Em Que Século Estamos?

EM QUE SÉCULO ESTAMOS? || THYAGO MARQUES

Temos um enorme prazer de começar este Projecto com o encantador (E Charmoso) Thyago Marques.

Olá Nossos Devanienses!

 

 

Parece que estamos com um novo Projecto. Agradecemos, desde já, todo o apoio que vocês nos vão dar. Começamos com o Blogger Thyago Marques. Além de ser muito bonito como pessoa, o seu trabalho nas várias vertentes também o é.

Super simpático, divertido, carismático e divertido. Uma pessoa bastante querida mesmo. Tem muito estilo e bastante jeito para escrever nas mãos.

Claro que sabem que estava a brincar na parte das mãos, Francisca. Tem um bom gosto incrível. Reparem na mochila! Tudo nele é bastante encantador.

Fizemos-lhe uma pequena Entrevista. Esperemos que gostem

Para ti, ser gay não passa dum rótulo?

Sinceramente eu não o vejo como um rótulo, a sociedade é que nos impõe esses rótulos para que possamos inserir nas categorias que criaram como se fôssemos produtos. Ser gay para mim é simplesmente uma característica minha, tal como tenho pele morena, olhos avelã e sou de estatura média.

•       Quem tu és influenciou-te a seres Blogger?

Não sei, não posso dizer que ser gay influenciou-me a ser blogger porque estarei a seguir um estereótipo tão generalizado. O que me influenciou a ser blogger foi o meu espírito criativo, curioso e o gosto pela escrita.

•       Achas que faz alguma diferença numa Sociedade cheia de rótulos para tudo que se esquece do verdadeiro significado dum nome?

Faz parte do ser humano haver rótulos, parece que só assim entendem a existência de determinada pessoa, já nos tempos antigos haviam os títulos, as diferenciações por classes sociais, castas… Infelizmente acho que isso nunca vai deixar de existir.

•       Em pleno século XXI, não deveríamos estar mais evoluídos quanto a este tema?

Não sei se algum dia o mundo irá evoluir de maneira a que nós possamos olhar todos por igual, sem haver rótulos, porque mesmo que não queiramos e muitas vezes não fazemos por mal, colocamos sempre o rótulo a alguém, o pior para mim nem é o rótulo, mas é o facto das pessoas julgarem à partida sem conhecer só por base nesse rótulo.

•       O teu Blog alguma vez foi centrado principalmente neste tema?

Tive dois blogs anteriores a este que eram centrados nesse tema, não que fosse pela sexualidade, mas pelas minhas experiências amorosas, eram um género de diário. O Mrs. Margot fala mais sobre a minha vida no geral é claro ser gay é parte integrante disso.

•        Quando sentiste que era importante contares essa parte de ti aos teus leitores?

Comecei o meu blog de forma anónima e durante três anos escrevi as minhas publicações assinando sob uma personagem fictícia que criei, o ano passado quando decidi dar a cara pelo blog, senti que era importante também abrir essa janela para a minha vida, não que tivesse contado directamente mas não escondi nada.

•       Achas que um Canal no Youtube ajudaria mais na tarefa que te propuseste?

Sinceramente já quis criar um canal para fazer vídeos de receitas, uma coisa mais criativa e com humor, mas já muito trabalho e não percebo muito de edição. Mas para os temas que abordo, acho que o blog é o suficiente, consigo me exprimir melhor pela escrita.

•       Alguma vez sentiste que eras só mais um?

Senti e sinto muitas vezes, é da minha personalidade querer ser notado mas sem me sentir o centro das atenções, mas hoje em dia é difícil com tantos egos grandes por aí, as pessoas notarem a minha presença. Gostava de não ser só mais um e fazer alguma diferença, acho que é um bom objectivo de vida.

•       Alguma vez, devido à Sociedade que temos, sentiste prejudicado por seres quem és?

Prejudicado não sei, mas senti-me tantas vezes julgado só por ser gay, sem conhecerem nada da minha personalidade. Uma constante é sentir-me agredido só por ser quem sou, sofri de bullying toda a minha vida escolar, física e verbalmente e mesmo em adulto é constante ouvir algo que me agride verbalmente, há mulheres que se queiram muito (e com razão) dos piropos e do assédio, mas não fazem ideia das inúmeras vezes que vamos na nossa vida e somos insultados do nada com palavras como paneleiro, maricas, panasca e até mesmo usarem a palavra gay depreciativamente, é cansativo, por vezes muito doloroso.

•       Que conselho dás a esta Sociedade de Rótulos?

O conselho que dou é para todos pararmos um pouco e percebermos que somos todos mais que um rótulo, vamos olhar para o rótulo que nos dão, esse rótulo diz tudo o que somos? Define-nos? Então porque vamos deixar que defina a opinião que temos do outro logo à partida? Que tal pararmos, olharmos para uma pessoa e tentarmos decifrar de onde ela veio, quais são as suas origens, a vida que teve… e dar oportunidade de conhecer essa pessoa? Quem sabe o quão vamos ser surpreendidos.

 

Obrigada, Thiago Marques pela tua sinceridade de sempre! Foi enorme gosto trabalharmos contigo. És mesmo uma pessoa incrível!

Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *