Relato duma Leitora

RELATO DUMA LEITORA || PAREM DE CRITICAR TUDO

Olá Nossos Devanienses!

 

Depressão, Vozes, Autocrítica, Crítico, Para baixo

 

“Olá! Preciso de desabafar algo que está entalado. Porquê que as pessoas têm a necessidade de criticar. Hoje vi uma publicação no Facebook que me deixou se reacção, sem entender como as pessoas só sabem criticar. Uma pessoa qualquer disse que um quarto sem janelas não é um quarto. Nota-se que era pejorativo.

Eu já morei num escritório. Paguei a renda com o meu dinheiro e não morri. Minto, tinha uma mini-janela que dava para a sala. Foi assim que comecei. Ou dormia num sofá-cama num escritório ou dormiria na rua enquanto procurava um quarto com uma janela. As pessoas quando criticam não têm a noção. Eu tinha o tempo muito reduzido para encontrar um quarto e tinha uma gata. Infelizmente, a gata desapareceu.

Vivi assim uns meses. Paguei com o meu suor e ninguém tem nada a ver com isso. Era minúsculo. O sofá-cama de manhã tinha de ser fechado para ter mais espaço, mas era o que havia. Ou isso ou a rua (Ou pior que a rua, a antiga vida). A rua tem uma janela enorme. Só eu e a pessoa que recebia o dinheiro tinha a ver com isso.

 

Vergonha, Crítica, Autocrítica, Desespero, Juiz

 

Actualmente estou num quarto maior e tenho persianas automáticas. Lutei, não desisti. Tenho orgulho em dizer que comecei a minha nova vida num quarto com uma mini-janela! Muito orgulho mesmo. Paguei com o meu dinheiro. Estou aqui para contar. Não tive alternativa e cresci com isso. Não era um sofá-cama muito desconfortável. Era o que havia. Usava para dormir, trabalhar e estudar. Exactamente como uso este.

Se eu fosse ligar ao que os outros dizem, já tinha desistido antes de começar a lutar.

Sim, um quarto sem janela ou um escritório, como quiseres chamar, pode ser um quarto sim, se o acolheres como tal! Podes começar a tua nova vida num e não tem mal nenhum, Pensa em ti e na tua paz interior primeiro. Esquece tudo que te quer deitar abaixo. Beijos.”.

 

Crítica, Escreva uma crítica, Revisão, Estrela, Mão, Dedo

 

Para começar: Parabéns! Somos duas, se eu ligasse ao que outros dizem, não atingiria metade. Não trabalharia aos Domingos e Feriados, sentava-me no Salário Mínimo, não seria Chefe da Yves Rocher e muitos etc..

Luta por ti. Esquece os comentários do outros, pois vai sempre haver. Vão sempre puxar-te para o fundo, sempre “sem” intenção, claro. É sempre para o teu “bem”. Não precisas de perguntar, dizem com gosto.

É a mentalidade que existe. Começaste super bem. Começaste, porque quisseste e isso é o mais importante!

Beijinhos

 

Relato duma Leitora

O QUÊ QUE ELE QUER? || RELATO DUMA LEITORA

Olá Nossos Devanienses!

 

Adulto, Corpo, Sutiã, Mulher, Lingerie, Peitos, Close-Up

 

Recebemos com muito carinho o Relato duma Leitora. Estou à-vontade para mandarem os vossos relatos.

“Olá, moças. Vou passar ao assunto. Eu entrei num daqueles sites de relacionamento. Ia só brincar com a situação, mas correu mal. Há um homem. Vamos chamar de Frederico. O Frederico é um sonho, mas não me liga nada e para piorar mora no raio que o parta. Ele não começou como os outros todos. A maioria, eu bloqueei, porque eram chatos. Ele deu-me curiosidade. Muita mesmo. Tem uma voz encantadora. Ele fala muito. Nossa. A primeira chamada foi duma hora e ele falou a maioria do tempo. Foi uma conversa super normal. Muito diferente das outras. Diferente, porque a minha mão gosta de brincar quando a conversa tem o seu interesse. Não aconteceu. Fiquei confusa. Acabou por acontecer, pouco depois por mensagem. Nunca mais existiram chamadas. Ele irrita-me.

Houve uma vez que mandei uma fotografia minha por engano. Disse que não era para ele. Ele reagiu com um riso. Que raiva. Só ligou, porque eu tinha curiosidade na voz dele. Que paciência!

 

Adulto, cama, borrão, close-up, femininas, foco, menina

 

E ainda me manda uma fotografia idiota que já tinha partilhado no perfil. Poderia ter enfiado aquela fotografia no rabo. Meninas, é recente e tudo mais, mas é tão diferente dos outros que tenho lidado. Não tenho paciência para isto.

Nesse site escreveu que não quer mulheres casadas ou comprometidas, mas nunca me questionou sobre. Sinto-me mais idiota do que a fotografia dele. Estou-me a iludir, não estou? Eu sei… Beijos.”

Menina, vou deixar para a Francisca, pois eu não acredito nessas coisas pela Internet. A Francisca diz para passares à frente, ele está a falar com outra, de certeza. Sim, estás iludida. Vocês não têm nada. E não me parece que ele queira. Passa à frente. É o início. Estás encantada, porque ele não agiu da mesmas maneira e não é mais do que isso.

Beijinhos

Relato duma Leitora

NÃO HÁ PIOR || RELATO DUMA LEITORA

Olá Nossos Devanienses!

 

Criança, Educação, Medo, Terror, Violentos, Supressão

 

Hoje trazemos o relato duma leitora. Usem o nosso email.

Produção linda tragam, por gentileza, os CheeseBurgers da Francisca e uma Fanta de laranja para mim.

“Girls, eu estou farta dos meus vizinhos. Eu sempre adorei apartamentos, mas os meus vizinhos não têm vida própria.

Uma gritaria. Eu não posso sair que tem sempre alguma vizinha que me quer contar a vida de alguém. Não gosto de perder tempo com verdades sobre os outros, quanto mais com mentiras. As coisas têm de ser contadas na primeira pessoa. Eu tento ser educada, mas mostra mais pressa do que tenho.

Chegaram ao ponto de inventarem que eu sou Filha da dona da casa e não pago a renda. Dizem que eu levo um homem diferente para o apartamento e que já me viram beijar três mulheres à porta. Devo agradecer estas informações? Estou aqui há três meses e nem um Primo trouxe cá. Tenho vergonha das minhas vizinhas. Sim, já procurei um sítio melhor na cidade, mas a renda é muito mais cara. Um beijo.”.

 

Humano, Pessoa, Homem, Vizinho, Retrato, Bart, Óculos

 

Alerta: Mentalidade de aldeia. Não dá para ficar chocada, pois os aldeões são assim. É melhor continuares a procurar. Mereciam uma queixinha por difamação, só assim no começo. Esgota a paciência, eu sei. Esgota mesmo. E fazer as mudanças é complicado, mas precisas de manter a tua saúde mental e assim não dá.

Beijinhos