Resenha

Resenha do Filme || Habitantes

Olá Nossos Devanienses!

Fiquei revoltada com o filme. Alguém que é capaz de matar o Filho que fez merece bem pior do que o final que teve. Que tipo de monstro mata o próprio Filho ainda no ventre da Mãe?! Seja com comprimidos no chá, magia negra, o que for, merece o pior castigo do Mundo! Tudo que possa acontecer de mal a esses psicopatas é pouco! Eles ficam aliviados e nós é que ficamos mal e com um vazio enorme dentro de nós. Normalmente, estes Imbecis saem impunes! Dá vontade de dizer “Parabéns a tua Mãe que tem um Filho que nega o próprio Filho!”. Não são homens para assumirem o que fazem. Ou negam ou atiram outras coisas à cara. Uns autênticos abortos mal-feitos! Revolta mesmo!

O filme em si, vai desvendo com um pouco de cliché, mas não é mau de todo.

Tem as consequências dos actos. Foi avisada para não fazer, fez porque quis. Eu entendo, se eu soubesse que alguém tinha drogado o chá duma grávida para ela abortar e tivesse provas, eu faria o mesmo. Ninguém tem o direito de fazer o que ele fez. Não ter capacidade para ser Pai é uma coisa, matar o que fez é outra. Todas as desculpas do Mundo (nunca serão sinceras) vão devolver a criança! Frazer pressão para a Mãe abortar, também é matar. Não porque ela aceita porque está farta de pressões que ela não quer a criança! Depois ainda a faz sentir culpada, quando ele é que não queria a criança. Ainda tem a lata de dizer que o Filho não é dele! Viu a mulher com dúvidas? É da melhor amiga dele?! Que egoistas!

Estou irritada? Estou irritada. Vou-me acalmar.

A essa espécie que referi em cima, vou citar o Luba ” Mata com fogo antes que se reproduza.”.

No modo em geral, está razoável. Não oferece novidades no género, mas não está mal pensado.

Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *