Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || ROMANCE EM AMESTERDÃO

Olá Nossos Devanienses!

 

Ver a imagem de origem

 

Este é o quinto livro do Projecto Choose For me. Nunca li nada deste Escritor, mas estou bastante curiosa. Segundo a Wook podemos ler o seguinte sobre o mesmo:

Tiago Rebelo é um dos romancistas mais brilhantes das letras portuguesas. Na última década manteve uma produção literária constante e os seus livros tornaram-se há muito presença habitual nos lugares cimeiros das principais tabelas de vendas nacionais. Com títulos disponíveis em diversos países, desde o Brasil a Angola e Moçambique, foi igualmente editado em Itália e na Argentina. Depois dos enormes sucessos aplaudidos pelo público e pela crítica, O Tempo dos Amores Perfeitos e O Último Ano em Luanda, o seu útlimo romance, O Homem Que Sonhava Ser Hitler, editado em 2010 pela ASA, é um magistral e absorvente relato de uma face desconhecida da sociedade atual. A par da atividade literária, Tiago Rebelo tem já uma longa carreira de jornalista, sendo atualmente editor executivo na TVI, e escrevendo regularmente para a revista do Correio da Manhã.

Um Escritor Português, é um feito muito raro pelo que têm acompanhado. Não é por algum motivo em especial, simplesmente é o que há nos Não-Lidos. Sim, estou a fazer o grande sacrifício de não ter mais, MAS se alguém me der no Natal…

 

Ver a imagem de origem

 

É um livro que parece comovente. Mais pela capa que eu tenho do que esta que está em segundo lugar.

Na sinopse podemos ler:

Passaram quinze anos desde a última vez em que Mariana e Zé Pedro estiveram juntos – tempo que poderia ter sido suficiente para fazer desmaiar os tons da paixão se os amantes fossem outros, se o sentimento não tivesse calado tão fundo nas suas almas. Mariana imaginara, milhares de vezes, o reencontro; Zé Pedro desesperara por voltar a vê-la. E, sem que nada o fizesse prever, um brevíssimo encontro, numa estação de metro apinhada de gente, vem tornar aqueles quinze anos quase irreais. Quando tudo parecia ter sido aplacado pelo tempo, quando tudo o que acontecera em Amesterdão parecia confinado ao universo das fantasias românticas e do sonho, eis que o passado ressurge e se impõe, com um ímpeto que os esmaga, que lhes revolve o coração. Mas peças no tabuleiro do jogo da vida são múltiplas e, não raras vezes, dotadas de vontade própria. A felicidade, alada e colorida, é tão apetecível quanto caprichosa – e sempre imprevisível.

Vamos ver: Um queria e outro desesperada de tanto querer e demoraram quinze longos anos?! Estou curiosa. O Zezinho e a Miana, que bonito. Já dei apelidos aos meninos, desculpa, Francisca. Faz-me lembrar “A Última Carta de Amor” de Jojo Moyes. O que me deixa mais entusiasmada. Isto dos encontros e desencontros e muito amor e blablabla. Não sei se este blablabla é adultério, Francisca, sinceramente. Vamos dar uma pausa nesse tema.

 

Ver a imagem de origem

 

Vamos ver o que acontece ao Zezinho e à Miana? Sim, Francisca, não é ver, mas sim ler. Grata pela correcção. A Miana e o Zezinho. O Zezinho e a Miana. Espero que seja bonito e que este longos quinze anos tenha amadurecido o amor entre os dois. Espero não chorar. Só peço isso.

Beijinhos

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || ANNABELLE

Olá Nossos Devanienses!

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || UMA PROMESSA DE FELICIDADE

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para Uma promessa de felicidade

 

O terceiro livro do Projecto Choose for me. O terceiro de sete. Um dos meus livros de Julho. Duzentas e sessenta e nove páginas. Outro de Anita Shreve.

Podemos ler o seguinte na sinopse:

Margaret e Patrick estão casados há apenas alguns meses quando decidem partir para o Quénia, convencidos de que irão viver uma grande aventura em África. No entanto, Margaret depressa se apercebe de que não conhece os costumes complexos do seu novo lar e tão-pouco o homem que tem ao seu lado.
Quando, certo dia, um casal inglês os convida para escalar o monte Quénia, eles aceitam, entusiasmados, o desafio. Porém, durante a árdua subida, ocorre um terrível acidente e, no rescaldo da tragédia, Margaret ver-se-á enredada numa teia de dúvidas sobre o que se passou realmente na montanha. Estes acontecimentos, que a irão afectar profundamente, terão consequências indeléveis no seu casamento.

Uma Promessa de Felicidade retrata-nos a relação de um casal, o impacto definitivo da tragédia e a natureza esquiva do perdão. Com uma linguagem soberba e uma enorme profundidade, Anita Shreve conduz-nos pelas paisagens exóticas de África, numa viagem até ao interior de nós mesmos.

 

Resultado de imagem para Anita Shreve

 

Parece que vou conhecer o Quénia. Parece mais actual do que o anterior que eu li. Parece um casal bem amoroso. Pode ser só por causa dos nomes deles. Estão-se a conhecer e nunca irão acabar de se conhecerem. Francisca, não sei se terá adultério. Terá?

Produção mais fofa, os Cheeseburgers da nossa querida Francisca, por gentileza, e uma laranjada para mim sem açúcar, nem gelo.

Espero bastante deste livro. Espero muito mesmo. Espero um ar fresco.

Beijinhos

 

 

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || TUDO QUE ELE SEMPRE QUIS

Olá Nossos Devanienses!

 

Ver a imagem de origem

 

Mais um livro do Projecto Choose For me. Anita Shreve. Já li uns livros dela e gostei. Aliás, o próximo livro também será dela.

Produção mais maravilhosa, era, por gentileza, os CheeseBurgers da nossa linda e fabulosa Francisca e uma limonada sem açúcar para mim.

A sinopse é muito clara:

Um amor absoluto destruído pelo ciúme. Um romance intenso e violento sobre o poder e os efeitos do desejo, da mentira e da traição.

Um casamento junta sempre duas histórias, dois passados. Esta constatação é talvez tardia para o marido de Etna: um homem cuja obsessão com a sua jovem mulher tem início no momento em que se conhecem – e em que ele a ajuda a escapar a um incêndio – e culmina numa união ensombrada por segredos, traição e pelo fogo avassalador de uma paixão não correspondida.
Ao académico Nicholas Van Tassel bastou ver Etna Bliss uma única vez para saber que chegara o momento de abandonar a sua condição de solteirão inveterado. Mas a frieza física e emocional com que é brindado é um prenúncio de tragédia: Etna deseja liberdade e independência, Nicholas quer a jovem exclusivamente para si… E quando descobre que, ainda que tivesse conseguido casar com ela, não teria chegado sequer a conquistá-la, vai ser o lado mais sombrio da sua personalidade a decidir o que fazer a seguir.
Escrito com a inteligência e a graça que são já habituais na autora, Tudo o que Ele Sempre Quis é uma arrepiante história sobre desejo, ciúme, perda e os perigos que o fogo – o figurativo e o literal – sempre arrasta consigo.

 

Ver a imagem de origem

 

Outro Nicholas como no “Em parte incerta”, “Gone Girl” ou “Garota Exemplar.

As críticas dizem muito de si:

“Com este livro, Anita Shreve assegura a continuação da satisfação das necessidades de leitura a que os seus fãs já se habituaram.”
Susana Nogueira, Dezembro de 2005

“Viciante… Anita Shreve é magistral na forma como descreve o arrebatador impulso da paixão.”
USA Today

“Impossível de pousar.”
Guardian

“Delicioso… Shreve no seu melhor.”
Washington Post

“Um estudo perspicaz sobre o desejo obsessivo… Um dos mais bem conseguidos romances da autora.”
Seattle Times

 

Ver a imagem de origem

 

É mesmo, Francisca, lá vem a traição. Nos últimos livros não me larga. A sorte é que o “Diabo veste Prada” que vou a seguir ao seguinte não tem, pelo menos, no filme. Tenho uma grande expectativa deste livro, não por causa das críticas, mas sim pelos livros que li anteriormente. Por outras palavras: “A casa da praia” e acho que já li outro.

Aposto que vai ser muito realista e socialmente marcante, não estou a falar exclusivamente da traição. A Sociedade desvaloriza tanto e torna tão banal a traição. É triste.

Veremos como corre esta leitura de duzentas e setenta e duas páginas.

Beijinhos

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || EM PARTE INCERTA

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para em parte incerta

 

Eu adorei o filme “Garota Exemplar” e a Livros e Papel escolheu este livro para o meu Choose For Me. A menina escolheu sete dos meus livros, sendo este o primeiro, e escolhi “A boneca de Trapos”.

Produção mais encantadora, os CheeseBurgers da Francisca, por gentileza, e uma Fanta de ananás para mim.

Eu já vi o filme, como já disse, será batota? É só uma batotinha, Francisca. Francisca, não, não estou a fazer batota. Ai, a menina! Come, come, Francisca.

 

Resultado de imagem para em parte incerta

 

Um dos pontos da sinopse diz-nos que “O casamento pode dar cabo duma pessoa.”. Francisca, Francisca, não diga que não é verdade. Não disseste. mas pensaste. Eu sei que sim. Francisca. Só se casa quem quer. Ponto final, parágrafo.

Como toda a gente sabe, o livro tem mais encanto do que o filmes. São quinhentas e onze páginas. Convenhamos que o filme abrevia sempre. O livro tem de tudo para ser mais marcante. Dai o ter comprado no dia dois de Maio de dois mil e quinze. Eu tinha a factura no início do livro.

O resto da sinopse diz-nos que “Uma manhã de verão no Missouri. Nick e Amy celebram o 5º aniversário de casamento. Enquanto se fazem reservas e embrulham presentes, a bela Amy desaparece. E quando Nick começa a ler o diário da mulher, descobre coisas verdadeiramente inesperadas…
Com a pressão da polícia e dos media, Nick começa a desenrolar um rol de mentiras, falsidades e comportamentos pouco adequados. Ele está evasivo, é verdade, e amargo – mas será mesmo um assassino?
Entretanto, todos os casais da cidade já se perguntam, se conhecem de facto a pessoa que amam. Nick, apoiado pela gémea Margo, assegura que é inocente. A questão é que, se não foi ele, onde está a sua mulher? E o que estaria dentro daquela caixa de prata escondida atrás do armário de Amy?

Com uma escrita incisiva e a sua habitual perspicácia psicológica, Gillian Flynn dá vida a um thriller rápido e muito negro que confirma o seu estatuto de uma das melhores escritoras do género.”.

 

Resultado de imagem para em parte incerta

 

Francisca, minha querida, a crise não é no sétimo aniversário?! Não existe a crise dos cinco anos, meninos. Amy e Nick, vocês estão-se a portar mal. Adiantar por dois anos a vossa crise não é bom e ai está o resultado. Deveriam de ir para o castigo…

Tiveram boas críticas:

«Há livros que têm a capacidade de nos sequestrar durante horas seguidas, às vezes durante dias a fio, livros tão eficazes que tornam a leitura compulsiva e dão sentido ao adjectivo inglês unputdownable(«impossível de pousar, de largar»). […]É também o caso de Em Parte Incerta, o thriller psicológico que se tornou um fenómeno de vendas e de crítica nos EUA, em 2012. Gillian Flynn […] consegue criar personagens fortíssimas e colocá-las em situações extremas, com abundância de surpresas e volte-faces.»
José Mário Silva, Expresso

«Afiado como um picador de gelo.»
New York Times

 

Resultado de imagem para em parte incerta

«Engenhoso e viperino. Vai fazer de Gillian Flynn uma estrela.»
Entertainment Weekly

«Um thriller de verão irresistível com uma reviravolta digna do Alfred Hitchcock.»
People

«Pura e simplesmente fantástico.»
Associated Press

«Uma leitura extraordinariamente boa.»
Boston Globe

Resultado de imagem para em parte incerta

 

As criticas má nunca aparecem, pois não? Sim, eu gostei do filme, tenho tudo para gostar do livro. Tudo mesmo. Normalmente, se gostamos do filme (que é condensado), gostamos do livro. Sim, Francisca, deveria ser ao contrário. Mas graças à visualização do filme é que o livro me chamou à atenção. Além disso foi super barato! Doze euros e trinta e nove em comparação com os preços que andam por ai.

Em outras palavras, “Don’t call me señorita”. Desculpa, Francisca, estou sempre a repetir a música. Faz sonhar, “but I don’t love it when u call me señorita. t’s true oh lalala.”. Não, não me chamem nenhum derivado da palavra tão pesada que é “senhora”. Guardem para as senhoras de cem anos. Quando estiver no meu Cartão de Cidadão poderão chamar-me. Oh, esperem, será que chegarei aos cem para ter esse cargo? Esperemos que não, porque eu detesto tanto a palavra “senhora”. Nem é preciso pedir que não me chamem, se incomoda não devem chamar. A isso sim chama-se educação. Simples, se incomoda a alguém o que te educaram a chamar, não chames!

“There’s just some things that never change.”. Quer dizer, “Há apenas algumas coisas que nunca mudam.”. Portanto, “oh lalala”, poderei concluir que há tipos de pessoas que nunca mudam e esse é a Amy, pelo menos, pelo pouco que me recordo do filme e do que nos oferece a sinopse. Acima de tudo, Amy parecia uma personagem tão… Não sei, Francisca, diz-me tu. Sim, tão “Eu sou rica de mais para aturar isto.”. Se comesse sushi todos os dias estaria melhor…

Beijinhos

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || UM FIO DE FUMO NOS CONFINS DO MAR

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para um fio de fumo nos confins do mar

 

O livro não contem uma sinopse. Porém, encontrei um no site da Bertrand :

“Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 3º ciclo, destinado a leitura autónoma.

No ano em que comemora 20 anos de actividade literária, Alice Vieira volta a surpreender-nos com este romance para jovens. Alice Vieira oferece-nos uma história actualíssima, em que a crítica mordaz é pontuada pelo seu humor, capacidade de construção de personagens e talento de fina observadora. Magnífico!”

Sim, Francisca, não é bem uma sinopse, mas já sabemos que escolheste um livro para eu ler recomendado ao terceiro ciclo. Muito grata. Sim, Francisca, estava nos meus livros não lidos. Toda a razão em ti.

Resultado de imagem para um fio de fumo nos confins do mar

 

Eu já espero um livro infantil devido à Escritora em si e pela capa. Sim, Francisca, mesmo assim o tenho e não dou a ninguém.  O que é meu é meu e de mais ninguém.

Produção mais encantadora, os Cheeseburgers da nossa linda Francisca, por gentileza, e para mim dois litros de água. Olhar para água da fotografia deu-me sede.

Só espero que a personagem não fume. Só peço isso. O que esperar do livro? Não. Esperemos que não seja um incêndio. Como se diz “Onde há fumo, há fogo.”.

Resumidamente e com amor, que seja algo divertido, lúnico, pois rápido será, pois só tem cento e cinquenta e uma páginas e é em versão bolso.

Beijinhos

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || UMA QUESTÃO DE ATRACÇÃO

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para Uma questão de atração

 

Sim, este livro atraiu-me. Será que me vai cativar? Sim, Francisca, será que tem algum caso de adultério? É o nosso pão nosso de cada dia ou livro nosso de cada dia.

Produção mais amorosa, por gentileza, os CheeseBurgers da nossa tão linda Francisca e uma Coca-cola e para mim um Frisumo de Ananás.

Uma questão de atracção. Qual é a nossa expectativa deste livro? A sinopse diz-nos o seguinte: “Brian Jackson, estudante universitário, chegou à faculdade com um desejo mais forte do que o da aquisição de conhecimentos: ser uma estrela do concurso mais famoso da TV. Mas o seu avanço no Desafio Universitário é de certo modo travado pela sua atracção crescente pela sedutora Alice Harbinson, que luta para deixar a sua marca como actriz. E, à medida que os obstáculos impedem a sua relação, Brian fica cada vez mais convencido de que só um sucesso esmagador no concurso o fará conquistá-la.”

 

Resultado de imagem para david nicholls

 

A crítica diz:

“Imensamente divertido.”
Daily Mail

“Hilariante.”
Mirror

“Dolorosamente divertido.”
Elle

“Hilariante […] não o vai conseguir largar.”
OK!

“Um romance divertido e comovente […] com um autêntico pano de fundo dos anos 80.”
Sunday Mirror

 

Resultado de imagem para david nicholls

 

O que tem para não gostar? Até é parecido com um Tio meu. Ele quer ser famoso. Há uma Actriz pelo meio. Eu acho que vai haver alguns clichés. Sim, Francisca, os clichés são super normais. Aliás, a roda já foi inventada. Simplesmente, é limada.

Francisca, porquê que repetes a questão se vai haver adultério? Sim, Francisca, parece que vai haver. Talvez a Actriz seja casada com alguém mais famoso do que o nosso querido Brian e queira algo diferente. É possível. Chora, Brian, e diz que é TPM. Comigo resulta.

Espera. Francisca, na sinopse diz “à medida que os obstáculos impedem a sua relação”. Ela namora com alguém mais famoso, só pode. E depois o nosso Brian tem um “um sucesso esmagador no concurso” e pronto, ela dá-lhe um pouco do tempo dela. Tempo e espaço. Seria interessante.

Beijinhos

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || UM RAPAZ DE BROOKLIN

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para um rapaz de Brooklyn

 

Outro livro escolhido no Projecto Choose For Me, desta vez para nossa Colaboradora Nádia Matos. Um livro perdido no meio dos que ainda não li. Simplesmente, considerado o melhor livro de mil novecentos e noventa e nove. Produção mais glamourosa, por gentileza, os CheeeseBurgers da Francisca, duas Cola-Colas e para mim um Guaraná.

Como estava a escrever, foi considerado o melhor livro de mil novecentos e noventa e nove. Esse livro estava no meio dos meus duzentos não lidos. Será isso bom? Sim, já que o vou ler. “Um romance extraordinariamente original, considerado já uma obra-prima.”. Kirkus Reviews.

O livro não tem sinopse, pelo menos, não está na contra-capa. Pela capa, parece sobre Detectives. Francisca, não sei se haverá adultério, mas os últimos livros tinha esse tema pelo meio. É tão real…

 

Resultado de imagem para um rapaz de Brooklyn

 

Não conhecia o Escritor, mas pelo que diz na contra-capa, tem tudo para se gostar. Um policial. Conheci os policiais e o amor por eles através de Ellery Queen. Jonathan Lethem será melhor? Será apenas publicada? Dêem-me, no máximo quatro dias e já vos digo. Este livro será o primeiro do Ciclo Literário de vinte e cinco de Junho a vinte e cinco de Julho. O primeiro de, no mínimo, sete.

Não vou ter uma grande expectativa do livro de “Um rapaz de Brooklin”, pois pode ser só publicidade e cada um tem os seus gosto.

Beijinhos

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || A ÚLTIMA CARTA DE AMOR

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para A última Carta de amor

 

Desta vez, nem eu, nem a Francisca escolhemos o livro que eu ia ler. Tudo começou, porque a Ricarda perguntou se eu queria participar no Choose For Me. Perguntei-lhe o que era. Simplesmente, teria de colocar uma fotografia duns livros que tinha por ler e uma pessoa escolhia o próximo que eu iria ler. Achei entusiasmante e participei. Falei com uma das meninas responsáveis, a Jéssica, e ela falou muito bem deste livro. Qual não é o meu espanto quando a menina que me calhou escolheu esse mesmo livro. “Rufem os tambores 🥁🥁🥁 eu escolho “A última carta de amor”, nunca li mas colegas minhas leram e gostaram bastante. Boas leituras 😊”.

Seria um sinal que iria mesmo adorar? Não sei. Será que vou adorar? Duas pessoas a falarem bem, só mesmo lendo para saber. Um livro com três capaz diferentes. A que tenho é esta:

 

Resultado de imagem para A última Carta de amor

 

Não se o porquê deste facto. A sinopse é muito clara: ” Algumas palavras podem terminar uma relação ou fazer renascer um amor perdido.”. Palavras… É realmente verdade. Vocês podem adorar ou odiar o meu trabalho por “simples” palavras.

Uma mistura de mil novecentos e sessenta e dois mil e três. Francisca, sim, torci o nariz a mil novecentos e sessenta. Não sou de romances históricos. Não me parece actual e ainda bem. Acho-os cansativos, porém, este tem uma refrescadela de dois mil e três. Nem tudo é mau.

Fala de dois casos de adultério. Eu não ando a escapar deste tema. Foi o “Clube do Adultério”, “Adultério para principiantes” e “Dias de Paixão”, tudo seguido. Deve ser um curso intensivo…

 

Imagem relacionada

 

Aqui está a última capa que encontrei. Vi na prateleira dos lidos e não tenho nada de Jojo Moyes, acho que nunca li nada dela. Estou realmente espantada que só escrevem sobre adultério e vende tanto. Francisca, não me olhes assim. Come descansada. Ninguém vai colocar mais adultérios à tua frente, aliás, tu já sabes que já não posso por mais nada à tua frente. Não sou assim tão engraçadinha, Francisca. Sou, sim, bastante linda! Não tanto como a arte da Nádia.

Veremos será bom.

Beijinhos

Expectativa

EXPECTATIVA DO LIVRO || DIAS DE PAIXÃO

Olá Nossos Devanienses!

 

Resultado de imagem para Dias de paixão

 

Francisca, Francisca, tu escolheste pela capa, só pode. Tu e o Lourenço estão mesmo bem, só escolhes romances. Produção, a Francisca está stressada. Precisa duma boa dose de Cheeseburgers, por gentileza. Eu precisaria dum bom batido de manga, papaia e canela, por gentileza. Ao menos, a loirinha é bonita. Um cabelo longo e hidratado. Um pouco magrela. Menina, precisas de te alimentar para te acalmares mais. Primeiramente, é bom escolhermos pela capa. Eu acho que também comprei pela capa, logo estás “desculpada”. “Dias de Paixão” e na sinopse diz que vão para a Jamaica. Oh, por favor, poupem-me!

Segundo a bela sinopse:  Até onde nos pode levar a paixão? Quatro mulheres juntam-se com os seus maridos para uma semana paradisíaca na Jamaica, em pleno ar das Caraíbas. O motivo da reunião é o aniversário de Dwight, um amigo dos tempos da faculdade, que de rapazinho tímido e inseguro se transformou num empresário rico e bem-sucedido. Todas elas anseiam fugir temporariamente às suas vidas. Tina sente o peso e o cansaço de ser mãe de quatro crianças pequenas. Allie está abalada pela notícia de que uma doença genética degenerativa é comum na sua família. Savannah carrega o segredo da infidelidade do marido. Finalmente, Pauline, a mulher que não olha a despesas para organizar ao seu marido rico aquela festa inesquecível, esconde segredos de Dwight, e espera, com esta semana, reparar as falhas no casamento de ambos. O que começa por ser uma semana idílica, com lânguidas horas passadas numa praia privada, jantares gourmet, aventuras radicais e noites de paixão, transforma-se em algo mais profundo com a chegada de uma poderosa tempestade que acaba por atingir a ilha. Redemoinhos tumultuosos atingem este grupo, forçando cada uma das mulheres a reavaliar tudo o que sabe sobre os seus amigos, e sobre si própria, sobre o amor e sobre a paixão.

Respira. Parece tão típico que vai prender. Francisca, tu escolhes sempre bem.

 

Sarah Pekkanen

 

Aturar as traições do Marido é para ter uma conversinha com ela e dizer “Só pára!”. Sim, Francisca, foi o que me chamou à atenção. Queridinhos, quem traí uma vez, traí duas ou três. Se tu desculpas uma traição, a outra pessoa vai comemorar com outra traição e vai-te chamar de idiota a cada segundo dessa nova traição! Francisca, é verdade, essa escolha revolta-me. Prefiro ser traída do que trair. Ponto, mas nada de perdoar essa escolha. Poupem-me! Que pachorra!

“Até onde nos pode levar a paixão?”, a lado nenhum. Só nos faz fazer asneiras. Resumidamente, espero rir-me muito com o livro. Acho que nunca li nada sobre Sarah Pekkanen. “Sarah Pekkanen, norte-americana, é uma autora bestseller internacional, com quatro romances já publicados e outros três a caminho.
Os seus livros já foram publicados em vários países como China, Austrália, Alemanha, Itália, Holanda, Polónia, Canadá e Espanha, e os seus romances são êxitos sucessivos de vendas.
Escreveu para vários jornais e revistas como a People, o Washington Post e o USA Today. Atualmente vive com o marido e com os três filhos em Maryland, nos Estados Unidos.”.

O melhor a fazer é ler sem perspectiva nenhuma, assim ninguém se ilude. Mas se não houverem perspectivas, este artigo não existe. Vamos com calma, pois não conheço a Escritora.

Beijinhos