Tanta coisa por causa de duas simples cores. Simples não, desculpem, há vários tons.

“Olá minhas queridas. Gostava de falar um pouco convosco, sabem eu enjoou muito fácil das pessoas. Bem, dos boys. Quando eles começam a interessasse por mim, eu bloqueio na hora. Detesto que eles me dêem demasiada atenção, entendem? Ficam chatos. Depois procura-me a pedir explicações e eu, por vezes, mudo de número. Já mudei umas oito vezes. CHATOS!

A cena é que assim não encontro o “príncipe”. Todos me enjoam. O que faço meninas? Beijos ”

Segundo a Francisca é muito fácil: apaixonas-te primeiro. Vendo por essa perspectiva e pelo que nos contas, leitora, problema resolvido. Porém, se for um como tu, vais chorar pelos cantos. Bom, pareces novinha, ainda vais a tempo de encontrar o “príncipe” ou como eu adoro chamar “princeso”. Os Princesos usam rosa, não é mesmo?

Enjoas, segue o baile. Não era o certo. Irás encontrar um perfeito para ti.

Beijinhos

Texto Pessoal

GOSTARIA DE TER OUTRO CHÁ? || TEXTO PESSOAL

Olá Nossos Devanienses!

Gostaria de ter outro chá? Lúcia-lima? Delicioso, não o é? Sinta os seus vapores aromáticos. Descontrai-a. Aprecie tudo. Está no seu momento. Está no seu momento. Está no seu momento. Esqueça tudo ao seu redor. Nada importa neste momento.

            Está cansado? Pouse o livro. Pouse a chávena. Pouse as bolachas. Pouse tudo. Pouse. Pouse. Pouse. Vai ver que vai dormir melhor. Vai ver que vai dormir melhor. Vai ver que vai dormir melhor.

-Texto retirado de “Vinte e Cinco”.

Beijinhos

Texto Pessoal

TEXTO PESSOAL || UM POUCO DE CHÁ

Olá Nossos Devanienses!

Trago-vos mais um texto do meu livro. Esperamos que gostem!

Já dizia o Poeta que tudo vale a pena se a nossa alma não for pequena. A nossa alma é maior do que imaginamos. Muito maior. Mais extensa. Mais livre. E deve ser libertada de toda a negatividade. Toda. Toda. Toda. Não deixar nem um bocadinho, pois isso só contamina.

            Como expulsar a negatividade de nós? Não sei. Ainda não estudei essa parte. Mas sei que é possível. E acreditar no possível é muito bom. Na possibilidade de coisas boas na nossa vida. Só porque merecemos. Só porque merecemos. Só porque merecemos.

            Merecemos a luz na nossa vida. A luz da pureza. Gratidão. Gratidão. Gratidão. Merecemos ser felizes. Muito felizes. Eternamente felizes. Temos uma vida pela frente e devemos aproveitar. Felizes. Felizes. Felizes. Sabe qual é a fórmula da felicidade? Não? Ninguém lhe ensinou? Sabe quando somos mais felizes? Eu digo. Quando estamos a ler. Exactamente. Quando estamos a ler. Vamos directamente para outro mundo. Um mundo à parte. Um mundo que merecemos. Faz-nos sorrir. Faz-nos chorar. Mas faz-nos bem.

            Um livro tem o dom de nos libertar. Tem o dom de nos mimar. Tem o dom de nos aconchegar. Quase nos agasalha do frio. Eu escrevi quase. O melhor é vestir um casaco. Também deveria colocar uma manta nas pernas. Para completar, tenha consigo o seu chá preferido. Chá branco? Perfeito.

Pipocas também se quiser, mas só o chá é muito bom. Morno. Faço-lhe companhia. Também é o meu preferido. Umas bolachas de canela condizem muito bem com este chá. Sou-lhe muito grata. Aquece a alma. Aquece a alma. Aquece a alma.

O chá é um bom relaxante. Aquece. Aquece. Aquece. Relaxa. Relaxa. Relaxa. Talvez seja um momento que expulsa a negatividade. É um momento só nosso. Só nosso. Só nosso.

Que tal acender a lareira? Lua cheia. Lua cheia. Lua cheia. Está frio na sua sala. Esfrego as mãos para as aquecer e bebo mais chá. Como mais duas bolachas. Um óptimo serão. Quem não tem lareira, imagina. Um dia terá. Um aquecedor também serve. Basta ligar. Talvez uma salamandra. O que tiver. Relaxe. Relaxe. Relaxe.

Imagine-se numa sala. Pequena e aconchegante. Chá. Bolachas de canela. Um livro da sua preferência. Lareira acesa. Relaxante, não é? Sente-se bem quente. Uma temperatura agradável. A chuva lá fora. Batendo levemente. Uma melodia relaxante. Quase se torna na sua música favorita. Está muito frio lá fora. Inverno, talvez.

Devemos estar perto do Natal. Já tem a sua prenda? Sim? Óptimo. Todos merecemos uma prenda de nós para nós. Eu ofereço a mim própria todos os meses. Duas vezes no mês do meu aniversário e em Dezembro, mês do Natal. Mereço. Faz-me feliz. Faz-me sorrir. Adoro abrir prendas, mesmo as que sei o que são. São mágicas. São pedaços de alegria. São pedaços de bondade. São pedaços de ternura.

Ainda está na sala? Óptimo. Continue, porque lá fora está muito frio. Um frio de rachar. Outra manta? Talvez seja melhor. A Lua cheia cumprimenta-nos lá de fora. Quase sorri. Também está feliz. Encantada com a nossa presença. Estamos bem e transmitimos-lhe boa energia. Energia positiva. Energia do bem.

Aceito mais chá. Acabou? Continue na sua leitura. Eu vou buscar mais. Continue a ler. Faz-lhe bem. Tanto mentalmente como espiritualmente. Vou mudar o sabor do chá, se me permite. Mirtilo e açaí. Vai adorar. É delicioso. Tranquiliza o corpo e a mente.

Respire fundo e sinta o aroma. Não se irá arrepender. É maravilhoso. Um sabor agradável. Um sabor místico. Um sabor que merece ser tomado. Ser apreciado. Ser degastado. Ser tomado.

Maravilhoso, não é mesmo? Tem um cheiro tão bom. Um sabor ainda melhor. Agradável, não é mesmo? Sinta. Sinta. Sinta.

Sinta bastante. Ilumine os seus pensamentos. Vou buscar mais bolachas de canela. Saboreie. Sinta. Sinta. Sinta. É algo único. Os chás têm um efeito tão bom nas nossas vidas. Acreditem. Acreditem. Acreditem.

Acreditem e sintam. Um chá, bolachas de canela e um livro são tão bons. Qualquer chá. Qualquer chá. Qualquer chá.

Beijinhos

Vinte e Cinco

VINTE E CINCO || TRECHO

Olá Nossos Devanienses (E Livro “Vinte e Cinco”) !

Como sabem, acabei o livro “Dois Cinco” e comecei a continuação “Vinte e cinco” Aqui está um trecho.

Sente. Sente o vento na cara. Sente. Sente o vento nas mãos. Sente. Sente o vento a baloiçar a tua roupa. Sente. Sente. Sente. Sente que és melhor do que aquilo que pensas. Sente que és melhor do que aquilo que falam de ti. Sente. Sente. Sente. Sente a cada dia. Sente como se não houvesse amanhã, mas sente. Sente por sentir. Sente o luar. Sente o Sol na cara todas as manhãs ou a chuva. Mas sente. Sente. Sente. Sente e compartilha com os outros.

Sê a luz dos outros e de ti próprio. Sê a luz que tu queres ter na tua vida. Tu consegues. Tu sabes que consegues. Tu sentes que consegues. Não negues. Sorri. Sorri bastante. Sorri para alguém. Faz alguém sorrir. Sê luz. Sê abundância. Sê ternura. Sê paz. Sê amor.

Hoje amanheceu. O luar está tão bonito. Sente a sua energia. Sente o seu encanto. Sente. Sente. Sente. Deixa entrar a positividade em ti. Expulsa a negatividade. Sorri. Sorri de novo. Sorri. Sorri. Sorri. Sente. Sente. Sente.

A tua vida será purificada. Sê grato. Muito grato. Abundâncias entrarão na tua vida. Sente-as! Sorri. Sorri muito! Sorri de verdade. Tu mereces e os que te rodeiam também. Automaticamente serás feliz. Tu és feliz. Tu podes ser feliz. Tu deves ser feliz.

Sente. Sente. Sente. Sorri. Sorri. Sorri. Sê. Sê. Sê. Tu podes. Tu podes. Tu podes. Sabes que o Altíssimo não te quer ver mal. Bem pelo contrário. Só quer a tua felicidade. Luta por ela por mais que te custe. Vai valer a pena.

-Retirado de “Vinte e cinco”

Beijinhos

Sem categoria

A VERDADE SOBRE ÓRFÃ || FILME DE TERROR

Olá Nossos Devanienses!

Resultado de imagem para Órfã

 

Caso não saibam, este filme é baseado em factos. Sim, factos e não factos reais, pois dizer “Factos Reais” é um pleonasmo. Pleonasmo é a repetição para intensificar um significado.

Para quem não conhece, é um óptimo filme e tem dois finais. É óptimo tirando a parte do pombo.

É uma história bizarro da Republica Checa em 2007. Foi um caso de maltrato infantil. Duas Irmãs foram presas por isto e canibalismo. A mente doentia de tudo isto é de Barbora Skrlová. Esta tinha uma doença rara que fazia com que parecesse uma criança de doze anos. Tinha trinta e três ano na época.

Ela tinha um desvio de personalidade. Dai ter sido acompanhada.

A ceita era comandada pelo Pai de Barbora que de Pai não tinha nada. Josef Skrla.

 

Resultado de imagem para Órfã

 

Barbora tinha ciúmes dos Filhos duma das Irmãs. Falava mal dos Filhos dela. Foi assim que a tortura começou. para o canibalismo era um passo. Cortado pela “Mãe” dos meninos.

A denuncia foi feita por um vizinho. A Polícia actuou logo, mas a Barbora fingiu ser uma menina de doze anos.

Em Outubro de 2009, as Irmãs foram condenadas a nove num hospital psiquiátrica. A Barbora levou cinco num manicómio.

 

Resultado de imagem para Órfã

 

Uma verdade bem perturbadora.

Beijinhos

Natal

SABEMOS QUE JÁ PASSOU || FILMES DE NATAL

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para filmes de Natal

 

O Natal é quando nós quisermos e não é por não ser Natal que não vamos ver filmes desse tema.

Uma doçura de filmes.

Uns bons filmes para ver em Família.

 

Resultado de imagem para esqueceram de mim natal

 

Sozinho em casa ou Esqueceram-se de mim. Uma belo nostalgia. Este filme de 1990. A grande Família que esquece o mais novo. Toda a gente critica por dar todos os Natais, mas toda a gente vê. No Natal de 2018 deu do primeiro ao terceiro. Não neguem, vocês viram. Até a Francisca viu. Eu sei que vista, Francisca, não negues.

Simplesmente amor de 2003. Vários tipo de amor. Emociona. Nada derruba o tema do amor.

O Grinch de 2000. Ele tinha um desgosto muito grande em relação ao Natal. Ele fazia de tudo para estragar o Natal. Jim Carrey, só podia.

 

Resultado de imagem para grinch natal

 

Um Duende em Nova Iorque de 2003. Sobre uma criança que mete-se no saco do Pai Natal. Assim vai para o Polo Norte e é como no Panda do Kong Fu, ele acha que é um elfo. O Panda achava que era um pato como o Pai. O filme dá para rir com a inocência.

Divirtam-se e sintam o Natal todo o ano!

Beijinhos

 

Aniversário

ANIVERSÁRIO DO BLOG || SETE ANOS

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para Miss L

 

HOJE FAZEMOS SETE ANOS! Vamos passar pela crise dos sete anos. Mas vamos ultrapassar com a vossa ajuda, certo? Acreditamos que será um grande ano. O melhor ano. Um grande crescimento.

Estar sete anos na Blogosfera é maravilhoso. Maravilhoso, mesmo! Aprendemos muito. Crescemos muito. Temos muito para sermos gratas. Muito mesmo.

Este dia é muito especial. Não é todos os dias que se faz sete anos na Blogosfera.

 

Resultado de imagem para Miss L

 

Nem conseguimos acreditar que chegamos aqui. Foi tão, mas tão rápido.  Mas tão, mas tão bom.

GRATAS POR TUDO!

Beijinhos